Catwalk

Nós sempre falamos em livros sobre moda mas, raramente falamos sobre filmes de moda. E não, eu não me refiro a Bonequinha de luxo ou Sex and the city, existem muitos outros baseados na moda, que viraram moda ou sobre a moda, como ela é feita, usada ou fotografada.

Percebi que há poucas publicações falando sobre o filme Catwalk, então ele será o tema do meu post sobre moda para assistir.

Catwalk

O filme dirigido por Robert Leacock tem um elenco fashionista de peso, são muitos os nomes da moda que estrelam longa, entre eles Christy Turlington, Azzedine Alaïa, Giorgio Armani, Naomi Campbell, Helena Christensen, Grace Coddington, Cindy Crawford, Linda Evangelista, Gianfranco Ferré, John Galliano, Valentino Garavani, André Leon Talley, Jean-Paul Gaultier, Karl Lagerfeld, Isaac Mizrahi, Gianni Versace e Anna Wintour.

Ufa! Deu para perceber que todo mundo que é relevante na cena fashion deu pinta no filme, e esses nem são todos os nomes inclusos no casting!

O documentário da década de 1990, 1995 para ser mais exata, explora o mundo da alta moda, o roteiro é centrado na vida profissional da supermodelo americana Christy Turlington, durante suas viagens para cumprir Jobs da moda como desfiles e photoshoots.

Como não deixaria de ser, o figurino é destaque, sendo parte proeminente e essencial do documentário.

Catwalk

O filme lança, mesmo que de relance, um olhar sob o aspecto deslumbrado do mundo da moda e como o glamour envolve essa indústria.

Impossível seria não reparar na alienação das modelos e dos relacionamentos superficiais entre as pessoas, você acaba ficando sufocado pela sensação de que aquele mundo, o mundo da moda, é o único que existe. Durante todo o filme o diretor ignora esse aspecto, dando a impressão de que essa falta de um repertório que não seja o fashion não seja algo questionável, como se não houvesse problema algum em ser somente aquilo, o que eu acho que seria uma crítica importante, senão essencial, para a época em que o documentário foi feito.

Com tudo isso, eu ainda considero este filme como conteúdo relevante, muito do nosso comportamento em relação a moda nasceu naqueles bastidores, naqueles beijinhos falsos trocados entre designer e modelo. E com quase 18 anos desde sua filmagem, o documentário continua mostrando uma visão real da indústria da moda.

Assistir Catwalk exige paciência, não pelo filme, que é maravilhoso, mas porque é quase impossível encontra-lo em formato digital, ou qualquer outro formato. Eu sempre tenho dificuldades em encontrar bons arquivos para download, mas é fácil encontrá-lo no YouTube:

Infelizmente não encontrei legendado, na verdade não encontrei em nenhum outro player, tentei no Dailymotion também, e ainda procurei no Netflix e no Netmovies, também sem sucesso.

Vou procurar entre colegas de faculdade e professores, para ver se consigo um link legal, com o filme completo, e um link para download também, já que eu também não o encontrei para vender!

*imagens e vídeo: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Beleza Negra

Na temporada passada o estilista Walter Rodrigues inovou no casting, e ao invés de utilizar a cota de 10% de modelos negras que devem fazer parte dos desfiles, Walter colocou na passarela somente modelos negras, e lindas, diga-se de passagem!

A coleção era inspira da na África e foi Gracie Carvalho quem abriu o desfile.
Walter Rodrigues

Walter Rodrigues

Walter Rodrigues

Mais do que resgatar a essência da África nessa coleção, Walter Rodrigues levou para as passarelas a essência brasileira que surge de centenas e centenas de afro-descendentes que chegaram ao Brasil para conquistarmos nossos sonhos e depois de muita luta, conquistar os deles.

*Imagens: reprodução.

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.