BEDA #7 – 33 fatos sobre mim

Já faz alguns anos que escrevo um post especial quando faço aniversário. Leonina que sou e prestes a completar 33 anos (20/08, aguardo presentes!) de puro charme e sensualidade, decidi fazer um post inteirinho sobre mim.

Confira 33 fatos sobre mim que não vão mudar em nada sua vida (e provavelmente não mudaram muita coisa na minha também):

1 – Eu não sei nadar.

2 – Também não sei andar de bicicleta (na primeira que tentei quebrei o braço em 3 lugares).

3 – Eu não tomo café.

4 – Eu sou viciada em batons, tenho uma coleção extensa, mas nunca gostei do Ruby Woo.

5 – Minha cor preferida é e sempre foi roxo, de acordo com a minha mãe essa sempre foi a cor que eu escolhia para tudo desde bem pequena.

6 – Eu sou notoriamente conhecida pela minha cara de brava, mas dizem por aí que sou pura fofura.

Brava ou fofa?

7 – Eu aprendi a ler antes de ser oficialmente alfabetizada, a primeira pessoa a perceber foi meu irmão que me viu lendo um outdoor em voz alta.

8 – A primeira vez que disse “Vai tomar no cú” eu tinha 2 anos.

9 – Eu tenho até hoje primeiro livro que escolhi sozinha na livraria: Zé Diferente de Lucia Pimentel Goes.

10 – Também tenho até hoje o primeiro livro que comprei com a minha mesada (em Cruzeiro Real): Como educar seus pais – Obrigado Esparro, de César Cardoso.

11 – Eu ganhei minha primeira máquina de costura com 5 anos. Ela era cor de rosa, era de brinquedo, mas fazia costura reta de verdade.

Mini Nic

12 – Eu aprendi a falar inglês antes dos 12 anos, era meu sonho e eu sabia que não teria grana para fazer curso na Cultura Inglesa, como muitos dos meus amigos faziam, então me virei, estudei sozinha e aprendi.

13 – Já tomei porre de porradinha com meu pai. Tomem porres com seus pais!

14 – Fiz minha primeira tatuagem com 16 anos, ela é péssima, teve época em que quis fazer laser, teve época em aceitei ela como parte da minha história, mas essa ano decidi finalmente que vou cobri- la. Vocês vão acompanhar todo o processo em breve!

15 – Já fiz um piercing em casa com uma amiga, compramos a joia e a agulha em um estúdio, eu marquei e ela furou. NÃO FAÇAM ISSO!

16 – Sou viciada em Coca Zero.

17 – Eu tenho um paladar bastante apurado e amo conhecer novos sabores, mas minhas comidas preferidas são Sucrilhos e queijo quente.

18 – Eu fiz (e obviamente não terminei) curso técnico em informática.

19 – Eu só experimentei lanches do Mc Donalds quando tinha 14 anos.

20 – Eu tive uma fase muito clubber, ia na Over Night (na Mooca) todo sábado, com direito a ansiedade especial quando era o Marky que ia tocar!

Over night | Foto: Veja SP

21 – Quando eu era adolescente meu objetivo era estudar para ser perita criminal.

22 – No final de 2014 comecei a me preparar para ir passar um ano na Irlanda. Já estava tudo resolvido, mas sempre que ia fechar os detalhes da ida, algo acontecia e eu tinha que ficar. Pouco depois meu pai faleceu e eu percebi que não teria que sair daqui para recomeçar minha vida.

23 – Você jamais me verá em um boliche, campo de paintball ou karaokê.

24 – Eu passei minha vida toda acreditando que calçava 36 e na verdade eu calço 37.

25 – Eu desisti do skate, do futebol e de jogar na Live por causa da forma como era tratada por homens nesses ambientes.

26 – Eu nunca tive cabelos compridos, o maior comprimento que minhas madeixas tiveram foi na altura dos ombros.

Em 2013

27 – Eu tenho 12 tatuagens.

28 – Eu só gosto de ganhar flores se elas estiverem plantados. Não vejo utilidade em flores cortadas.

29 – Eu estive em três lugares que considero meus preferidos no mundo: Lençóis na Chapada Diamantina (BA), Praia do Mariscal – Bombinhas (SC) e Santiago no Chile.

La Chascona – Santiago

30 – Sou ovo-lacto vegetariana, o motivo que me faz parar de comer foi a morte do meu pai. Eu fiquei muito tempo sem saber como lidar com a situação, mas sabia que não queria mais que houvessem mortes desnecessárias na minha vida.

31 – Já posei nua.

32 – Deixei de trabalhar como maquiadora porque não tinha habilidade social e emocional para lidar com clientes.

33 – De acordo com o Spotify minha música mais ouvida no momento é Inconsequente da Drik Barbosa.

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.