BEDA #22 – Noventismo para gordas

Mesmo que você não seja a pessoa mais ligada em tendências de moda, deve saber que estamos vivendo uma onda de estilo inspirado nos anos 1990.

E o revival não para por aí, também temos buscado filmes e séries da época, o que acabou despertando uma grande curiosidade sobre as celebridades vestiram nessa década.

Foi assim que encontrei o perfil @90sanxiety no Instagram, que tem causado comoção entre os editores de moda do mundo todo.

A curadoria é impecável e inclui imagens que mostram bem a estética da década. Porém não há imagens de pessoas fora do padrão. Parece até que na década de 1990 não haviam pessoas com deficiência ou pessoas gordas.

Então eu decidi me inspirar pelos estilos que o perfil mostra e encontrar referências de pessoas fora do padrão arrasando com elas!

Cher Horowitz

Camiseta empoderada

Underwear Calvin Klein

Animal print

Mom jeans

Listras

Vinil

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

BEDA #16 – Galeria: Um amor chamado moletom

Quando as mulheres começaram a quebrar padrões relacionados aos seus corpos, acabaram vendo uma possibilidade que nunca tinham visto antes: elas não querem ser escravas de nenhum outro padrão.

Estamos questionando o uso do anticoncepcional, estamos descobrindo como lidar com nossa menstruação de formas diferentes e estamos brigando com o Senado pelo direito de escolha quanto à maternidade.

Também estamos exigindo equidade no ambiente de trabalho, cobrando a presença feminina nos palcos de eventos e na gestão das empresas.

A feminilidade compulsória está sendo derrubada, nossa sexualidade está mais fluída e estamos dispostas a sermos as principais responsáveis pelo nosso prazer.

Juntas estamos moldando um novo mundo onde nosso espaço seja garantido. E com tantas mudanças é claro que a nossa relação com a moda também ganharia um novo olhar. Já estamos calando a boca de quem critica comprimento de blusas e saias, e quanto mais reclamam, mais justas nossas roupas ficam. Mas a verdade é que essa é uma mudança mais profunda, que tem a ver com a nossa relação com as roupas e tudo o que esperamos que elas cumpram dentro dessa nova rotina. Não à toa a palavra conforto vem aparecendo no topo das pesquisas de consumo nos últimos anos.

Não dá mais para usar roupas desconfortáveis para atender as expectativas de uma sociedade que insiste em códigos de conduta ultrapassados. Nossa liberdade também vai nos trazer comodidade!

Criei uma galeria com fotos de mulheres que optaram pelo conforto do moletom e não sacrificaram de forma alguma suas identidades ou estilo pessoal. Dá uma olhada:

(Clique nas imagens para ver os créditos ou para navegar na galeria)

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

BEDA #15 – Para musas fatness

A Wonder Size é uma marca de moda fitness plus size que vem inovando no segmento com muita cor, estampas empoderadoras e tecnologia têxtil.

A marca nasceu do sonho de duas mães empreendedoras, Amanda Momente e Marioli Oliveira. Após retornar grávida dos Estados Unidos e chegar aos 140kg durante a gestação, a corretora de imóveis Amanda se viu refém de roupas que não a representavam. Ao buscar peças para frequentar uma academia ela se deparava com o desafio de não ter o que vestir com mobilidade e conforto necessários para a prática de exercícios, além de não encontrar nada com o seu estilo descontraído e alegre. Ela produzia suas próprias roupas de ginástica com o auxílio de uma costureira. Depois de receber elogios pelas suas criações, surgiu a ideia de dividi-las com outras mulheres que, como ela, procuram se reencontrar e se reinventar através da moda e da qualidade de vida. Juntou-se à ela a designer Marioli Oliveira, uma feminista apaixonada por inovação, e assim nasceu a Wonder Size, marca de casual fitness cujas roupas vão da academia para as ruas e vice-versa.

Euzinha e Amanda Momente | Foto: Thaysa Wandeur

A marca tem participado de eventos por todo o país e criou o Wonder Day para se aproximar de suas clientes e desmistificar a presença de mulheres gordas em academias.

A marca comemorará seu primeiro aniversário no dia 25 de agosto, sábado, com um Wonder Day especial na Academia Ecológica Ecofit Aclimação, a primeira academia sustentável do Brasil, que fica no bairro da Aclimação, em São Paulo. Entre as aulas, que custam de 10 a 30 reais cada, estão muay thai, ginástica funcional, yoga e aula de dança com a dançarina Thaís Carla, que integra a equipe de bailarinos da cantora Anitta.

Confira a programação do 5º Wonder Day:

9h – 10h Muay Thai (15 vagas)
9h – 10h Quadra kids (12 vagas)
10h15 – 10h45 Funcional (10 vagas)
11h – 11h45 Eco Dance (20 vagas)
11h – 12h Quadra kids (12 vagas)
12h – 12h45 Yoga (20 vagas)
13h – 14h Quadra kids (12 vagas)
13h – 14h30 Aula de dança com Thaís Carla.

Para se inscrever nas aulas é só escolher quais opções quer fazer no fechamento da

Serviço:

5º Wonder Day @ Academia Ecológica Ecofit Aclimação
Data: 25 de agosto, sábado
Horário: 9h às 15h
Endereço: Rua Pires da Mota, 762 – Aclimação – São Paulo/SP (proximo ao Metrô Vergueiro – Linha Azul)
Estacionamento parceiro na academia: R$ 10 no dia do evento
As aulas custam de 10 a 30 reais cada e podem ser compradas pelo link no Sympla:
https://www.sympla.com.br/5-wonder-day-1-ano-da-wonder-size__336119
Para quem tem filhos, haverá atividades na quadra para crianças acima de 3 anos.
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/293112388107772/

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

BEDA #13 – 10 fatos sobre o segmento plus size

No post de ontem mostrei alguns fatos da história da moda e da indumentária, nele eu acrescentar um tópico sobre moda plus size, mas achei que seria bacana pesquisar mais um pouco e juntar fatos sobre esse tema para um outro post. Na minha pesquisa encontrei varias informações sobre moda, mas também encontrei algumas coisas sobre comportamento, dá uma olhada:

  • Em 2014 o estilista Rick Owens apresentou um desfile da coleção verão com um casting totalmente composto por bailarinas plus size em plena Semana de Moda de Paris.
  • Ao contrário do que vimos nas notícias, a Torrid não foi a primeira marca plus size a desfilar na NYFW. Em setembro de 2013 a estilista Eden Miller of Cabiria apresentou seu desfile como parte de uma ação com o Fashion Law Institute no Lincoln Center.
  • Bia Gremion foi a primeira modelo tamanho 60 a desfilar na SPFW.
    foto: Ze Takahashi / FOTOSITE
  • Lane Bryant foi a primeira marca a usar o termo plus size em 1927.
    Catálogo da Lane Bryant
  • O segmento de moda plus size no Brasil fatura até 5 bilhões por ano.
Pop Plus | Foto: Thaysa Wandeur
  • Em 2015 Ashley Nell Tipton foi a primeira (e única até momento) estilista gorda a vencer o reality Project Runway. Hoje ela está à frente de sua própria marca plus size.
Final do Project Runway
  • Em 2015 a Marisa lançou a campanha para sua primeira linha exclusivamente plus size, que foi estrelada por Flúvia Lacerda.
    Flúvia Lacerda para Marisa | Foto: Divulgação
  • Estima-se que o movimento body bositive como conhecemos hoje tenha começado em 1967 após a publicação do ensaio “More People Should Be Fat” de Lew Louderback.
    “More People Should Be Fat” – Lew Louderback
  • As hashtags #curvy e #curvygirls foram banidas no Instagram e ainda que você consiga navegar entre elas normalmente, usando-as você corre o risco de ter o alcance de seus posts reduzido e até prejudicar a eficácia das outras hashtags no seu post.
Print do bloqueio da hashtag em 2015
  • Gordofobia ainda não é crime, mas ofender alguém por causa da aparência pode ser:
    Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa

História de Fogo

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

BEDA #11 – Galeria: faça as pazes com a papada

Para quem ganha peso de repente uma das coisas que mais causa frustração é o quanto o rosto muda. E o rosto é um lugar que não dá para disfarçar ou esconder, nós temos que lidar com essas mudanças desde o começo e isso causa muito sofrimento para muitas mulheres. Meu rosto mudou bastante com o peso, meu nariz ficou mais largo, minhas pálpebras mais gordinhas (logo o olho ficou aparentando ser menor) e eu ganhei a tão temida papada. Eu nunca tive um rosto fininho, porque sempre fui bochechuda, mas as mudanças aconteceram muito rápido, foi muito difícil para mim associar que a mulher que eu via no espelho ainda era eu mesma. A disforia foi enorme e me deixou completamente perdida por muito tempo. Hoje em dia eu acho meu rosto lindo, até por isso retomei meu amor por maquiagem, mas não tem uma fórmula que eu possa ensinar para que vocês passem a amar o rosto gordo de vocês também. O que eu posso dizer é que a autoestima que recuperei com relação ao meu rosto tem mais a ver com quem eu sou, do que com me achar bonita ou me aceitar gorda. Quando comecei a me dedicar ao meu trabalho e comecei a ser reconhecida por ele, passei a querer ver o meu rosto em todos os lugares, a permitir que eu fosse mais fotografada (e até filmada), orgulho que eu sentia de mim mesma era muito maior do que qualquer insegurança que já senti com relação a qualquer parte do meu corpo. Então, tente primeiro amar quem você é e tudo o que você é capaz de fazer, talvez assim amar o resto venha com mais facilidade.

Dá uma olhada em quantas mulheres estão arrasando por aí com papadas belíssimas:

Jessica Torres

www.instagram.com/thisisjessicatorres

Hentai Hunny

www.instagram.com/shamelesscreature

Tess Holliday

www.instagram.com/tessholliday

Nicole Byer

www.instagram.com/nicolebyer

Jazzmyne

www.instagram.com/jazzmynejay

Margot Meanie

www.instagram.com/margotmeanie

Shawna

www.instagram.com/chubbycartwheels

Chrissy Metz

www.instagram.com/chrissymetz

Valerie Sagun

www.instagram.com/biggalyoga

Natalie

www.instagram.com/nataliemeansnice

Callie Thorpe

www.instagram.com/calliethorpe

Euzinha

www.instagram.com/ocabide

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.