Cinquenta sapatos

Cinquenta sapatos que mudaram o mundo
Chegamos ao último livro da Coleção 50, combinei com vocês que falaria sobre todos eles durante essa semana e cá estamos!

Sejam Melissas ou Dr. Martens, o visual e o estilo destes e de alguns outros sapatos são universalmente conhecidos. No livro Cinquenta sapatos que mudaram o mundo vemos os mais icônicos e mais influenciáveis sapatos de várias épocas, de 1830 até ao design arrojado dos dias de hoje, e assim como os chapéus, vestidos e bolsas, a publicação apresenta uma descrição para cada sapato e fala sobre os designers que os criaram.

Cinquenta sapatos que mudaram o mundo

Salvatore Ferragamo – 1930

Cinquenta sapatos que mudaram o mundo

Nat-2, K&T – 2003

Cinquenta sapatos que mudaram o mundo

Jimmy Choo – em 1998 (Esse sapato se popularizou após um episódio de “Sex and the City”)

Esssa é mais uma celebração do Design Museum ao design, dessa vez para os sapatos da antiguidade até a cultura contemporânea, das sapatilhas, aos tênis e até as plataformas.

Além destes livros, que falam sobre a história do design na moda, a Coleção 50 conta com uma publicação sobre cadeiras e outra sobre carros, ambas valem muito a pena ler!

Vocês gostaram dessa coleção de posts sobre livros?

Cinquenta vestidos que mudaram o mundo
Design Museum
Tradução: Cristina Bazan
Editora Autêntica

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Cinquenta bolsas

Cinquenta bolsas que mudaram o mundo

Já falamos sobre os 50 chapéus e sobre os 50 vestidos que mudaram o mundo, vamos seguir com um post que fala sobre o livro 50 bolsas que mudaram o mundo. Falta pouco para terminar os posts sobre a Coleção 50, do Design Museum, pelo menos sobre aqueles que falam sobre objetos do vestuário.

Sabe quando você passa um tempão procurando aquela bolsa perfeita e atemporal, que até vale a pena investir um pouquinho mais, já que você vai usar por tantos anos? daí surge outro modelo que é essencial na sua vida e você precisa dele para facilitar seu dia a dia e a coisa segue assim de maneira cíclica até o dia em que sei lá, você não vai mais precisar usar bolsa, e ainda assim é capaz de comprar aquele modelinho que combina com tudo!

A história da bolsa também funciona mais ou menos assim, pela necessidade, pela linguagem visual, pelo status ou pela evolução da matéria prima, por exemplo. Assim seguimos, por toda nossa existência, mudando os motivos pelos quais precisamos de determinado modelo de bolsa.

São muitas as bolsas que fizeram história, e por motivos diferentes se tornaram ícones da moda e do nosso senso estético comum, que parece ser uniforme, já que a necessidade de algo que nos ajude a carregar o que precisamos em nossa rotina existe para todos.

Cinquenta bolsas que mudaram o mundo

Chanel 2.55  – 1955 

Cinquenta bolsas que mudaram o mundo

Baguette, Fendi –  1997
Cinquenta bolsas que mudaram o mundo

Jackie, Gucci – 1950

Cinquenta bolsas que mudaram o mundo

Steamer bag, Louis Vuitton – 1901

Cinquenta bolsas que mudaram o mundo

Bolsa Alexa,  Mulberry – 2009

O livro Cinquenta bolsas que mudaram o mundo pode explicar melhor isso tudo, ele fala de bolsas, malas e mochilas que tiveram impacto no mundo da moda e no mundo do design, e funciona da mesma forma que os outros livros da coleção, descrevendo os fatos que tornaram cada modelo em algo especial e fala também sobre os designers responsáveis por cada um desses 50 modelos.

Cinquenta vestidos que mudaram o mundo
Design Museum
Tradução: Cristina Bazan
Editora Autêntica

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Cinquenta vestidos

Dando a sequência aos posts da Coleção 50, dessa vez vou falar do livro que apresenta os elementos que tornaram icônicos vários vestidos de diversas épocas.

Cinquenta vestidos que mudaram o mundo é um prato cheio para os fascinados por vestidos, nós sabemos que dificilmente as pessoas vão levar a moda a sério quando se trata da história, mesmo quando é evidente que sem ela, seria praticamente impossível contar a história de todo tipo de sociedade.

Muitos jamais admitiriam que certos vestidos foram essenciais no registro dos eventos mais marcantes, o livro fala justamente sobre isso, cinquenta livros que tiveram impacto considerável na história da moda.

Confiram alguns modelos:

Cinquenta vestidos

Vestido branco plissado de Marilyn Monroe em “O pecado mora ao lado”, William Travilla, 1955

Cinquenta vestidos

New Look, Christian Dior, 1947

Cinquenta vestidos

Delphos Plissado, Mariano Fortuny, 1915

Cinquenta vestidos

Pretinho básico usado por Audrey Hepburn no filme “Bonequinha da Luxo”, Givenchy, 1961

Cinquenta vestidos

Vestido feito com 15 mil luzes de LED, Hussein Chalayan, 2007

E aí, vocês acham que um vestido pode mudar o mundo? Tenho certeza que podem fazer refletir e influenciar uma mudança cultural e social, principalmente porque será o responsável por comunicar essas mudanças ao longo do tempo.

Cinquenta vestidos que mudaram o mundo
Design Museum
Tradução: Cristina Bazan
Editora Autêntica

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.