Cinquenta vestidos

Dando a sequência aos posts da Coleção 50, dessa vez vou falar do livro que apresenta os elementos que tornaram icônicos vários vestidos de diversas épocas.

Cinquenta vestidos que mudaram o mundo é um prato cheio para os fascinados por vestidos, nós sabemos que dificilmente as pessoas vão levar a moda a sério quando se trata da história, mesmo quando é evidente que sem ela, seria praticamente impossível contar a história de todo tipo de sociedade.

Muitos jamais admitiriam que certos vestidos foram essenciais no registro dos eventos mais marcantes, o livro fala justamente sobre isso, cinquenta livros que tiveram impacto considerável na história da moda.

Confiram alguns modelos:

Cinquenta vestidos

Vestido branco plissado de Marilyn Monroe em “O pecado mora ao lado”, William Travilla, 1955

Cinquenta vestidos

New Look, Christian Dior, 1947

Cinquenta vestidos

Delphos Plissado, Mariano Fortuny, 1915

Cinquenta vestidos

Pretinho básico usado por Audrey Hepburn no filme “Bonequinha da Luxo”, Givenchy, 1961

Cinquenta vestidos

Vestido feito com 15 mil luzes de LED, Hussein Chalayan, 2007

E aí, vocês acham que um vestido pode mudar o mundo? Tenho certeza que podem fazer refletir e influenciar uma mudança cultural e social, principalmente porque será o responsável por comunicar essas mudanças ao longo do tempo.

Cinquenta vestidos que mudaram o mundo
Design Museum
Tradução: Cristina Bazan
Editora Autêntica

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

A moda evoluindo

Em 2007 o genial estilista Hussein Chalayan desfilou em Paris uma coleção primavera/verão que reconstruiria a história da moda mudando-a para sempre. No encerramento deste desfile, seis looks ultra modernos surgiram na passarela, os vestidos se movimentavam, transformando-se sozinhos, ato possível por conta do uso da tecnologia em seu desenvolvimento.
Hussein Chalayan

Hussein Chalayan

O primeiro vestido era uma indumentária de 1906, que se transformava em algo vindo de 1916 e depois em 1926. Assim ela acabou com um vestidinho flapper dos anos 1920.

O próximo vestido era de 1926 e evoluía para 1936 até 1946.

O último vestido passeava entre 1986, 1996 até 2007.
Hussein Chalayan
Por baixo de cada saia um sistema desenhado pela empresa 2D3D faziam com que as roupas se movimentassem, subindo as barras ou prendendo a linha do busto nas costas das modelos, fechando ou abrindo zíperes.

Você pode ter uma idéia de como funcionava esses mecanismos assistindo ao vídeo de seu desenvolvimento. (clique aqui)

E eu altamente recomendo que vocês vejam o desfile completo! É simplesmente mágico!

Vale lembrar que em meados de 2009 quando Lady Gaga se tornava um ícone pop, famosa pelo estilo criado por seu stylist Nicholas Formichetti, apareceu usando um “Vestido Bolha” idêntico ao que foi exibido nesta coleção de Chalayan, e que fazia parte do figurino permanente da sua Fame Ball Tour. O plágio foi descarado e causou polêmica, era o momento em que Gaga dizia incansavelmente em entrevistas e durante os shows o quanto ela era “única” e “original”.

Hussein Chalayan

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.