Mulheres gordas também transam

Quando se fala da sexualidade da mulher gorda na internet o resultado é fetichismo e pornografia.

Quando se fala da sexualidade da mulher gorda em uma conversa casual é comum ouvir coisas como: “É mais fácil transar com mulheres gordas porque elas são desesperadas”, “Mulheres gordas se dedicam mais no sexo oral porque querem te convencer de que vale a pena transar com elas” ou “Transo com ‘gordinhas’ para praticar e ficar bom de cama para quem realmente merece”.

E quando é a vez do TV ou do cinema falar sobre a sexualidade da mulher gorda, nossa libido é vista como algo cômico, digno de deboche e ridicularização.

A sociedade como um todo não enxerga mulheres gordas como indivíduos completos e funcionais,  e nada na nossa cultura nos faz pensar que elas têm vidas sexuais que incluam experiências ricas e cheia de variação como as de qualquer outra pessoa.

Ou seja, não importa em qual situação, somos fetichizadas, objetificadas ou ignoradas, e inevitavelmente a nossa sexualidade sempre acaba parecendo um tabu.

artista desconhecido

A vida sexual da mulher gorda funciona como a de qualquer outra mulher, sentimos tesão, nos masturbamos, transamos em várias posições, temos fantasias, compramos brinquedinhos, usamos lingerie sensual e escolhemos nossos parceiros (ou parceiras) com base em afinidades e química.

Parem de tentar categorizar nossas transas, não existe “sexo gordo”!

Parem de presumir que por sermos gordas não somos confiantes, e não temos autoestima e controle sobre nossos corpos.

E parem de tentar enfiar (sem trocadilhos) o nosso tesão em moldes engessados e patriarcais, nosso corpo não existe para atender suas necessidades, nosso prazer não é condicionado por padrões estéticos e assim como qualquer outro ser humano, nós transamos para gozar.

 

*imagem: reprodução

 

 

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

BEDA | Coisas que aprendi com Amy Schumer

Amy Schumer é humorista e roteirista e tem estado cada vez mais em pauta na mídia por conta de seu novo filme, Trainwreck.

amy-schumer-trainwreck-humor-citacao-feminismo-ocabide

Eu tenho visto espalhadas pela internet entrevistas e citações, todas com o mesmo toque do humor que ela leva para o palco em seus shows de stand up, ou seja, muita acidez, muito questionamento sobre padrões de beleza, sobre o estrelismo hollywoodiano e sobre o lugar da mulher na sociedade.

Com base no que tinha visto até aqui, estava gostando bastante da Amy e estava ansiosa para assistir ao filme. Mas eu precisava saber se ela era realmente tão engraçada quanto parece e se o seu discurso feminista também tinha espaço no palco, então assisti ao show Mostly Sex Stuff, feito para o Comedy Central em 2012, e percebi que o humor dela é do tipo mais agressivo e que nessa época as questões de igualdade ainda estavam começando a surgir em seus shows. Mas mesmo achando que algumas piadas poderiam ser facilmente dispensadas, não consigo deixar de me enxergar no que ela diz, afinal faço o mesmo tipo de piadas, a diferença é que as dela de fato tem graça.

amy-schumer-mostly-sex-stuff-humor-citacao-feminismo-ocabide

O que me fez relevar algumas dessas piadas que achei desnecessárias foi ver uma mulher falando TÃO abertamente sobre a sua vida sexual, com humor e aceitação, sem se importar com o que vão pensar dela. Eu não sei se vocês já tentaram falar da vida sexual de vocês, seja lá com quem for, dessa forma. Não é fácil! Nós temos medo dos julgamentos até dos nossos amigos mais intímos.

Por conta de tudo isso, decidi juntar algumas das melhores frases ditas por Amy (na minha opinião), quem sabe não ajude a nos libertar mais um pouquinho?

“Eu direi se sou eu bonita. Eu direi se eu sou forte. Você não vai determinar a minha história – Eu vou.”

amy-schumer-humor-citacao-feminismo-ocabide-2

“Eu vou falar e compartilhar e foder e amar e não vou me desculpar com as milhares de pessoas assustadas  e cheias de ressentimento por nunca terem coragem de fazer o mesmo. Eu não sou a minha lista de amantes. Eu não sou o meu peso. Eu não sou a minha mãe. Eu sou eu mesma.”amy-schumer-humor-citacao-feminismo-ocabide-3

“Eu sou uma lutadora de sangue quente e destemida.”

“Não, eu não vou me desculpar por ser quem eu sou, e eu realmente vou amar a pele em que estou. Eu não vou batalhar para ser uma versão diferente de mim.”

amy-schumer-humor-citacao-feminismo-ocabide-4

 

“Não se sinta mal por mim, eu me acho tão bonita.” 

 

*imagens: reprodução

**Saiba mais sobre o BEDA

badge_post_01

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Mantenha a classe

No começo de fevereiro, mais precisamente no dia 14 quando se comemora o Valentine´s Day, a marca Chanel lançou um item indispensável: camisinhas.

Chanel

É isso aí!

Sexo com luxo e glamour!

*imagem: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.