Biquínis plus size

O ano passou voando e blá blá blá (esse discurso vocês já conhecem), finalmente vou ter uma chance de tirar uns dias de folga de tudo, curtir meus amigos, beber whisky (Santo Jack Daniels <3) e desfilar minhas curvas com orgulho na beira de uma piscina.

Essa será a primeira vez que eu visto um biquíni sem sentir vergonha de mim mesmo e também é a primeira vez que faço isso me achando gostosa (sim, eu me acho gostosa). E tive que pesquisar bastante até encontrar o modelo perfeito, o que não foi fácil considerando que marcas de moda praia plus size são raras, modernas e com preço bacana são quase uma utopia.

Fiz uma pesquisa e achei algumas coisas bem interessantes, pensei que seria bacana transformar essa pesquisa em um post!

Se você está afim de usar algo com uma pegada pinup feita sob medida para o seu corpinho, ‘A minha praia é‘, irmã mais nova da marca Upsy, é a marca para você! Acho impossível não se apaixonar por esses biquínis e maiôs cheios de charme, dá uma olhada:

A For All Types (F.A.T.) produz roupas de banho e lingeries a partir do tamanho 46 (sem limite máximo de tamanho), tem ficado conhecida nas redes por ser uma das marcas que trouxe para o Brasil um modelo de biquíni muito popular entre as gringas. Além disso a marca é bem democrática e você pode montar seus biquínis como quiser!

A Surpreenda Store tem aquele estilo retrô maravilhoso que eu não canso de amar, principalmente quando se trata de moda praia. Lá você vai encontrar uma boa variedade de biquínis e maiôs, e também te dá a opção de montar seu biquíni com as peças que quiser. Eu achei os modelos dessa loja os mais sexy que encontrei, infelizmente o maior tamanho é o GG.

A VK é uma loja plus size multimarcas com muitas opções, inclusive quando se trata de moda praia. Lá você pode encontrar partes separadas, conjuntos, maiôs e saídas de banho. Só agora, na hora de postar, que eu percebi que só escolhi biquínis pretos, mas lá tem uma porção de cores e estampas.

E aí, preparadas para as férias?

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.