Conselhos de Anna Wintour

Eu tive um feedback super legal com o post sobre como foi a jornada acadêmica que me levou até os caminhos de uma faculdade de moda.  Estudar moda não é uma escolha fácil, além de muitas vezes não ser apoiada por todos os membros da família. Isso sem falar nos estigmas sociais e o sexismo que ronda todas as profissões ligadas ao vestuário.

E depois de enfrentarmos tudo isso, e de enfrentarmos quatro anos de pindaíba na faculdade (que é caro pra caramba!), nós temos que lutar com unhas e dentes por uma oportunidade de brilhar no disputadíssimo mercado de moda brasileiro (não vou nem entrar nos méritos do mercado de moda internacional).

Anna Wintour

E cadê a nossa chance? Trabalhar em prédios sem janelas, em um emprego que paga o salário de um trainee para funcionários pós-graduados? Ou você também pode madrugar na estação lotada de trem, para chegar no “escritório” (mal tem mesa para a equipe toda trabalhar e você nunca fica no mesmo computador) e copiar aquela peça que seu chefe comprou na última viagem que faz para Miami. Podemos falar também daquele emprego maravilhoso em que você precisa ser “dinâmico”, o que na verdade significa fazer o trabalho de todos. Desenha, modela, corta, estampa, costura, embala e vende, tudo por três salários mínimos mais o vale transporte (vale refeição não precisa, tem refeitório).

Quem nunca?

Eu li no site da Dazed and Confused um artigo muito legal sobre a presença de Anna Wintour, a editora chefe da Vogue, no desfile de formatura da Central Saint Martins, onde ela aproveitou e deu uma série de conselhos para os jovens designers de moda. Como vocês bem sabem, Wintour faz sucesso em uma das maiores revistas de moda há 25 anos. Além disso, foi madrinha das carreiras de Alexander Wang, Rodarte e Proenza Schouler, alguma coisa de útil ela deve ter para nos dizer, certo?

Anna Wintour

Sobre começar uma marca

A única coisa que me preocupa um pouco sobre sair diretamente da faculdade para o próprio negócio é que muitos tendem a não ter sucesso… Eu pessoalmente aconselharia a pensar um pouco mais antes de começar um negócio próprio e considerar primeiramente a trabalhar para um designer ou empresa que você admira.

Vá arrumar um emprego

“Vá arrumar um emprego”, disse Wintour de forma certeira. “Que seja um emprego como um designer ou um emprego em um restaurante e daí vai fazendo o seu trabalho no seu tempo livre”. Ter um emprego é a realidade da vida para todos, no final vai acabar sendo algo que vai te ajudar de outras formas.

Diga não a passarela

“Por favor, me escute quando eu digo: uma apresentação interessante e criativa é tão eficiente quanto um desfile (sobre o trabalho de formatura). Eu vejo designers gastando fortunas em desfiles que eu simplesmente não acho que sejam necessários. Uma apresentação nos dá a chance de conhecer o designer, ao invés de sentar em uma sala escura, para esperar você começar sem termos tempo de dizer ‘olá’ antes de sermos apressados para o próximo desfile”. Considerando que estudantes de moda já tem muitas dívidas (se não for mensalidades ou FIES, com certeza será por causa dos próprios trabalhos de formatura), seria bacana se tivéssemos uma apresentação que valorizasse o trabalho do estudante, mas não criasse dívidas ainda maiores.

Anna Wintour

Sem timidez

Jovens designers precisam ser disponíveis, o máximo possível. “Nós começamos um fundo de investimento para moda em 2001, depois do 11/9, para apoiar jovens designers nos EUA e o que nós temos feito é que quando recebemos inscrições para esse fundo, pedimos que o candidato também envie um vídeo”. Wintour afirma que faz isso, pois é muito importante saber como os candidatos se apresentam. “No mundo de hoje é preciso que você saiba interagir. Você não pode ser uma pessoa tímida, sem a habilidade de olhar alguém nos olhos; você tem que saber se apresentar. Você tem que saber falar sobre sua visão, seu foco e naquilo que você acredita.”

Chega de SDV

Wintour pode ter sido a primeira a por uma hashtag em uma capa da Vogue (#worldsmosttalkedaboutcouple), mas ela é a primeira a dizer o que todos nós já sabemos: quantidade de seguidores em Twitter ou Instagram não são equações que apontam para o tamanho do seu sucesso. “É possível no mundo de hoje ser famoso instantaneamente, por Instagram ou qualquer outra plataforma, sucesso financeiro e em longo prazo é bem diferente disso”.

Sociedade

“Não é comum, e digo isso por experiência, que um designer também seja bom em entender fatos e ideias. É importante ter alguém com quem conversar e discutir sobre tudo. Eu não vi muitos designers terem sucesso sozinhos, sem um sócio nos negócios.” No final das contas as coisas funcionaram muito bem para Alexander Wang e seu irmão Denis, Marc Jacobs e Robert Duffy e Christopher Kane e sua irmã, Tammy.

Como eu já fiz um post falando sobre a minha experiência na faculdade, estive pensando em fazer um falando um pouco sobre minha experiência trabalhando com moda. O que vocês acham?

*O texto da Dazed and Confused

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

A passarela de Nova York em aquarela

A artista norte-americana Samantha Hahn pintou uma série de aquarelas baseada em coleções da semana de moda de Nova York, entre eles looks de nomes como Proenza Schouler e Diane von Furstenberg.

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

Samanta Hahn Aquarela Semana de moda Nova York

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Unhas Medievais

A marca Rodarte (que eu amo), mostrou em seu desfile ontem (11/09) unhas em estilo medieval.

A Nail Art foi criada pela manicure Michelle Huynh da marca Creative Nail Design.

unhas medievais

Diz a New York Magazine que para reproduzir a textura em cada unha a manicure levou 15 minutos, somando um total de 200 horas para fazer o trabalho em todas as modelos!

Mas o resultado é genial não?

*imagem: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Cisne Negro

Existe todo um burburinho ao redor do já premiado filme Black Swan, o filme já acumula 20 prêmios e promete com suas 5 indicaçõs no Oscar.

Natalie Portman como personagem central do filme transforma a metáfora do Cisne Branco e seu gêmeo, Cisne Negro em espetáculo.

Não à toa o figurino e maquiagem se tornaram fonte de inspiração imediata para fashionistas.cisne-negro-figurino-maquiagem-croqui-ocabide

Destaque absoluto nas cenas em que interpreta de forma sombria o cisne, bem traçado e minuciosamente detalhado em cada pedacinho do figurino.

cisne-negro-figurino-maquiagem-croqui-ocabide-2

O figurino, que foi em parte criado pelas irmãs Mulleavy, da Rodarte mostra a inspiração da dupla nos filmes de terror, a mesma utilizada na coleção 2008 da marca. Kate e Laura Mulleavy criaram cerca de 40 figurinos, inclusive as fantasias usadas nas cenas de dança do Lago dos Cisnes.

Drama, suspense, sedução e muita moda vanguarda.

*imagens e vídeo: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.