Resumo da semana – #7

ssa semana passou voando e 2015 já está batendo em nossas portas! Estou pensando em fazer um resumo com as principais notícias do ano, o que vocês acham?

Como esse post vai entrar tarde no blog não vou me estender, vamos direto ao penúltimo resumo da semana que publicaremos essa semana.

Preparados? Então vem comigo!

Após ser notificado por uso de trabalho escravo fast fashion revê certificação de fornecedores: http://abr.ai/1yyiGsA

Fotos raras para homenagear Roberto Gómez Bolaños: http://bit.ly/12sYpaN

Resumo da Semana

ETEC Tiquatira

Acompanhe de perto o desfile de formatura de uma ETEC em São Paulo: http://bit.ly/1rXx3WP

Gigantes internacionais que desistiram de abrir lojas no Brasil: http://bit.ly/1yUJuC9

Estadão e FecomercioSP debatem a indústria no Fórum Negócios da Moda: http://bit.ly/1zwClY3

Madonna volta a ser garota propaganda da marca Versace: http://bit.ly/12sUNpr

Resumo da Semana

Commes des Garçons

Commes des Garçons lança coleção de fim de ano inspirada no filme Frozen: http://bit.ly/1z4NfG7

A indústria de confecção de vestuário registrou primeira alta em 6 meses: http://bit.ly/1rXyrZB

Johnnie Walker e Harris Tweed lançam tecido com aroma de whisky:  http://bit.ly/1zwDVJy

Jovens desenvolvem tecnologia para transformar laranjas em fibras têxteis que nutrem a pele:  http://glo.bo/1yym1rw

Resumo da Semana

Roger Vivier para Christian Dior

O chapeleiro Philip Treacy lançará coleção com a marca MAC: http://bit.ly/1yymxWp

Exposição em museu londrino exibirá mais de 200 pares de sapatos históricos: http://bit.ly/1rXzQiO

Bom final de semana, cabideiros! ?

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Trabalhando à exaustação

A internet toda está agitada com links de notícias sobre o caso Primark.

Já estão sabendo?

O que aconteceu foi o seguinte, uma consumidora da fast fashion em Swansea, Gales (Reino Unido) se chocou ao descobrir uma etiqueta costurada no vestido que havia acabado de comprar e no qual pagou 10 libras. Na mensagem costurada à mão, que foi costurada a parte interna da roupa como parte das etiquetas regulares do produto, lia-se: “ Forçado (a) a trabalhar por horas exaustivas”.

Caso Primark

De acordo como South Wales Evening Post, Rebecca Gallagher – a dona do vestido – tentou entrar em contato com a Primark através do serviço de atendimento ao cliente, onde foi deixada por 15 minutos na espera antes de ser desconectada.

“Ouvimos histórias sobre pessoas trabalhando nessas condições o tempo todo – fez eu me sentir tão culpada que eu nunca vou conseguir usar esse vestido de novo”.

Em um primeiro momento a marca descreditou a notícia, disse que tudo era mentira, que o vestido era de uma coleção do ano passado e que não ia se pronunciar, mesmo sendo uma empresa quem tem histórico com maus tratos de seus funcionários.

Esse caso ainda não foi averiguado, a Primark finalmente se pronunciou e pediu para que a consumidora entregue o vestido para que o eles possam investigar o que aconteceu, alegando que levam esse tipo de alegação à sério.

Caso Primark

Indenpendente do desfecho, devemos sempre considerar que casos de escravidão na indústria da moda são reais em todo o mundo e que, o consumo de roupas por preços tão baixo podem sim incentivar esse tipo de conduta. Seja o tipo de consumidor que conhece as marcas para quem entrega seu suado dinheirinho. Nós merecemos roupas a um preço acessível sim, mas eles devem fazer isso respeitando os direitos das pessoas que trabalham para criar as roupas que nós tanto amamos comprar a cada temporada. É possível fazer um mercado justo para quem trabalha nele, tanto para quem vai consumir o que a indústria produz, e nós podemos ser o começo dessa mudança.

UPDATE: Assim como havia prometido, a marca acabou investigando essa e uma outra denúncia de mesma natureza feita por uma segunda consumidora. Aparentemente tudo não se trata de uma grande mentira. A marca alegou que não há como etiquetas tão similares tenham sido costuradas nestes vestidos, já que ambos vêm de fornecedores diferentes, e são portanto produzidos em fábricas diferentes, nesse caso um é produzido na Romênia e o outro na Índia.

Ficamos felizes por não ser uma denúncia verdadeira, mas todos os alertas que uma notícia como essa pontam continuam sendo verdadeiros, e tudo o que dissemos neste post sobre trabalho escravo na indústrua da moda continua valendo.

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Forever 21 Brasil

“A angústia gerada por um lançamento pode transformar as pessoas, dali surgirão várias versões de um mesmo eu, mas ninguém se importa. A noite é única e a busca por cabides é voraz, uns sobre os outros, como se ali houvesse qualquer tipo de exclusividade. Não tem.

Ninguém se importa.

O cheiro do novo seduz e até quem tem os conceitos mais comedidos do que é estar na moda acaba caindo na dança, enfrentado filas e se acotovelando em cima de araras recém preenchidas.

Na fila do provador, olhando por cima dos ombros das centenas de pessoas a minha frente me sentia em um cenário surreal, tive que respirar fundo algumas vezes para me situar de onde estava e porque estava ali.

A Forever 21 chegou e as brasileiras não souberam conter a paixão platônica que mantiveram durante anos pelo fast fashion que vai reiventar o conceito de lojas de departamento no Brasil. “

Forever 21

Estive ontem no soft opening da loja de origem americana, depois de ter sua inauguração sido adiada por algumas vezes alguns membros da imprensa e convidados puderam fazer comprinhas em primeira mão. Além de uma moda mais ligada em tendências vindas da rua, ao invés de grandes bureaux de moda (adeus,  xadrez vermelho e preto!),  os preços eram muito convidativos e atendeu à expectativa de todos, inclusive daqueles que já consumiram a marca em outros países.

A correria e a loucura da inauguração não permitiu que a experiência de consumo fosse completa, mas pude avaliar de perto algumas peças, entre elas os acessórios, que achei de qualidade decente e excelente custo benefício, a peça mais barata que encontrei custava R$5,90 e a mais cara custava R$34,90. O mix de produtos era imenso, e já sabemos que não estava tudo exposto lá, os tecidos e estampas também eram bem dignos, outro ponto positivo para a marca.

#forever21brasil 😍

A post shared by O Cabide por Nic Duarte (@ocabide) on

Senti muita falta dos calçados, que pelo que ouvi dizer vão demorar um pouquinho mais para chegar por conta de problemas nas transações de importação, também não vimos sinal dos produtos plus size, mas dizem as boas línguas que eles devem chegar em breve, assim como a linha Faith 21, que é voltada para um público mais maduro (25 a 35 anos). A linha masculina só será vendida no Rio de Janeiro (a loja carioca inaugura no dia 22/03), dentre os vários burburinhos que ouvi por lá também fiquei sabendo que algumas das peças que esgotaram durante o soft opening não terão reposição, já que o estoque da loja é limitado afim de garantir a rotatividade.

As araras da Forever 21 sempre serão cheias de novidades, as mudanças ocorrerão todos os dias, a equipe é fofa e mesmo na correria conseguiu atender a todos com um sorrisão estampado no rosto, eu teria ficado mais feliz se as condições de pagamento fossem um pouquinho melhores, mas deu para fazer um belo estrago mesmo assim!

Forever 21

A loja abre para o público nesse sábado, 15/03 às 10h00, no Morumbi Shopping em São Paulo, com direito a corte de faixa e um presente exclusivo para os primeiros 500 clientes.

Até o fim do ano, a rede pretende abrir um total de sete lojas no Brasil, como já dito no dia 22 de março haverá a abertura da loja no Village Mall, no Rio de Janeiro. Em seguida devem inaugurar lojas em Ribeirão Preto (em abril) e Brasília (data a definir), depois disso mais uma loja em São Paulo (lá ouvi boatos de que seria uma loja de rua) e mais uma no Rio Janeiro, por fim uma loja em Porto Alegre.

Algumas pessoas metem o pé na jaca com comida, eu com certeza meto o pé na jaca com comprinhas!

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Collection Show

Ontem rolou o tão esperado C&A Collection Show, onde a fast fashion mais amada do Brasil apresentou um preview das coleções em parceria com marcas e estilistas que irá lançar ao longo de 2013.

Na longa passarela onde os defiles rolaram pudemos conferir as apostas de Isabela Giobbi, 284, Carina Duek, Santa Lolla e Ágatha para as próximas estações.

C&A Collection

Nas coleções vimos o que já era de se esperar, elementos que já vimos incansavelmente em muitas coleções de diversos segmentos há pelo menos 3 anos: estampas florais, oncinha, tachas, franjas e caveiras.

Não me levem a mal, uso todos esses elementos no meu dia-a-dia e gosto muito. Mas esperava coleções mais elaboradas, com elementos de design mais aprofundados, assim como vimos nas coleções das parcerias com a Maria Filó e com a Andréa Marques.

As coleções tem sim algumas peças incríveis que com certeza serão must have, odeio essa expressão, mas com fast fashion é assim, algumas coisas são irresistíveis e nós simplesmente temos que ter!

Mas no geral esperava mais, esperava mais influência do street style, esperava mais das expressões de estilo, esperava que os estilistas conseguissem criar coleções comerciais sem comprometer a inovação.

Mas com certeza são coleções que poderemos usar e abusar!

*imagens

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.