BEDA #2 – 5 marcas de moda plus size para ficarmos de olho

Com o crescimento do segmento plus size, a influência das redes sociais e o aumento na confiança e determinação de quem usa tamanhos maiores, podemos ver com clareza as mudanças que começam a fervilhar na indústria da moda.

Esse é um cenário que favorece o surgimento de novas marcas. Me mantenho antenada sobre todas as novidades do segmento como parte do meu trabalho com marketing digital, mas também por ser o tipo de consumidora que está sempre em busca de lançamentos e novos estilos.

No post de hoje vou mostrar para vocês marcas que tenho acompanhado nos últimos meses e que prometem chamar atenção nas próximas temporadas.

Vangá

Eu já apresentei a Vangá para vocês no vlog que fiz no último Pop Plus. Desde então tenho acompanhado de perto suas novidades e o trabalho de Vanessa Pestilli, estilista e criadora da Vangá. Quase 100% das peças de suas coleções são feitas em moletom, tecido que temos visto no mix de marcas hypadas como Vetements e Supreme.

A Vangá traz peças com referências do underground, que foi marcado pela customização. Tachas, ilhoses, recortes e respingos de tinta emanam a essência noventista de quem passou muitos noites pulando de bar em bar na Augusta.

Mas também fica claro que existe uma doçura no olhar de Vanessa, que traz aqui e ali um coração, transparências ou um detalhe em renda que suavização e complementam muito bem o styling das coleções.

www.vangastore.com.br

Tamanhos: All Sizes

Titha

A Titha também é uma marca que eu já apresentei para vocês. Atualmente a marca criada por Tarsila Portela e sua família tem sido uma das minhas preferidas.

Para mim um dos maiores atrativos da Titha é a versatilidade de suas peças e o melhor exemplo disso é foto de que consigo usá-las para compor tantos looks, mesmo sendo alguém com um estilo mais alternativo.

A marca trabalha com sazonalidade, mas também lança várias novidades entre uma coleção e outra.

loja.tithaplussize.com.br

Tamanhos: P ao EG (plus size)

Bazi

A Bazi foi lançada no início deste ano e eu lembro de ter esbarrado nela no Instagram por causa do blazer vermelho que já é hit e as influencers plus sizes estão amando.

A marca tem tudo para ser mais clássica, mas apesar de criar peças mais usáveis para um target mais amplo, não foge da ousadia.

Suas peças são sensuais, a marca brinca com brilho (as peças em cirrê são lindas), recortes estratégicos e tem peças com um comprimento bem curtinho (que eu amo!).

www.bazioficial.com

Tamanhos: 46 ao 54

Nila

A Nila é uma marca mineira criada por Natália e Júlia (que é irmã da blogueira Lu Ferreira), suas peças trazem bastante informação de moda. As peças tem excelente acabamento e seus tecidos são a cara da riqueza!

Vemos alguns toques de cor na coleção, mas no geral a cartela de cores e mais neutra. O que eu sinto quando vejo as peças da marca é que elas foram criadas para nos fazer sentir charmosas. Mas não é um charme qualquer, é um charme cheio de bossa, de quem sorri com olhar, sabe?

usenila.com

Tamanhos: 46 ao 56

Lilavi

Criada por Camila Medeiros e Virgínia Cruz a Lilavi foi uma marca muito aguardada por todos que trabalham na indústria plus size.

Eu conheci a Camila em dezembro de 2016, na primeira edição em que estive no Pop Plus à trabalho, esse também foi o momento em que me contou sobre o seu sonho de abrir a própria marca e que já estava em fase planejamento para que o sonho se torna-se realidade.

A primeira coleção é ultrafeminina e traz uma das peças mais amadas no segmento, a saia godê, em várias opções de estampa. O mix de produtos também incluem algumas blusas e dois vestidos fofíssimos.

www.lilavi.com.br

Tamanhos: 48 ao 60

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Um arco-íris gordo!

Cabelos coloridos não são apenas uma tendência divertida. Veja-os como o atestado de liberdade daquelas que estão cansadas de ceder à pressão para ter um look padrãozinho que a agrade a família tradicional brasileira.

Desde março assumi uma identidade mais colorida e personifiquei o “ Meu cabelo, minhas regras”, dando para minhas madeixas um tom nada discreto de pink:

Praticamente uma unicórnia! 🦄

Resolvi fazer uma galeria com gordas belíssimas com cabelos maravilhosos para te inspirar e te trazer para o lado colorido da força:

https://www.instagram.com/natadipaula

 

https://www.instagram.com/biagremion

 

https://www.instagram.com/pretararaoficial

 

https://www.instagram.com/margotmeanie

 

https://www.instagram.com/rayneon

 

https://www.instagram.com/cyberalma

 

https://www.instagram.com/satancomglitter

 

https://www.instagram.com/jazzmynejay

 

https://www.instagram.com/blogueirafail

 

https://www.instagram.com/megankimberling

 

https://www.instagram.com/studiomucci

 

https://www.instagram.com/darlingiknow

 

https://www.instagram.com/margieplus

 

https://www.instagram.com/_lenicelima

 

https://www.instagram.com/rainbowchatman

 

https://www.instagram.com/modachrome

 

https://www.instagram.com/fatshionpeepshow
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Por aí: O Cabide no #PopPlus20

O Pop Plus chegou a sua vigésima edição com várias atrações incríveis, estreia de várias marcas lindas como a Alice Surtô, Berenix e Reizz e ainda várias marcas que lançaram coleções e novidades durante a feira. Entre elas estavam:

Clamarroca Plus – lançando sua coleção masculina
Chica Bolacha – lançando a coleção Fever Vol. 1
Zuya – lançando a coleção Entre estrelas
Assens – lançando sua linha de camisaria
Bold (Flaminga) – lançando coleção outono/inverno 2018 e a coleção Sleep and Lounge
Madee – lançando a coleção Blogguers
NaBeca Tamanhos Reais – lançando a coleção outono/inverno 2018
Rainha Nagô – lançando a coleção Lady Lake Black Flowers
Lambuzada – lançando as jaquetas dupla face
Wondersize – lançando as jaquetas corta-vento
Oh Querida! – lançando a coleção City Grrrl
Cor de Jambo Moda Praia – lançando top ciganinha, cropped Diva e calça envelope
Simone Troiano – fez um preview do outono/inverno

Euzinha no Stand da Alice Surtô usando vestido da marca

E dessa vez fizemos uma super cobertura do evento que contou com um lookbook com os looks mais lindos das gordas (e gordo) que estavam por lá:

Sempre que vejo a cobertura de eventos em outros sites e blogs percebo que as postagens referentes à lookbooks raramente incluem pessoas gordas. Então eu e a @thaysawandeur (fotógrafa oficial d’O Cabide) criamos um lookbook só com gordos como parte da nossa cobertura do @popplusbr! São looks cheios de personalidade e estilo, usados por pessoas que frequentaram e trabalharam no evento durante o dia 03/03. Esperamos de verdade que vocês gostem e que no futuro façamos muito mais lookbooks como esse! #popplus20 #paracegover Esse é um álbum com 10 looks usados por pessoas gordas e muito estilosas durante o Pop Plus. Envie uma mensagem se você gostaria de ter uma descrição completa de cada um desses looks.

A post shared by O Cabide por Nic Duarte (@ocabide) on

Também fizemos um vlog lindo de viver:

Além do lookbook nossa fotógrafa, Thaysa Wandeur, também arrasou nos cliques que fez enquanto passeávamos pelo evento:

NaBeca Tamanhos Reais

 

Vintage and cats

 

Aline França – Estilo Curvas

 

Ju Romano e Isabella Trad

 

Nic Duarte e Amanda Momente

 

Wondersize

 

Clamarroca Plus

 

Mary Help

 

Blossoms

 

Ackon

 

Rouge Marie

 

Wondersize

 

Imani Plus Size

 

Imani Plus Size

 

Garotas FDP

 

Titha Plus Size

 

Fofura Pimenta

 

Nic Duarte e Flávia Durante

 

Lambuzada

 

Alice Surtô

 

Vestgrande

 

Thalita Laleme Store

 

Chica Bolacha

 

Chica Bolacha

 

Gina Yamamoto
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Eu e a Chica

Nos últimos anos vocês acompanharam toda a minha jornada com o peso. Desde quando eu comecei a engordar, até as dietas malucas (nunca vou deletar esses posts, mesmo sabendo que eles não representam coisas positivas, eles fazem parte de uma história de amor próprio muito bem sucedida) e o momento no qual eu finalmente enxerguei meu corpo como ele era e comecei um processo de aceitação não só da minha aparência, mas de quem eu realmente sou.

Se você realmente acompanha o blog, lembra dos primeiros posts sobre moda plus size e da busca por referências e marcas que me ajudassem a formar um estilo que realmente fosse a minha cara. Até porque, foi só quando eu me aceitei como mulher gorda que eu realmente passei a buscar formas de me expressar através da moda. Eu passei toda a adolescência e a maior parte da minha vida adulta tentando entender o meu estilo e sentindo que no geral, eu fracassava miseravelmente em mostrar quem eu era através da moda.

E se era difícil quando eu era magra, imagina como foi quando eu engordei e não encontrava roupa em lugar nenhum? Eu passei um bom tempo me espremendo nas roupas que tinha no guarda-roupa, misturando-as com algumas das peças que encontrava em lojas de departamento que servissem em mim. Eu até me virei bem, mas era bem difícil me identificar com o que eu vestia.

Mas eu lembro exatamente quando tudo isso mudou. Eu me credenciei para cobrir uma edição do Fashion Weekend Plus Size, após alguns anos sem visitar o evento, e rolou um desfile da marca Chica Bolacha. Eu assisti ao desfile no pit, sentada aos pés dos fotógrafos e acompanhei todos os detalhes de perto. Conforme as modelos entravam na passarela, gordas, lindas, dançando e sorrindo eu finalmente senti que eu pertencia a algo, que eu podia me afastar da insegurança e do medo, pois dali para frente eu conseguiria ser eu mesma, por dentro e por fora.

A Chica Bolacha não só fazia roupas para mulheres gordas, como fazia roupas para mulheres gordas como eu. Com um pezinho no rock’n’roll, um pezinho no alternativo e muito humor e personalidade!

Hoje em dia, para quem já viveu o processo de aceitação, já visitou os Pop Plus e Hashtag Bazar da vida, isso parece algo óbvio e fácil de conquistar, mas há 2 ou 3 anos atrás não era bem assim.

Pouco depois houve um bazar da Chica aqui em São Paulo e com a ajuda da minha mãe (eu estava muito sem grana na época) comprei 5 peças que uso até hoje. Seriam essas peças que fariam com que eu finalmente pudesse imaginar um estilo só meu e começasse a colocá-lo em prática.

Alguns dos looks que fiz com essas peças:

 

31/10/2015

 

18/07/2016

 

27/07/2016

Aos poucos deixei de ser a menina que tinha um blog sobre moda, mas que tinha vergonha de postar looks, para a content creator dedicada, com parceria fixa com uma fotógrafa maravilhosa, que produz e dirige a criação de fotos de looks super especiais, cheios de atitude e que transbordam minha essência.

Pouco tempo depois de começar a trabalhar com a Thaysa nas fotos que fazemos para O Cabide, tive a oportunidade de ser parceira da Chica Bolacha na divulgação das coleções Rebel e Vibes, e para mim foi uma sensação de full circle. Eu iniciei minha jornada na moda plus size me apoiando na Chica Bolacha e começo uma nova jornada da minha vida profissional sendo um apoio (mesmo que singelo) para a marca.

Eu já postei as fotos de todos os looks que essa parceria rendeu lá no Instagram, mas hoje vou mostrar TODAS as fotos que fizemos (inclusive algumas inéditas):

O amuleto

*Fotos: Thaysa Wandeur

Esse vestido é poesia

*Fotos: Thaysa Wandeur

Only good vibes are welcome here! 

*Fotos: Thaysa Wandeur

Geralmente eu espero o Pop Plus para poder ver de perto os lançamentos da marca, mas neste final de semana acontecerá em São Paulo o “Chica Bolacha Festival Plus Size”:

E a programação está linda!

– Lançamento da NOVA COLEÇÃO, promos, jeanswear plus size Levi’s, MODA PRAIA e  Adidas (Nossa Senhora do Nubank nos proteja!)
– Acessórios, posters, buttons & patches.
-CONVIDADOS MAIS QUE ESPECIAIS:
Loja Chico – camisetas masculinas até o 6G
BASFOND – os brincos e pins mais incríveis que você respeita
Empório Quintal da Vó – prepare-se para a melhor cerveja artesanal da cidade – feita por mulheres! ♥
adidas Originals – Aqueles tênis lindos que vocês namoram online!

Além disso o evento contará com o DESFILE DE CHICAS, com participação especial das próprias clientes da marca!

Formas de pagamento:
– Todos os cartões em até 6x
– 10% desconto em dinheiro

Quais tamanhos a marca oferece?
– Até o 5G! 

Onde:
Local: Rua Augusta, 792 (e-DJs Institute)

Quando:
24 de Novembro (sexta) – das 10h às 20h
25 de Novembro (sábado) – das 10h às 20h

Entrada Franca

Estarei lá no sábado e quero ver vocês, portanto deixem a timidez de lado e venham me abraçar! ♥

P.S.: O sonho de conhecer a loja da marca em Porto Alegre continua em pé!

 *Não é publi, é amor!

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Consultoria da magreza

Hoje vi vários posts nas redes sociais sobre um curso de consultoria de imagem plus size que estava causando polêmica.

O motivo?

O foco do curso é treinar consultores de imagem para disfarçar, emagrecer e criar ilusões de ótica que transformem o corpo gordo.

Image result for panamericana plus size

Eu não vejo problema algum em usar a moda para criar outras silhuetas, mas um curso voltado para esse público não pode ter somente esse objetivo.

Ou seja, eles querem ganhar dinheiro com o plus size (o curso dura 24h e custa R$1000), mas não vão fazer o menor esforço para compreender o público que ele atende?

 

Vou deixar aqui as minhas sugestões para a Panamericana (escola paulista responsável por tal curso):

Que tal fazer um curso de consultoria de imagem plus size que ensine pessoas gordas a amarem e vestirem os corpos que têm, sem disfarçá-lo?

Que tal usar temas como empoderamento, aceitação e representatividade, como apoio para autoestima de quem contrata um consultor de moda?

Que tal chamar alguém com vivência nesse meio para dar essa aula?

Que tal não fazer um curso para propagar padrões estéticos que nos aprisionam?

Que tal parar de enxergar o corpo gordo como algo que precisa ser transformado?

Que tal identificar as necessidades de um mercado antes de criar um curso sobre ele?

Que tal entender que “plus size” é um termo mercadológico e que não dever ser usado para designar mulheres, ou homens, de qualquer tamanho?

 

Melhorem.

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.