Fazendo capa de revista com estilo – Parte II

Há um tempo atrás fiz um post com capas da Vogue do início do século passado, lembram?

Como foi uma delícia ver a Vogue sem tanta afetação e mais cheia de arte e conceito, decidi repetir a dose!

Essas capas são da década de 1950, e são incríveis, dá uma olhada:

Vogue Vintage

Janeiro, 1950

Vogue Vintage

Junho, 1950

Vogue Vintage

Abril, 1952

Vogue Vintage

Janeiro, 1957

Puro glamour, não?

*imagens: reprodução


Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Fazendo capa de revista com estilo

Nem sempre as capas das cobiçadas revistas de moda foram estampadas com modelos magras de pernas longas, fazer capa de revista já foi sinônimo de fazer arte. E eu não digo isso menosprezando o trabalho dos talentosos fotógrafos, do Brasil e do Mundo, mas as capas de hoje em dia mostram imagens de mulheres quase sempre na mesma posição, com fundo neutro e muito Photoshop!
Capas da Vogue
Foi um refresco para os olhos ver que a Vogue, um dia, já fez capas tão concetuais! Para exemplificar esse trabalho criativo, criei uma galeria com imagens que datam de 1909 a 1940 e fazem parte do acervo da designer gráfica Diana Moss, que as scanneou do livro The art of Vogue Covers, que recebeu como herança.

Confira as imagens:

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.