BEDA #15 – Para musas fatness

A Wonder Size é uma marca de moda fitness plus size que vem inovando no segmento com muita cor, estampas empoderadoras e tecnologia têxtil.

A marca nasceu do sonho de duas mães empreendedoras, Amanda Momente e Marioli Oliveira. Após retornar grávida dos Estados Unidos e chegar aos 140kg durante a gestação, a corretora de imóveis Amanda se viu refém de roupas que não a representavam. Ao buscar peças para frequentar uma academia ela se deparava com o desafio de não ter o que vestir com mobilidade e conforto necessários para a prática de exercícios, além de não encontrar nada com o seu estilo descontraído e alegre. Ela produzia suas próprias roupas de ginástica com o auxílio de uma costureira. Depois de receber elogios pelas suas criações, surgiu a ideia de dividi-las com outras mulheres que, como ela, procuram se reencontrar e se reinventar através da moda e da qualidade de vida. Juntou-se à ela a designer Marioli Oliveira, uma feminista apaixonada por inovação, e assim nasceu a Wonder Size, marca de casual fitness cujas roupas vão da academia para as ruas e vice-versa.

Euzinha e Amanda Momente | Foto: Thaysa Wandeur

A marca tem participado de eventos por todo o país e criou o Wonder Day para se aproximar de suas clientes e desmistificar a presença de mulheres gordas em academias.

A marca comemorará seu primeiro aniversário no dia 25 de agosto, sábado, com um Wonder Day especial na Academia Ecológica Ecofit Aclimação, a primeira academia sustentável do Brasil, que fica no bairro da Aclimação, em São Paulo. Entre as aulas, que custam de 10 a 30 reais cada, estão muay thai, ginástica funcional, yoga e aula de dança com a dançarina Thaís Carla, que integra a equipe de bailarinos da cantora Anitta.

Confira a programação do 5º Wonder Day:

9h – 10h Muay Thai (15 vagas)
9h – 10h Quadra kids (12 vagas)
10h15 – 10h45 Funcional (10 vagas)
11h – 11h45 Eco Dance (20 vagas)
11h – 12h Quadra kids (12 vagas)
12h – 12h45 Yoga (20 vagas)
13h – 14h Quadra kids (12 vagas)
13h – 14h30 Aula de dança com Thaís Carla.

Para se inscrever nas aulas é só escolher quais opções quer fazer no fechamento da

Serviço:

5º Wonder Day @ Academia Ecológica Ecofit Aclimação
Data: 25 de agosto, sábado
Horário: 9h às 15h
Endereço: Rua Pires da Mota, 762 – Aclimação – São Paulo/SP (proximo ao Metrô Vergueiro – Linha Azul)
Estacionamento parceiro na academia: R$ 10 no dia do evento
As aulas custam de 10 a 30 reais cada e podem ser compradas pelo link no Sympla:
https://www.sympla.com.br/5-wonder-day-1-ano-da-wonder-size__336119
Para quem tem filhos, haverá atividades na quadra para crianças acima de 3 anos.
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/293112388107772/

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

BEDA #2 – 5 marcas de moda plus size para ficarmos de olho

Com o crescimento do segmento plus size, a influência das redes sociais e o aumento na confiança e determinação de quem usa tamanhos maiores, podemos ver com clareza as mudanças que começam a fervilhar na indústria da moda.

Esse é um cenário que favorece o surgimento de novas marcas. Me mantenho antenada sobre todas as novidades do segmento como parte do meu trabalho com marketing digital, mas também por ser o tipo de consumidora que está sempre em busca de lançamentos e novos estilos.

No post de hoje vou mostrar para vocês marcas que tenho acompanhado nos últimos meses e que prometem chamar atenção nas próximas temporadas.

Vangá

Eu já apresentei a Vangá para vocês no vlog que fiz no último Pop Plus. Desde então tenho acompanhado de perto suas novidades e o trabalho de Vanessa Pestilli, estilista e criadora da Vangá. Quase 100% das peças de suas coleções são feitas em moletom, tecido que temos visto no mix de marcas hypadas como Vetements e Supreme.

A Vangá traz peças com referências do underground, que foi marcado pela customização. Tachas, ilhoses, recortes e respingos de tinta emanam a essência noventista de quem passou muitos noites pulando de bar em bar na Augusta.

Mas também fica claro que existe uma doçura no olhar de Vanessa, que traz aqui e ali um coração, transparências ou um detalhe em renda que suavização e complementam muito bem o styling das coleções.

www.vangastore.com.br

Tamanhos: All Sizes

Titha

A Titha também é uma marca que eu já apresentei para vocês. Atualmente a marca criada por Tarsila Portela e sua família tem sido uma das minhas preferidas.

Para mim um dos maiores atrativos da Titha é a versatilidade de suas peças e o melhor exemplo disso é foto de que consigo usá-las para compor tantos looks, mesmo sendo alguém com um estilo mais alternativo.

A marca trabalha com sazonalidade, mas também lança várias novidades entre uma coleção e outra.

loja.tithaplussize.com.br

Tamanhos: P ao EG (plus size)

Bazi

A Bazi foi lançada no início deste ano e eu lembro de ter esbarrado nela no Instagram por causa do blazer vermelho que já é hit e as influencers plus sizes estão amando.

A marca tem tudo para ser mais clássica, mas apesar de criar peças mais usáveis para um target mais amplo, não foge da ousadia.

Suas peças são sensuais, a marca brinca com brilho (as peças em cirrê são lindas), recortes estratégicos e tem peças com um comprimento bem curtinho (que eu amo!).

www.bazioficial.com

Tamanhos: 46 ao 54

Nila

A Nila é uma marca mineira criada por Natália e Júlia (que é irmã da blogueira Lu Ferreira), suas peças trazem bastante informação de moda. As peças tem excelente acabamento e seus tecidos são a cara da riqueza!

Vemos alguns toques de cor na coleção, mas no geral a cartela de cores e mais neutra. O que eu sinto quando vejo as peças da marca é que elas foram criadas para nos fazer sentir charmosas. Mas não é um charme qualquer, é um charme cheio de bossa, de quem sorri com olhar, sabe?

usenila.com

Tamanhos: 46 ao 56

Lilavi

Criada por Camila Medeiros e Virgínia Cruz a Lilavi foi uma marca muito aguardada por todos que trabalham na indústria plus size.

Eu conheci a Camila em dezembro de 2016, na primeira edição em que estive no Pop Plus à trabalho, esse também foi o momento em que me contou sobre o seu sonho de abrir a própria marca e que já estava em fase planejamento para que o sonho se torna-se realidade.

A primeira coleção é ultrafeminina e traz uma das peças mais amadas no segmento, a saia godê, em várias opções de estampa. O mix de produtos também incluem algumas blusas e dois vestidos fofíssimos.

www.lilavi.com.br

Tamanhos: 48 ao 60

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Por aí: O Cabide no #PopPlus20

O Pop Plus chegou a sua vigésima edição com várias atrações incríveis, estreia de várias marcas lindas como a Alice Surtô, Berenix e Reizz e ainda várias marcas que lançaram coleções e novidades durante a feira. Entre elas estavam:

Clamarroca Plus – lançando sua coleção masculina
Chica Bolacha – lançando a coleção Fever Vol. 1
Zuya – lançando a coleção Entre estrelas
Assens – lançando sua linha de camisaria
Bold (Flaminga) – lançando coleção outono/inverno 2018 e a coleção Sleep and Lounge
Madee – lançando a coleção Blogguers
NaBeca Tamanhos Reais – lançando a coleção outono/inverno 2018
Rainha Nagô – lançando a coleção Lady Lake Black Flowers
Lambuzada – lançando as jaquetas dupla face
Wondersize – lançando as jaquetas corta-vento
Oh Querida! – lançando a coleção City Grrrl
Cor de Jambo Moda Praia – lançando top ciganinha, cropped Diva e calça envelope
Simone Troiano – fez um preview do outono/inverno

Euzinha no Stand da Alice Surtô usando vestido da marca

E dessa vez fizemos uma super cobertura do evento que contou com um lookbook com os looks mais lindos das gordas (e gordo) que estavam por lá:

Sempre que vejo a cobertura de eventos em outros sites e blogs percebo que as postagens referentes à lookbooks raramente incluem pessoas gordas. Então eu e a @thaysawandeur (fotógrafa oficial d’O Cabide) criamos um lookbook só com gordos como parte da nossa cobertura do @popplusbr! São looks cheios de personalidade e estilo, usados por pessoas que frequentaram e trabalharam no evento durante o dia 03/03. Esperamos de verdade que vocês gostem e que no futuro façamos muito mais lookbooks como esse! #popplus20 #paracegover Esse é um álbum com 10 looks usados por pessoas gordas e muito estilosas durante o Pop Plus. Envie uma mensagem se você gostaria de ter uma descrição completa de cada um desses looks.

A post shared by O Cabide por Nic Duarte (@ocabide) on

Também fizemos um vlog lindo de viver:

Além do lookbook nossa fotógrafa, Thaysa Wandeur, também arrasou nos cliques que fez enquanto passeávamos pelo evento:

NaBeca Tamanhos Reais

 

Vintage and cats

 

Aline França – Estilo Curvas

 

Ju Romano e Isabella Trad

 

Nic Duarte e Amanda Momente

 

Wondersize

 

Clamarroca Plus

 

Mary Help

 

Blossoms

 

Ackon

 

Rouge Marie

 

Wondersize

 

Imani Plus Size

 

Imani Plus Size

 

Garotas FDP

 

Titha Plus Size

 

Fofura Pimenta

 

Nic Duarte e Flávia Durante

 

Lambuzada

 

Alice Surtô

 

Vestgrande

 

Thalita Laleme Store

 

Chica Bolacha

 

Chica Bolacha

 

Gina Yamamoto
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Tá vendo aquela lua, que brilha lá no céu (desculpa não resisti ao trocadilho)

A moda é o melhor e mais apurado registro do espírito dos tempos. Pensa bem, nos últimos anos tivemos que lidar com guerras, terrorismo,Temer e Trump, como as tendências reagiram? Unicórnios e sereias se tornaram o centro de tudo, da roupa até a maquiagem. Em um momento difícil buscamos refúgio no lúdico.

Continuamos vivendo uma fase conturbada, o assédio sexual está em pauta constantemente (tem muita sujeira saindo debaixo do tapete, né?), os fascistas decidiram mostrar as caras, a economia está em crise no mundo todo, o desemprego está em alta e nós, os chamados millennials, somos considerados como uma geração perdida, sem identidade e sem prospectos para o futuro. Nós estamos o tempo todo, sem sucesso, em busca de respostas para perguntas que nem sabemos de onde surgiram. Foi assim que os astros ganharam a vez, fomos buscar respostas no místico e o zodíaco voltou a ganhar força no século XXI.

Deixamos de lado os unicórnios e passamos a vestir nossos signos, nos maquiar com as cores de pedras místicas e nos cercar de símbolos com significados enigmáticos.

Então esse é o momento de investir em peças com estampas que remetam ao que vem do céu (por isso o título infame para esse post). Planetas, nebulosas, estrelas e cometas são bem vindos. E você vai encontrar tudo isso na coleção THE FEVER – VOLUME 1, da marca Chica Bolacha, que vocês sabem que eu amo! A coleção foi lançada na última quarta-feira (28), trazendo vestidos atemporais em tule e jaquetas statement,  e foi feita pensando nas grandes cidades e nas mulheres ocupando estes espaços.

Dá uma olhada:

E se você está amando essa tendência também vai curtir esses itens:

Choker Estrelado – Ziovara
Case – Gocase
Oxford – Insecta Shoes
Bath bomb Rocket Science – Lush

 

Se você vai estar em SP neste final de semana, poderá conferir a coleção da Chica Bolacha no Pop Plus:

20º Pop Plus
Quando: 3 e 4 de março de 2018, sábado e domingo, das 11h às 20h
Onde: Salão Grand Real do Club Homs – Av. Paulista, 735 (Metrô Brigadeiro) – São Paulo/SP
Quanto: entrada gratuita

E você, também busca respostas no cosmos?

 

P.S.: Essa é só uma entre várias teorias que relacionam comportamento e consumo, se vocês quiserem um post mais aprofundado sobre o assunto me avisem nos comentários.

*imagens: Reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Os favoritos de 2017 (ainda dá tempo?)

Demorei para fazer esse post, mas garanto que 2018 será diferente, inclusive já tem uma porção de posts lindos prontos para entrarem aqui no blog. Então, mesmo sabendo que já estamos quase em março, queria fazer um post para registrar as coisas que mais amei em 2017 e para tornar esse post em algo mais interessante para todos nós, também vou falar sobre o que podemos esperar desses favoritos em 2018.

 

Maquiagem

Apesar de terem sido lançados em 2016, só me rendi aos batons da Linha Bruna Tavares em 2017. Para mim essa é a melhor fórmula de batom líquido entre as marcas nacionais, a duração é surpreendente e mesmo assim eu não tenho problemas para retocar (não fica grosso ou esfarela com mais de uma camada), nem para remover no final do dia. A pigmentação é maravilhosa e a variedade de cores é surreal!

O amor é tanto que passei a colecionar os batons, mesmo sabendo que a Bru lança cor nova o tempo todo e a coleção nunca vai estar completa.
Para esse ano estou ansiosa para o lançamento dos iluminadores da marca, a Bru já soltou vários spoilers no Instagram (e até no blog) e eles são lindos. Serão iluminadores compactos, que já conta com três cores, e os líquidos, que até o fechamento desse post ainda não tinha as cores que seriam lançadas definidas, mas já sabemos que eles serão à prova d’água!

Livro

Felizmente 2017 foi um ano em que eu consegui ler muito por lazer. E meu livro preferido do ano com certeza foi “A Guerra Não Tem Rosto De Mulher”, da escritora russa Svetlana Aleksiévitch. O livro conta a história real de algumas das mais de um milhão de mulheres que serviram o Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial. São histórias tão densas, cruas e brutas que transcendem qualquer definição do feminismo moderno para o que é a força da mulher.

Compre a versão impressa ou para o Kindle

Foi um livro muito dolorido de ler, mas mesmo que eu estivesse me sentindo assombrada pelas lembranças dessas mulheres, eu não conseguia parar de ler. E quando acabei me senti triste, não só pelo vazio que fica quando lemos um livro marcante, mas porque tudo isso aconteceu e ninguém nunca tinha falado sobre isso. Essas mulheres sacrificaram suas vidas e seus futuros para mudar o mundo, no meio de uma das guerras mais sangrentas do século passado e ninguém nunca se preocupou em reconhecer esse esforço. Sem elas o Exército Vermelho não teria conseguido a vitória, mas quando se fala dos veteranos dessa guerra, a história dessas mulheres é completamente ocultada.
Agora quero ler “Vozes de Tchernóbil”, onde Svetlana conta a história do desastre nuclear que aconteceu em 1986, na Ucrânia. Já assisti vários documentários sobre o assunto e estou ansiosa para ver como a autora usou a história real de pessoas envolvidas no acidente para traçar esse acontecimento histórico e ao que tudo indica ela também faz críticas bem claras às questões políticas que sondaram o desastre.

Série

Eu não assisti nenhuma das séries que bombou em 2017. Eu tive um ano muito atarefado, estava sempre ocupada e lidando com milhares de coisas ao mesmo tempo. Quando estou assim, por algum motivo, não consigo assistir séries novas. Sabendo que não vou conseguir me dedicar exclusivamente a nada novo, acabo ficando sempre na zona de conforto e assistindo coisas que eu já assisti e que eu já tenho certeza que me ajudam a ficar menos ansiosa e me desligar do mundo.

Assista na netflix

Mas teve uma série que eu descobri no ano passado que conseguiu me prender, trata-se de Crazy Ex Girlfriend, que é uma série de humor musical, que já conta com duas temporadas disponíveis na Netflix. Ela é protagonizada por uma mulher que está longe de atender os padrões estéticos, mas isso não é mencionado a cada 5 minutos como um troféu de inclusão e diversidade. É uma mina normal, com piras normais, que muitas vezes são resolvidas com comportamentos bem duvidosos. Inclusive ela mesma questiona a raiz do seu comportamento o tempo todo. É uma série engraçada, que se esforça para reforçar tendências feministas (sim, mesmo com esse título horrível) e trata dos desastres das vidas amorosas de todos os personagens, incluindo situações que mostram aceitação, bissexualidade, temas relacionados à saúde mental e até aborto. Rebecca Bunch vai fazer com que você sinta um senso de normalização com o seu corpo e com as suas presepadas de cada dia, no amor, no trabalho e nas amizades. E eu acho isso ótimo!

Marca

Como eu estudei e trabalhei bastante com moda, tenho um olhar um pouco mais crítico sobre o mercado. Todo ano o segmento plus size ganha centenas de novas marcas e eu acompanho tudo de perto (porque faz parte do meu trabalho, porque eu amo moda e porque a base do meu comportamento de consumo está nesse tipo de informação). Sempre que posso frequento os eventos, tenho alertas no Google para alguns termos e sempre vejo todos os vídeos e editoriais lançados. Então, pode-se dizer que tenho muitas referências sobre moda plus size em meu repertório. Em todo esse tempo acumulando essas informações notei algo que é muito comum em muitas marcas, mas não deveria ser: a falta de estrutura nas coleções. Eu sinto falta de ver coleções mais coesas, elaboradas da forma mais tradicional, com um styling bem pensado que nos faça compreender que a coleção é um todo, não apenas um conjunto de peças aleatórias.

Foi por isso que me apaixonei pela Alt, marca criada pela blogueira Débora Fomin, que foi lançada no ano passado. A Alt já está na segunda coleção e mesmo que você não leia seus releases você consegue ver que as peças contam uma história, além disso o styling é impecável e todas as peças conversam bem entre si. Já tenho várias peças da marca (inclusive já fiz fotos com alguns looks que montei com elas) e pretendo comprar várias outras. Além das roupas serem lindas e diferentes de muito do que vimos nesse mercado, elas têm uma qualidade excelente, os tecidos são resistentes e muito confortáveis, também amo o acabamento das peças, que é algo em que muitas marcas pequenas pecam.

Já era fãzona da Debas por causa do Overlicious e não vejo a hora de ver as próximas coleções!
Se você quiser conhecer a marca, aproveite que a Alt vai estar no próximo Pop Plus!

YouTuber

Eu sempre digo que quem me conhece sabe que eu passo muito mais tempo do que deveria no YouTube. Sou viciada em vídeos de maquiagem e os assisto diariamente, mas no ano passado descobri também os vídeos de hauls e “I spent on” que são focados em moda.  Foi assim que conheci a Sarah Rae Vargas, e eu amo os vídeos dela não só porque ela é linda e bem articulada, mas também porque me ajuda a ter uma compreensão bem maior sobre as marcas de moda plus size americanas. Ela usa tamanho 50/52 e também faz hauls com marcas que não são conhecidas tipicamente por disponibilizarem peças em tamanhos grandes, como a Urban Outfitters, por exemplo.

O canal dela também conta com vídeos que falam sobre as dificuldades que permeiam a vida da mulher gorda, sobre gordofobia e sobre comportamento feminino e apesar de amar muito os hauls esses são os vídeos do canal dela que estou mais ansiosa para acompanhar durante esse ano.

Skincare

Você pode até nunca ter usado o Serozinc, mas se está no Instagram com certeza já ouviu falar do produto. Na época do lançamento ele foi super hypado porque a La Roche fez posts patrocinados com várias influencers. Eu achei o produto na farmácia por acaso, antes mesmo desse burburinho. Comecei a usar e mesmo sem ter o resultado esperado inicialmente decidi persistir. A verdade é que, se você tem a pele MUITO oleosa, ele não vai ser o milagre matificante que promete. Então, se você vai comprar só por esse motivo, não sei se recomendo. Mas com o uso contínuo percebi que ele faz muito bem para a minha pele! Além da oleosidade também lido com acne cística, o que é um porre, porque os cistos e espinhas demoram uma eternidade para sumir. Usando o Serozinc percebi que minha pele ficou menos propensa à cistos e eu até tenho alguma acne, mas agora as espinhas são menores e muito menos inflamadas.

Compre aqui

Também gosto de usar como preparação para a maquiagem porque, combinado com a base e o pó certos, ajuda a matificar até mais do que usando apenas como skincare. Vou continuar usando com certeza, acho que já estou no quinto ou sexto frasco, mas nesse ano também pretendo voltar a tratar a pele com um dermatologista e fazer alguns procedimentos para me livrar das cicatrizes e de algumas outras marcas que tenho no rosto.

Haircare

Quem segue O Cabide no Instagram sabe que eu passei 2017 investida em deixar meu cabelo crescer um pouco e experimentar novos cortes. Essa seria a primeira vez em anos que eu me importaria com os cuidados ao meu cabelo, afinal eu usei ele curtíssimo por muito tempo e o máximo que fazia era lavar e finalizar com pomada, cera ou gel.
u tive que ler bastante sobre o assunto e experimentar muitos produtos antes de acertar o que funcionava para mim. Mas um dos primeiros produtos que experimentei ganhou meu coração e hoje em dia eu não vivo sem: a Água de coco da linha Tô de cacho, da Salon Line.

Compre aqui

Trata-se de um spray que ajuda a ativar os cachos e mantê-los hidratados. Para mim ele indispensável no day after, porque me ajuda a ganhar de volta a definição sem precisar usar um monte de leave in, assim o cabelo continua com o aspecto leve do dia em que eu lavei.

A Salon Line lança produtos novos o tempo todo, então eu não sei o que esperar para 2018, mas estou ansiosa para experimentar a linha Maria Natureza, que é vegana e liberada.

Sapato

Eu sempre quis um coturno colorido e sempre quis um coturno da Cravo & Canela. Em 2017 eu juntei esses dois desejos em um produto só! Comprei um coturno vinho, da Cravo & Canela, com precinho de promoção na Renner. Com certeza foi o sapato que eu mais usei durante o inverno passado e com certeza usarei muito nos próximos invernos também.

Veja ess post no Instagram

Agora que já tenho meu sonhado coturno, até vou continuar acompanhando as novidades da Cravo & Canela, mas estou mais animada para os lançamentos de marcas como a Ziovara (que também tem moda plus size) e a Yellow Factory.

Job

Eu fechei 2016 trabalhando para uma marca plus size, lá acompanhei o reposicionamento da marca, ajudei na criação de coleções, planejei participações em eventos, acompanhei a produção de editoriais e fui responsável por toda a comunicação on e offline. Foi uma experiência muito enriquecedora que me trouxe muitas outras oportunidades. Por isso 2017 foi o ano em que eu deixei de ser funcionária e passei a ser uma empresa. Conteúdos criados por mim rodaram o país todo e foram vistos por milhares de pessoas em redes sociais, blogs e revistas. Tive a chance de trabalhar com marcas e projetos incríveis e me orgulho muito de todas essas conquistas.

Mas tem um job que merece um lugarzinho especial no meu coração! Desde agosto do ano passado faço parte da equipe do Pop Plus e sou responsável pelo conteúdo do blog do evento. Esse job me fez repensar meu processo criativo e me apresentou algumas das pessoas mais maravilhosas que já conheci. Sou muito grata a Flávia Durante, não só pela oportunidade, mas pela liberdade e confiança que ela tem no meu trabalho. E esse é um trabalho que continua em 2018, mas eu tenho outros projetos MUITO bacanas alinhados para os próximos meses, não vejo a hora de contar para vocês!

Meu primeiro post no blog do Pop Plus

Acompanhe meus posts no blog do Pop Plus: http://popplus.com.br/blog/

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.