Jossana Lauria, da marca Joss, fala sobre mercado plus size e empreendedorismo

Se você acompanha o o blog há algum tempo, deve ter percebido que estão rolando mudanças no que publicamos e até em nossa aparência. Como parte dessas mudanças quero trazer para vocês um conteúdo mais sólido sobre empreendedorismo, desenvolvimento de produtos, processos criativos, etapas de confecção e tudo mais que seja relevante para compreendermos melhor a indústria da moda e seus segmentos.

Para isso vou conversar com profissionais que administrem suas próprias marcas, confecções ou projetos relacionados ao consumo ou a cultura da moda.

jossana-lauria-moda-plus-size-joss-entrevista-ocabide

Para o post de hoje conversei com a Jossana Lauria, estilista e proprietária da marca plus size Joss. Em nosso bate papo falamos sobre como surgiu sua marca e quais são os desafios em manter um negócio dentro desse segmento, confira:

  • Como surgiu a Joss?

A Joss surgiu com o meu sonho de montar a minha marca plus size com preços acessíveis para todos. Desde criança via que as roupas para gordos (as) não eram bacanas e me sentia muito mal com aquilo, pois também era uma gorda que consumia moda. Como desde pequena sempre sonhei em ser estilista, me formei em moda, me especializei em moda plus size e cá estou com esse sonho realizado, de ser estilista da minha própria marca!

  •  Como designer, você acredita que suas experiências pessoais com o mercado plus size influenciam nas decisões que você toma para sua marca?
Sim, com certeza absoluta! Como designer consigo ter o discernimento de como uma modelagem pode influenciar uma peça e o design também. Como gorda e consumidora, consigo juntar o útil ao agradável para criar meus produtos.
  •  Como você vê a questão da representatividade na apresentação de produtos em catálogos e campanhas de moda plus size?
Vejo que a cada dia mais marcas tendem a diminuir o plus size, chegando a numerações um tanto quanto ridículas, além de colocarem modelos de tamanho mediano em catálogos, logo acabam não representando as mulheres gordas que buscam isso atualmente. Realmente há uma necessidade enorme de gordas representativas nesse meio (como a Tess Holliday, por exemplo), e ainda são poucas as marcas que trabalham com essa representatividade, mas acredito que isso irá mudar um dia!
  • Além dos desafios típicos desse segmento, quais são suas dificuldades como mulher empreendedora?
A dificuldade é essa crise que o Brasil está passando, para empresários está sendo a morte. Mas isso vai se acertar (assim espero)!
  •  Tem algum conselho para quem deseja se aventurar nesse mercado?
Sim, seja diferente, inovador, esse é o diferencial!
  • Quais são seus planos para o futuro da Joss?
Bom, pretendemos abrir uma loja física em breve e ampliar os nossos produtos, temos planos gigantescos, mas é segredo! 😝 hahahaha
Gostaria de agradecer a Jossana pelo bate-papo, ela tem uma energia incrível e é uma querida! Desejo boa sorte com os seus planos e muito sucesso para sua marca! ♥
Conheça a Joss e seus produtos: www.jossplus.com.br
Compartilhe suas experiências conosco, deixe nos comentários sua visão sobre o mercado de moda plus e nos digam quem mais vocês gostariam que entrevistássemos.
*imagens: reprodução
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Concurso | Moda Inclusiva | Inscrições abertas

Ainda estão abertas as inscrições para a 8º concurso Moda Inclusiva promovido pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência. O objetivo do concurso é promover o debate sobre moda diferenciada, além de incentivar o surgimento de novas soluções e propostas em relação ao vestuário para as pessoas com deficiência.

Podem participar estudantes de cursos técnicos, universitários, alunos de cursos livres e profissionais da área (Moda e Saúde) não só do Brasil, mas de todo o mundo. Você pode fazer sua inscrição no próprio site do concurso até o dia 10 de Junho (até 23h59).

moda-inclusica-concurso-inscricoes-ocabide.3

A modelo cadeirante, MAIARA BARRETO, ao lado da sua estilista, BRUNA DE SOUZA OEWEL (segunda colocada da 7ª edição do concurso).

Os 20 melhores trabalhos inscritos serão apoiados com tecido da Vicunha Têxtil para a confecção das roupas e participarão do desfile final em um grande evento no final do ano, na capital paulista. As três melhores colocações serão premiadas.

 

Um pouco do que rolou em edições passadas:

Como se inscrever:

Para se inscrever, o participante deverá preencher a ficha de inscrição disponível exclusivamente no site clicando  no ícone “Inscrição Concurso Moda Inclusiva”. Após fazer a inscrição o participante receberá via email um número, que o identificará ao longo do concurso.

Quando já estiver inscrito o participante deverá enviar seu(s) trabalho(s), digitalizado para o e-mail minclusiva@sedpcd.gov.sp.br, até o dia correspondente a cidade que irá concorrer.

Clique aqui para ver o regulamento completo.

 

Boa sorte!

 

*imagens e vídeos: reprodução

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Tudo o que você precisa saber sobre Balenciaga

A Balenciaga pode ser uma marca muito diferente agora se comparada ao seu primeiro desfile que aconteceu em 1937, mas isso não faz com que o trabalho do seu fundador, Crist?bal Balenciaga, seja menos importante.

Balenciaga era um verdadeiro inovador que perseguiu incansavelmente e o caminho da perfeição. Dior propôs o New Look em 1947 e Balenciaga o desafiou com túnicas e vestidos saco que evoluíram para os minis da década de 1960. Ele viu e eventualmente conduziu grandes mudanças na forma como as mulheres se vestiam. Mesmo assim ele resistiu a algumas mudanças, ele nunca cedeu ao prêt-à-porter, ele permaneceu sempre na alta costura.

O designer era notoriamente conhecido por manter sua privacidade e só deu duas entrevistas em sua carreira. Por um tempo acreditou-se que ele só havia falado com a imprensa uma única vez já que era famoso por rejeitar todo tipo de publicidade.

Linha do tempo:

  •  1895: Em 21 de janeiro nascia Cristóbal Balenciaga Eizaguirre em Getaria, Espanha.
  • 1908: Aos 13 anos Cristóbal teve a chance de trabalhar como costureiro da Marquesa da Casa Torres.
  • 1919: A primeira casa de alta costura de Balenciaga foi inaugurada em Sab Sebastian, Espanha.
  • FATO CURIOSO: A aristocracia espanhola estava entre os clientes regulares de Balenciaga.
  • 1920: Balenciaga abriu sua segunda casa em Madri.
  • 1937-1938: Balenciaga expande seus negócios para Paris e abre sua primeira casa na França, no final deste mesmo ano ele desfilou com sucesso a sua primeira coleção.
  • FATO CURIOSO: Balenciaga se mudou para Paris por causa da guerra civil espanhola.
  • 1947: Cristóbal Balenciaga criou o seu primeiro perfume, Le Dix.
  • 1951: A ‘Balenciaga Revolution’ toma lugar na moda com a criação de silhuetas mais amplas, pescoços mais abertos e ombros mais largos.
  • FATO CURIOSO: Cristóbal Balenciaga sempre assistia seus desfiles dos bastidores, por trás das cortinas e raramente ia receber aplausos na passarela.
  • 1955: Cristóbal cria o vestido túnica.
  • 1957: Balenciaga revela sua coleção para a imprensa antes da data de revelação para o varejo, o que acabou criando um climão com entre os outros estilistas. A intenção por trás disso era tentar evitar a pirataria e a cópia dos seus designs.
  • FATO CURIOSO: Dizia-se que Christian Dior era um dos que se aproveitavam das cópias dos designs de Balenciaga, usando os mesmos cortes e silhuetas. A mídia não conheceria esse boato até muito depois, já que Cristóbal fazia de tudo para evitar a imprensa.
  • 1960: Balenciaga desenhou um vestido para a Rainha Fabiola da Bélgica.
  • FATO CURIOSO: Não só a realeza vestia Balenciaga como existia um boato de que Jackie O. discutia sempre com o marido, o presidente John F. Kennedy, por comprar as peças caras da casa espanhola. JFK  se preocupava que o povo americano se incomodasse com a aparência das finanças do presidente e sua esposa.
  • 1968: Cristóbal Balenciaga se aposenta com 74 anos, fechando as casas de Paris, Madri e Barcelona.
  • FATO CURIOSO: A última aparição pública de Balenciaga foi no funeral de Coco Chanel. A estilista já havia afirmado que Cristoal era um dos poucos designer da época que sabia criar, cortar e montar um vestido sozinho.
  • 1972: Cristóbal Balenciaga faleceu e foi enterrado em sua região de origem na Espanha.

*fontes 1,2

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Croquis: La Carte de Tendre

Alessandro Michele, estilista que está reinventando a marca Gucci, levou para as passarelas da semana de moda de Milão primavera/verão 2016 um desfile inspirado em um mapa imaginário e que foi eternizado na primeira parte de Clélie, obra de Madeleine de Scudéry (1654-61).

Esse mapa mostra a geografia inteiramente baseada em torno do amor de acordo com os estilo literário Précieuses da época. Mas o estilista definitivamente não se limitou ao romance e misturou uma porção de outras referências, principalmente no styling.

Quando eu vi alguns dos croquis da coleção achei imprescindível postar aqui para vocês!

croqui-gucci-milao-alessandro-michele-ocabide
croqui-gucci-milao-alessandro-michele-ocabide-2

 

 

Também vale a pena dar uma olhada no Instagram da marca para ver mais detalhes do desfile:

 

Uma foto publicada por Gucci (@gucci) em

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Concurso BtoBe abre inscrições para terceira edição com foco no empreendedores de moda

Preparados para uma nova edição do BtoBe? As inscrições estão abertas desde o dia 1º de setembro, o concurso é ma parceria entre a Casa de Criadores e o Texbrasil (Programa de Internacionalização da Indústria da Moda Brasileira, mantido pela Abit e pela Apex-Brasil) e que tem como principal objetivo a descoberta, capacitação e promoção de novos estilistas empreendedores no mercado internacional.

Dessa vez o concurso será voltado apenas para profissionais já atuantes no mercado e terá uma única categoria: empreendedor de moda. Poderão concorrer empresas de moda de todo o Brasil com no máximo quatro anos de existência legal.

Btobe_Casa-de-Criadores_ocabide

 

“Cada vez mais, direcionamos o BtoBe para a formação de uma mentalidade global em jovens empresas, para que tenham condições de concorrer no mercado internacional desde o princípio de suas atividades. Dentro do projeto, temos excelentes exemplos disso: a Gabrielab, por exemplo, que entrou na edição passada, já conquistou clientes como LuisaViaRoma, na Itália e a Alter, na China. Além disso, temos nomes já consolidados no mercado que começaram e ainda estão no projeto, como Karin Feller, Trendt e Cynthia Hayashi”, detalha Evilásio Miranda, gerente de moda e design do Texbrasil.

“Ao longo de todos esses anos de CdC, percebemos que o mercado precisa de iniciativas que estimulem uma formação mais estratégica. Uma marca não pode investir apenas no lado criativo, ela deve se estruturar de forma abrangente, com uma estratégia sólida”, comenta Andre Hidalgo, diretor da Casa de Criadores.

As inscrições vão até o dia 21 de setembro e podem ser feitas pelo endereço www.texbrasil.com.br/btobe, onde também está o regulamento. Um júri especializado formado por organizadores do concurso e profissionais do mercado irá pré-selecionar cinco trabalhos finalistas, que irão participar de uma exposição durante a 38ª edição da Casa de Criadores, em outubro, na capital paulista. Destes cinco finalistas serão escolhidos dois vencedores, que serão anunciados ainda durante o evento.

 

Ao ingressarem no Projeto BtoBe, as duas empresas vencedoras receberão consultoria, treinamento e mentoria em temas estratégicos para o crescimento, além de apoio à participação em uma ação comercial internacional custeada pela organização do concurso.

ponto-zero-Btobe_Casa-de-Criadores_ocabide

 

Lançado em setembro de 2013, o BtoBe é uma competição anual que veio para substituir o Ponto Zero e ampliar a atuação para profissionais de todo o Brasil. Nas edições anteriores, o projeto incluiu uma categoria para estudantes de moda, que concorriam com uma coleção autoral criada especialmente para o projeto.

 

*imagens e vídeo: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.