Croquis dos estilistas da Casa de Criadores

A próxima edição da Casa de Criadores está chegando, e como sempre nós estaremos por lá para conferir tudo de perto e trazer tudo em primeira mão para os cabideiros. A CdC, como vocês já devem saber esse é o meu evento de moda favorito, por representar tudo o que O Cabide acredita quando se trata do futuro da moda no nosso país.

A Casa de Criadores investe em novos estilistas e no futuro deles, além de ser o principal evento do país a abrir espaço para estudantes mostrarem seu potencial.

Para começar o aquecimento para a temporada inverno/2015 vamos mostrar o croqui de alguns dos estilistas do line up e falar sobre a coleção que ele vão mostrar:

Casa de Criadores

Estilista: Fernando Cozendey
Sobre a coleção:A coleção de inverno 2015, chamada “FÊNIX”, traz 26 looks em uma cartela monocromática vermelha e tem como inspiração a vulnerabilidade emocional. Vazados, grafismos que lembram raios e corações são desenhados nos tecidos elásticos, tecnologicamente desenvolvidos pela Sayoart Têxtil, explicitando um processo emocional que vai da destruição/depressão/desespero até reconstrução/força/esperança. E a Fênix surge no final varrendo, transmutando e trazendo um novo fôlego para a existência, pois a única coisa que não podemos abrir mão é de sermos nós mesmos.”

Casa de Criadores

Estilista: Martins Paulo
Sobre a coleção: “Estreante no line-up do evento, o estilista piauiense apresenta uma coleção que teve como ponto inicial a obra A tempestade, de Willian Shakespeare, associada a referências esportivas. “Acredito que o mix de referências cria uma imagem moderna e decidida”, conta o estilista. Os tecidos sintéticos predominam: couro, camurça, vinil, malha resinada, algodão, tecidos telados e transparências. Cores: preta, cinza, azul e branca. A silhueta é ajustada e desenha o corpo. Destaque para os prints de raios e tempestades, a pegada esportiva e as formas ajustadas em tecidos quase futuristas. Neste trabalho existe também uma vertente sustentável e social: algumas peças foram desenvolvidas em parceria com uma associação de artesãs que transforma garrafas pet recicladas em diversos objetos de design.”

Casa de Criadores

Estilista: Gralias
Sobre a coleção:A coleção de inverno 2015 da Gralias fala sobre acumuladores. As estilistas da marca, Julia Guglielmetti e Grazi Cavalcanti, voltaram os olhares para dentro da própria empresa ao perceberem a quantidade de tecidos, aviamentos, linhas e outros materiais que juntaram ao longo do tempo. Com isso criaram a história de um personagem viciado em acumular. O ponto de partida para as formas dos looks veio do guarda-chuva, com modelagens amplas e soltas. Já a cartela de cores é viva, uma característica da dupla, que também trabalhará com o contraponto de tecidos pesados usados com chiffon e textura com bordados de pedraria e linha.”

Casa de Criadores

Estilista: Tilda
Sobre a coleção: “A marca, do estilista Anderson Tomaz, apresenta um inverno influenciado por uma forte corrente dos anos 1960: a moda espacial e futurista (marcada pela chegada do homem à Lua). Assim como nas duas últimas edições da Casa de Criadores, a Tilda continua reforçando seu streetwear cool. Alguns looks trazem informações geralmente encontradas nas roupas dos astronautas, como utilitários (zíperes, velcros, botões), capacetes, e os tecidos dupla face. As cores seguem as inspirações 60’s e giram em torno do preto e do branco, com algumas aplicações em cinza e prata. “Também optei por preto e branco para ter a liberdade de usar muitas texturas, estampas e diferentes tecidos”, conta Anderson Tomaz. Essa mistura conta com elementos como paetês, babados, rendas, malhas, lãs, estampas gráficas, tramas de alumínio, nylon, entre outros. A modelagem, especialidade do estilista mineiro, vem mais volumosa, amórfica e em camadas nas peças femininas, enquanto que nas masculinas é mais justa ao corpo. As peças também apresentam sobreposições e amarramentos.”

Casa de Criadores

Estilista: Diego Fávaro
Sobre a coleção:A coleção OXIGÊNIO é experimental, 100% em neoprene e se desdobra em 10 looks (cinco masculinos e cinco femininos), passando pelo off white, preto, até chegar no vermelho total. O tema surgiu através de uma reflexão do que o mundo vem passando ambientalmente, e de que forma estes problemas de refletem na vida das pessoas. “O oxigênio é um elemento químico representado na tabela periódica pela letra O. Então resolvi pegar esta simbologia para desdobrar toda a coleção”, conta o estilista que fez recortes em formatos circulares. A silhueta base é completamente solta e reta, sem marcar o corpo. Destaque para as cores fluorescentes em calçados e mochilas. Acessórios: óculos circulares, toucas de lã e luvas emborrachadas.”

Casa de Criadores

Estilista:Rafael Caetano
Sobre a coleção: “A coleção Insígnia tem como inspiração o escotismo. Dos escoteiros, foram extraídos elementos concretos como as próprias insígnias, a casa, e o ambiente que os reverbera, e outros mais abstratos, como a honra, a procura de sentido e a luta por um ideal. Com silhuetas curvas, as peças são compostas pelas cores vinho, terra, bronze, branco e pele. Tecidos: sarjas, mousseline, bojo espuma, foil e feltro.”

Casa de Criadores

Estilista: Raphael Debei
Sobre a coleção: “A marca traz moda masculina com fortes acentos de alfaiataria. A coleção tem como tema central a Serra Pelada, com referências de workwear dos anos 1980. Destaque para as jaquetas curtas, camisas de veludo e estampadas. “Procurei misturar peças de trabalho com alfaiataria. Durante o desfile, eu conto a história de um homem que largou tudo para tentar a vida na Serra Pelada”, conta o designer. A história é contada através da modelagem (mais ampla) e das cores (tons de verde, areia, marrom, dourado e vermelho). Tecidos: Desde couro até tactel, passando por tricoline, plush, tecidos clássicos de alfaiataria, entre outros.”

Casa de Criadores

Estilista: Gefferson Vila Nova
Sobre a coleção: ” A coleção (exclusivamente feminina) nasce da simbiose entre o corpo de bases tropicais e o universo das lutas marciais. O shape é ora amplo, ora slim fit, uma leitura sportwear de materiais nobres como jacquard, brocado de renda, veludos e lamê em contraponto com metalasse de nylon e malharia. Destaque para a manga japonesa, vedete da coleção. Cores: preta, laranja queimado e azul. O designer tem sua ligação com a indústria da moda desde 2007, quando participou como estilista convidado do Capital Fashion Week em Brasília e teve seu trabalho elogiado pelo renomado estilista Jum Nakao. Seu currículo inclui ainda a participação em feiras internacionais como Pure London (2010) e a Prêt-à-Porter Paris (2010).”

Casa de Criadores

Estilista: Rober Dognani
Sobre a coleção:Intensidade, drama, caos. Uma tribo de nômades góticos que viaja o mundo serviu de inspiração para o Inverno 2015 de Rober Dognani. Urbano, esse clã não se restringe aos guetos – transita do universo underground ao mainstream, nos hemisférios norte e sul, no oriente e ocidente, nesse plano e no além. O estilista dá continuidade ao trabalho iniciado na temporada passada e amplia a utilização do látex. Matéria-prima predominante nessa coleção, ele aparece em diversas formas, dando nova textura ao jeans, renda, malha e tricô. Distante de sua utilização no universo fetichista, para Rober ainda há diversas possibilidades de trabalhá-lo, não só nas peças conceituais feitas especialmente para o desfile, como para a coleção comercializada em loja. Cor intrínseca do DNA de sua marca, o preto é tom único nas linhas feminina e masculina, essa última estreando na passarela do estilista. Construídos a partir do trabalho de moulage, vestidos, blusas, saias, tops e calças ganham forma com a combinação de tecidos como mousseline, tule com elastano, tricô, jeans, malha, renda e couro. Máxi saias, vestidos esvoaçantes, transparências, sobreposições e o contraste de volume com fluidez pontuam o inverno de Rober Dognani. Destaque para o minucioso trabalho feito em plissê e para a base de T-shirt, que aparece não só em versão box como em vestido. Nós pés, sandálias em couro e botas em jeans com amarrações.”

A Casa de Criadores acontece entre os dias 27 e 30 de outubro, no Viaduto do Chá, siga O Cabide no Instagram (@ocabide) para acompanhar as novidades!

*imagens: divulgação

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Casa Cravo&Canela

No final do mês passado falei aqui na sapateira sobre a parceria entre a estilista Fábia Bercsek e a marca Cravo&Canela, que busca agora uma nova direção criativa. Como parte dessa nova fase a Cravo&Canela lançou uma parceria com a Casa de Criadores, trata-se da Casa Cravo&Canela, uma coleção-cápsula com 15 modelos de tênis criados por 15 estilistas da CdC.

Os estilistas escolhidos foram Ale Brito, Anderson Tomaz (Tilda), Arnaldo Ventura, Danilo Costa, Fernando Cozendey, Gefferson Vila Nova, a dupla das Gralias, Gustavo Carvalho, Igor Dadona, Jadson Raniere, Karin Feller, Kauê Bueno, Nathan Souza (Nosotros), Rafael Caetano e Tarcísio Brandão, a coleção foi lançada durante o último final de semana (18/10) em uma festa na loja Choix.

As vendas começam online em um hotsite, a partir do dia 27/10, os preços variam entre R$ 215 e R$ 420.

Confira alguns modelos:
Gralias
Gralias
Karin Feller
Karin Feller
Tarcísio Brandão
Tarcísio Brandão
Danilo Costa
Danilo Costa
E o teaser:
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=bajnjYqzzKw]
*imagens e vídeo: reprodução
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Segundo dia

O segundo dia de desfiles da Casa de Criadores iniciou com o desfile do concurso Art Experience, composto por criações dos vários estilistas do line up. Diversos looks foram apresentados dos mais conceituais aos mais comerciais, eu particularmente gostei muito dos looks da Karin Feller e da marca Tilda, mas foi o vanguardista Walério Araújo que ganhou o primeiro lugar.

Walério Araújo - Casa de Criadores

Na sequência vieram os desfiles do Projeto Lab, no post de ontem falei um pouco sobre o projeto, e eu estava ansiosa para ver as coleções da marca Tilda, que era iniciante, e da marca Gralias, que já conhecia de edições anteriores.

Gostei do que vi no desfile da Tilda, mas percebi que apesar de ter sido uma coleção bem pensada, não foi uma coleção tão bem elaborada. Mesmo assim o estilista promete, um pouco mais de experiência e um bom styling farão toda diferença em suas próximas coleções.

Tilda - Casa de Criadores

Já a marca Gralias ganhou meu coração, e foi para mim um dos pontos altos da noite. As estilistas Julia Guglielmetti e Grazi Cavalcanti, levaram para passarela uma coleção inspirada no Jokempô. O que o papel vestiria pra matar a pedra. O que a pedra vestiria para matar a tesoura e o que a tesoura vestiria para matar o papel. As cores e os tecidos vazados com uma estampa que representavam o jogo eram belíssimos. Destaque total para a mistura de texturas!

Gralias - Casa de Criadores

Hoje é o 3ª e última noite de desfiles, vamos ver o que vai rolar!

Acompanhe com a gente através do Instagram.

*imagens: divulgação

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Preview Casa de Criadores

Geralmente junto com o preview das coleções os estilistas enviam seus croquis, e esta é uma ótima oportunidade para analisarmos os processos de criação de cada um, e como estes podem nos influenciar quando chegar a nossa vez de colocar nossas ideias no papel.

casa-de-criadores-danilo-costa-verao-2014-croqui-ocabide

DANILO COSTA se inspirou na música “Dirty Paws”, da banda islandesa Of Monster and Men, para criar uma coleção cheia de estamparia e texturas molhadas e brilhantes, rígidas e esvoaçantes. A canção, que tem tema folclórico, dispensa um sentido lógico, assim como as peças que podem ser de sarja, alfaiataria, resinado, organza, malha prene, lycra entre outras misturas. As cores são o rosa flúor, uva, verde lago, amarelo, azul, ouro e preto. Danilo aposta na bolsa masculina, colares, brincos e pulseiras.

casa-de-criadores-fernando-cozendey-verao-2014-croqui-ocabide

FERNANDO COZENDEY com coleção intitulada OCEANO traz para o verão 2014 o universo do fundo do mar. Elementos como seres mitológicos, algas, conchas, moluscos, peixes, mamíferos e crustáceos são representados de forma lúdica em maiôs, vestidos e macacões.  Com uma cartela colorida com branco, preto, coral, amarelo, nude, jade, azul, roxo, vermelho, verde neon e rosa neon; as peças apresentam modelagens inéditas e híbridas, com recortes, volumes e armações.

casa-de-criadores-karin-feller-verao-2014-croqui-ocabide

KARIN FELLER trouxe sua inspiração de Maceió, mais especificamente das garrafinhas de areia colorida. A silhueta é trapézio, com aplicações de penduricalhos, cordas e texturas de rede de pesca. Na estampa o Ararípe, pássaro típico da região, aparece em tecidos fluídos e transparentes. A cartela de cores é bem suave, com muito branco, off-white, creme e tons pastel, mesclados com pitadas de violeta, coral vibrante e azul piscina.  Os acessórios se inspiram no colorido do artesanato e nas atividades de pesca locais.

LAB

casa-de-criadores-bruna-abreu-verao-2014-croqui-ocabide

BRUNA ABREU apresenta a coleção “Salada Marítima”, onde explora a linguagem barroca, brasileira e feminina da Exposição “entre Carnes e Mares” da artista plástica Adriana Varejão. O clima tropical na passarela vem através da mistura de estampas de faces femininas, fundo do mar e tressê colorido. Cortes retos em linha “ e franzidos em formas circulares compostos por fibras de algodão, viscose, tressê de cetim, organza e gorgurão. A cartela de cores tem predominância do azul claro e do verde água, com um pouco de preto, branco, rose, laranja e vermelho.

casa-de-criadores-gralias-verao-2014-croqui-ocabide

GRALIAS – das estilistas Grazi Cavalcanti e Julia Guglielmetti – buscou sua inspiração numa pequena cidade, repleta de cores e cultura local, nos Andes peruanos chamada Katakuyna. A coleção foi concebida através dos armários das famílias da dupla, onde roupas repletas de história foram reconstruídas, ganhando releitura com o DNA da marca. Um mix de texturas e profusão de cores, onde as formas variam de arredondados casulos até modelagens retas. As peças em chiffon, renda e tule são combinadas com crochê, plissados e boraddos de pedrarias, pingentes de seda, flores e franjas.

casa-de-criadores-rafael-caetano-verao-2014-croqui-ocabide

RAFAEL CAETANO usou o universo do terror como inspiração, com referências extraídas dos trabalhos de Wes Craven, Alfred Hitchcock e Stephen King. A silhueta é evasê, com peças fluídas, que começam ajustadas e se abrem ao cair. As cores são o preto, café forte, azul raio x, branco e cru, que se apresentam nos tecidos chiffon, voil, recouro, couro ecológico, pet, Piquet, filó e organza. Nos acessórios, o estilista aposta em braceletes feitos com tecidos e fitas de gorgurão que se desprendem de suas bases e se tornam aéreas.

casa-de-criadores-teodoro-e-anita-verao-2014-croqui-ocabide

TEODORO E ANITA – dos estilistas Isadora Zendron e Lucas Devitte – pensou na possibilidade de novas espécies surgirem a partir do cruzamento de animais diferentes, uma hibridização de espécies. E assim criaram a coleção de verão 2014 onde peças de roupas se juntam e soltam a partir de botões e zíperes. As formas são ora bem amplas, ora justas sempre confeccionadas em denim. Diversos tons de azul, com pequenos detalhes em rosa, creme e preto. As peças que prometem são as jardineiras e as salopetes.

casa-de-criadores-yris-verao-2014-croqui-ocabide

YRIS – da estilista Yoon Hee Lee – utiliza o universo japonês na construção do verão 2014. As casas, os costumes e as vestimentas, tudo explorado ao máximo, para trazer uma concepção tão tradicional e simbólica para o ocidente. Sapatos gueta, cabelos de gueixa e até o próprio chão das casas japonesas ganharam novas interpretações e formam looks coloridos com tecidos estampados. As formas são um estudo das pinturas nipônicas com pavões e dragões. O kimono é reinventado e os obis são feitos de palha, com formato de animais. A silhueta é rígida e estruturada, em tecidos como o cetim, neoprene, redes de plástico e palha. Na cartela de cores a variação entre azul, laranja, madeira e branco. Enfeites de cabelo com pedras, fitas, presilhas e palitinhos são os acessórios.

*imagens: divulgação

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.