O vestido mágico

Ontem aconteceu em Nova Iorque o badalado Met Gala, evento beneficente organizado por Anna Wintour, que doa o lucro dos convites para o Metropolitan Museum of Art’s Costume Institute.

Neste ano, o tema do baile foi Manus x Machina: Moda na era da tecnologia, e provavelmente o vestido que o melhor retratou foi o escolhido por Claire Danes.

No red carpet o belo vestido azul claro de Zac Posen fez com que a atriz parecesse uma Cinderella moderna, mas o look guardava uma surpresa.

claire-danes-vestido-zac-posen-met-2016-ocabide-2

O vestido era completamente iluminado e brilhava no escuro! Feito em uma organza tecida com fibra ótica e com 30 mini baterias escondidas no forro o vestido acendia, o efeito não apareceu no red capert mas o estilista fez alguns registros mostrando o resultado final:

Um vídeo publicado por @zacposen em

Uma foto publicada por @zacposen em

Esse é um ótimo retrato da maneira experimental como o estilista aborda a moda.  Zac Posen declarou: “Nós fizemos o tecido sob medida, porque eu queria algo que tivesse uma certa transparência, e que conseguisse parecer iluminado”.

E ainda que o destaque do vestido fosse a iluminação, não podemos deixar de notar a dedicação do estilista para outros detalhes, como o corte, o caimento e até o acabamento sem costura, que faz o vestido parecer ainda mais estatuesco.

 

Incrível, não?

 

*fotos: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Beleza punk

Durante uma das minhas andanças pelos cantos escondidos da internet esbarrei nesse editorial belíssimo da Vogue Paris, fotografado por Christian Macdonald.

Quem posou para o editorial Punk Culture foi a modelo Edie Campbell, com maquiagem de Lloyd Simmonds, cabelo de Akki e o styling fantástico de Celia Azoulay.

Dá uma olhada:

Fiquei apaixonada pela make oitentista e pela jaqueta cobre da terceira foto!

 

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Antes da Gisele

Há pouco tempo compartilhei em nossa página no Facebook um vídeo em que Betty Lago desfile para Thierry Mugler (de quem ela já foi musa). Para minha surpresa ela mesmo curtiu e comentou a publicação.

Em um tempo em que não haviam über models, Betty conquistou a simpatia de nomes como Gaultier, Saint Laurent e Valentino.

A ex-modelo e atriz lutava contra o câncer desde 2012, além da presença marcante os amigos e família afirmam que Betty tinha uma personalidade extraordinária. Foram 15 anos como modelo e 20 anos  como atriz, sua carreira começou em 1970 após ser descoberta pelo fotógrafo Evandro Teixeira. Sua primeira aparição na TV foi como a Natália da novela Anos Rebeldes, em 1992.

Apresentou por 5 anos o GNT Fashion, um dos seus projetos mais atuais era o canal Calma Betty!, no YouTube, com vídeos que contavam com a direção de seu filho Bernardo Lago.

Recentemente esteve no reality Desafio da Beleza ao lado de Mariana Weickert, também no GNT.

Eu sei que muitos dos nossos leitores não tem idade para conhecer o trabalho de Betty, então eu achei que seria bacana fazer uma galeria com imagens que comprovam a musa que Betty era!

O desfile completo de Thierry Mugler 95 – fall/winter (é longo, mas é MARAVILHOSO!):

 

*imagens e vídeo: reprodução

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Resumo da semana #9

Essa semana foi super corrida e nós tivemos dois dias sem posts porque a Net me deixou na mão, mas eu não poderia deixar de fazer o Resumo da semana, né?

Vamos lá?

marc-jacobs-adidas-resumo-semana-ocabide

Adidas acusa Marc Jacobs de cópia: http://bit.ly/1HBeZ9P

Rhodia e Ronaldo Fraga levaram o primeiro fio biodegradável para passarelas da SPFW: http://bit.ly/1IS0ehm

Benetton enviará 1,1 milhão de dólares ao fundo destinado a indenizar as vítimas do desabamento do edifício Rana Plaza em 2013, o pior acidente do setor têxtil em Bangladesh: http://bit.ly/1yYNRzZ

Museu do traje têxtil conta a história da moda brasileira: http://glo.bo/1zWkw4q

As seis principais tendências apresentadas na SPFW: http://abr.ai/1DlFTw9

Incêndio destrói tecelagem de algodão em Minas Gerais: http://bit.ly/1IS2ipH

roupa-fallsicada-preso-distrito-federal-resumo-semana-ocabide

Maior distribuidor de roupas falsicadas do Distrito Federal é apreendido:  http://glo.bo/1EAOxOv

Giorgio Armani comete gafe homofóbica: http://bit.ly/1HBgt3L

Comprar roupas em supermercados tem se tornado cada vez mais popular: http://bit.ly/1HBgBjT

Por que a moda tem apostado na fusão de gêneros? http://bbc.in/1DlGAFM

Adidas usará lixo plástico marítimo para confeccionar produtos em 2016:  http://bit.ly/1yYSOZs

tommy-hilfiger-jamel-toppin-resumo-semana-ocabide

A marca Tommy Hilfiger se recupera de crise:  http://bit.ly/1IS4kGm

A indústria não conta com muitas vendas para o dia das mães:  http://bit.ly/1DlH9zn

As selfies ampliam o desejo (e a necessidade) de consumo de seus usuário: http://glo.bo/1I5SMBf

melhores-desfiles-herchcovitch-ffw-resumo-semana-ocabide

O FFW elegeu os dez melhores desfiles da temporada: http://bit.ly/1DlIaYb

O Net-a-porter voltou a vender marcas brasileiras:  http://bit.ly/1zWs1Z8

O segundo fórum de inovação têxtil da Abit deu destaque para moda esportiva: http://bit.ly/1zWsoTk

casa-de-criadores-logo-resumo-semana-ocabide

Rolou uma nova e reformulada Casa de Criadores:  http://bit.ly/1DlIRRi (nós também falamos sobre isso!)

Aconteceu no Brasil, e outros lugares do mundo, o Fashion Revolution Day: http://bit.ly/1cXsANb

Sexismo em Hollywood e o papel da mulher no cinema: http://bit.ly/1yYWVoB

Andreja-Pejic-vogue-trans-resumo-semana-ocabide

Capa da Vogue terá modelo trans: http://bit.ly/1DlJL04

Teatros de São Paulo passam a ser isentos de IPTU: http://bit.ly/1EAUZoz

Deixem livres as suas estrias! http://bit.ly/1zWy2VM

 

 

Bom final de semana, cabideiros!

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Conselhos de Anna Wintour

Eu tive um feedback super legal com o post sobre como foi a jornada acadêmica que me levou até os caminhos de uma faculdade de moda.  Estudar moda não é uma escolha fácil, além de muitas vezes não ser apoiada por todos os membros da família. Isso sem falar nos estigmas sociais e o sexismo que ronda todas as profissões ligadas ao vestuário.

E depois de enfrentarmos tudo isso, e de enfrentarmos quatro anos de pindaíba na faculdade (que é caro pra caramba!), nós temos que lutar com unhas e dentes por uma oportunidade de brilhar no disputadíssimo mercado de moda brasileiro (não vou nem entrar nos méritos do mercado de moda internacional).

Anna Wintour

E cadê a nossa chance? Trabalhar em prédios sem janelas, em um emprego que paga o salário de um trainee para funcionários pós-graduados? Ou você também pode madrugar na estação lotada de trem, para chegar no “escritório” (mal tem mesa para a equipe toda trabalhar e você nunca fica no mesmo computador) e copiar aquela peça que seu chefe comprou na última viagem que faz para Miami. Podemos falar também daquele emprego maravilhoso em que você precisa ser “dinâmico”, o que na verdade significa fazer o trabalho de todos. Desenha, modela, corta, estampa, costura, embala e vende, tudo por três salários mínimos mais o vale transporte (vale refeição não precisa, tem refeitório).

Quem nunca?

Eu li no site da Dazed and Confused um artigo muito legal sobre a presença de Anna Wintour, a editora chefe da Vogue, no desfile de formatura da Central Saint Martins, onde ela aproveitou e deu uma série de conselhos para os jovens designers de moda. Como vocês bem sabem, Wintour faz sucesso em uma das maiores revistas de moda há 25 anos. Além disso, foi madrinha das carreiras de Alexander Wang, Rodarte e Proenza Schouler, alguma coisa de útil ela deve ter para nos dizer, certo?

Anna Wintour

Sobre começar uma marca

A única coisa que me preocupa um pouco sobre sair diretamente da faculdade para o próprio negócio é que muitos tendem a não ter sucesso… Eu pessoalmente aconselharia a pensar um pouco mais antes de começar um negócio próprio e considerar primeiramente a trabalhar para um designer ou empresa que você admira.

Vá arrumar um emprego

“Vá arrumar um emprego”, disse Wintour de forma certeira. “Que seja um emprego como um designer ou um emprego em um restaurante e daí vai fazendo o seu trabalho no seu tempo livre”. Ter um emprego é a realidade da vida para todos, no final vai acabar sendo algo que vai te ajudar de outras formas.

Diga não a passarela

“Por favor, me escute quando eu digo: uma apresentação interessante e criativa é tão eficiente quanto um desfile (sobre o trabalho de formatura). Eu vejo designers gastando fortunas em desfiles que eu simplesmente não acho que sejam necessários. Uma apresentação nos dá a chance de conhecer o designer, ao invés de sentar em uma sala escura, para esperar você começar sem termos tempo de dizer ‘olá’ antes de sermos apressados para o próximo desfile”. Considerando que estudantes de moda já tem muitas dívidas (se não for mensalidades ou FIES, com certeza será por causa dos próprios trabalhos de formatura), seria bacana se tivéssemos uma apresentação que valorizasse o trabalho do estudante, mas não criasse dívidas ainda maiores.

Anna Wintour

Sem timidez

Jovens designers precisam ser disponíveis, o máximo possível. “Nós começamos um fundo de investimento para moda em 2001, depois do 11/9, para apoiar jovens designers nos EUA e o que nós temos feito é que quando recebemos inscrições para esse fundo, pedimos que o candidato também envie um vídeo”. Wintour afirma que faz isso, pois é muito importante saber como os candidatos se apresentam. “No mundo de hoje é preciso que você saiba interagir. Você não pode ser uma pessoa tímida, sem a habilidade de olhar alguém nos olhos; você tem que saber se apresentar. Você tem que saber falar sobre sua visão, seu foco e naquilo que você acredita.”

Chega de SDV

Wintour pode ter sido a primeira a por uma hashtag em uma capa da Vogue (#worldsmosttalkedaboutcouple), mas ela é a primeira a dizer o que todos nós já sabemos: quantidade de seguidores em Twitter ou Instagram não são equações que apontam para o tamanho do seu sucesso. “É possível no mundo de hoje ser famoso instantaneamente, por Instagram ou qualquer outra plataforma, sucesso financeiro e em longo prazo é bem diferente disso”.

Sociedade

“Não é comum, e digo isso por experiência, que um designer também seja bom em entender fatos e ideias. É importante ter alguém com quem conversar e discutir sobre tudo. Eu não vi muitos designers terem sucesso sozinhos, sem um sócio nos negócios.” No final das contas as coisas funcionaram muito bem para Alexander Wang e seu irmão Denis, Marc Jacobs e Robert Duffy e Christopher Kane e sua irmã, Tammy.

Como eu já fiz um post falando sobre a minha experiência na faculdade, estive pensando em fazer um falando um pouco sobre minha experiência trabalhando com moda. O que vocês acham?

*O texto da Dazed and Confused

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.