Cobain: Montage of Heck

Depois de quase sair nos tapas para tentar achar lugares com sessões do documentário sobre Kurt Cobain, finalmente consegui ver o doc no cinema. Fui atrás dos ingressos meio tarde e só consegui para a ultima exibição em uma sala completamente lotada.

O documentário ‘Montage of Heck’ trouxe de volta a voz, traumas, figura artística de Cobain. Além do filho, irmão e pai que Kurt era. Com uma quantidade impressionante de material, como diários, desenhos e filmagens caseiras que marcaram seus poucos anos de vida.

Depoimentos dos pais, irmã, madrasta, uma antiga namorada, o baixista Krist Novoselic e a viúva, Courtney Love, marcam o documentário com histórias e relatos que reforçaram ainda mais sua alma completa de energia e criatividade.

Para nossa surpresa, Dave Grohl (baterista do Nirvana) ficou de fora do documentário por uma questão de agenda, segundo o diretor. Ficamos tristes! 🙁

kurt-cobain-montage-of-heck-documentario-ocabide

O filme entrega justamente a revolta de Cobain com o sistema, imprensa e seus problemas familiares. Demostrando uma figura atormentada que aos poucos foi alçando o posto de porta-voz da juventude dos anos 1990.

O começo do filme relata detalhadamente como foi sua criação, período escolar, até suas primeiras experiências sexuais e sua suposta tentativa de suicídio nos trilhos do trem. Além dos filmes em Super 8 que mostram os primeiros aniversários de Kurt antes de finalmente descobrir o poder que o punk rock teria em sua vida.

Com a notoriedade repentina graças ao disco Nevermind vemos que Kurt Cobain não estava preparado para lidar com a fama, assédios e entrevistas, o que acabou fazendo com que o artista começasse sua autodestruição.

Sentei no cinema com um pouco de medo porque SEMPRE que colocamos muita espectativa em algum filme no final das contas ele não é nada do que esperamos e ficamos com um gosto de quero mais. Acredito que pela primeira vez estava com muita expectativa e o filme conseguiu cobrir tudo que estava esperando. Só fiquei esperando um pouco mais da finalização, mas isso não tira a genialidade do meio. Os vídeos caseiros do casal Kurt e Courtney são incríveis, poderia passar dias vendo a loucura que era a vida desses dois. O documentário traz algo meio perturbador, e é difícil não absorver loucuras e revoltas de Cobain.

Todos ansiosos para ver o documentário da Amy?

Beijos!

*imagens e vídeo: reprodução

Baárbara Martinez bloga sobre as coisas que ama: moda, cinema, música e a fotografia, um amor que ela pretende transformar em carreira.

Resumo da Semana #15

Tivemos duas semanas sem Resumo da semana, a correria e uma gripe insuportável me dificultaram um pouco a minha agenda de postagens, mas estamos de volta!

Uma onda de preguiça e procrastinação tomaram a minha semana e de repente já é sexta feira, isso aconteceu com mais alguém?

Mesmo assim essa semana acabou bem linda com a legalização federal do casamento gay no EUA que transformou as redes sociais em um verdadeiro arco íris. O Amor venceu!

Então muda a sua foto de perfil e vem comigo:

 

Michael Kors é processada por fraude em preço de produtos: http://bit.ly/1Gz7uNd

Empregos caem na indústria têxtil: http://bit.ly/1Gz7JrA

Aconteceu em São Paulo a feira Salão Moda Brasil: http://bit.ly/1Gz7RY4

Você usaria um cadeado para representar o seu amor? http://bit.ly/1Nlf7e6

Instagram passa a tr busca por local: http://glo.bo/1IiHCts

Jeremy Scott, estilista da Moschino, ganha documentário: http://bit.ly/1Gzbrl3

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Givenchy divulga imagens oficiais da campanha com Donatella Versace: http://glo.bo/1GzbJs4

Marisa, Riachuelo, Renner e C&A demitem 1,2 mil em SP: http://bit.ly/1GzceSX

150 confecções fecharam as portas em SP: http://bit.ly/1Jb67HQ

Tim Gunn e Heidi Klum, apresentadores do Project Runway (Foto: Reprodução)

Project Runway ganha versão mirim: http://glo.bo/1NljHt0

Grace Coddington vai lançar dois livros entre esse ano e 2016: http://ptsco.jp/1KhkVHJ

Rolou protesto no desfile de Rick Owens: http://bit.ly/1Nlkz0v

Louboutin expande linha The Nudes para contemplar mais tons de pele: http://glo.bo/1NmAjky

Coruripe ganhará Polo Têxtil que beneficiará 100 costureiras locais: http://bit.ly/1BU66s4

Modelos apoiam animais: http://glo.bo/1e7YWFe

 

Bom final de semana, lindezas!

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

De gravata e unha vermelha

Vocês já devem ter visto pelos perfis fashionistas nas redes sociais um burburinho sobre o documentário De gravata e unha vermelha. Trata-se de um longa de Miriam Chnaiderman, que conta com participação de Dudu Bertholini como uma espécie de âncora-narrador que mescla as entrevista formando um tricô elaborado. Icônico como seus caftans, que ilustram bem a forma como o estilista se define, alguém que não é determinado pelo feminino ou masculino na escolha de roupas ou seu jeito de estar no mundo.

De gravata e unha vermelha

O tema do documentário, como você já deve estar imaginando, é gênero, e a principal inspiração para sua criação foi o cartunista Larte que faz tiras diárias na FSP e aos sessenta anos passou a se apresentar como uma mulher, para quem, as unhas pintadas e a maquiagem são elementos fundamentais. Já como trans* Laerte foi ao programa Roda Viva, ao programa Marília Gabriela, ao Provocações, do Abujamra e vem tendo importante liderança na Associação Brasileira de Transgêneros.

O release diz:

“O documentário cria um painel vigoroso, moderno, irônico, belo e polêmico, dos jeitos que cada um encontra de se respeitar na construção do próprio corpo. Isso abrange tanto a escolha de gênero como a escolha do corpo e, consequentemente, jeitos de estar no mundo.

Assim é que, no mundo contemporâneo, a própria sexualidade é escolhida: homens se tornam mulheres, mulheres se tornam homens. Poder brincar com a roupa e a aparência vai adquirindo contornos inusitados.”

O filme – que irá para os cinemas – tem tudo para fazer sucesso, não só entre alternativos e fashionistas, mas todos aqueles que querem entender mais sobre a dualidade dos gêneros na prática, mesmo que seja por curiosidade!

O Elenco:
Dudu Bertholini
Laerte (cartunista)
Rogéria
Ney Matogrosso
João Nery (primeiro transexual brasileiro)
Johnny Luxo (clubber e dj que teve grande importância nos anos 90)
Candy Mel (da Banda Uó)
Letícia Lanz (presidente da Associação Brasileira de trânsgênero)
Eduardo Laurentino (designer de chapéus)
Walério Araújo (estilista de drag-queens)
Leo Moreira Sá (do mundo do teatro e ex-Mercenária)
Dudda ( “monta” homens que se vestem de mulher)
Bayard (ex-Dzi-Croquete)
Tais Gomes (aguarda cirurgia)
Bianca Exótica ( hostess na noite paulistana)
Samantha (também da noite paulistana)

A diretora
Miriam Chnaiderman – http://sequencia1.com.br/

A produtora responsável
Sequência 1.

O patrocínio
Ministério da Cultura 2012
Quando a gente pode ver?

São Paulo
04/04 – Sexta – 20h00 | Reserva Cultural | De Gravata e Unha Vermelha
09/04 – Quarta – 20h00 | Reserva Cultural | De Gravata e Unha Vermelha – Sessão apresentada pelo diretor do festival Amir Labaki

Rio de Janeiro
10/04 – Quinta -19h00 | OI Futuro Ipanema | De Gravata e Unha Vermelha
12/04 – Sábado -15h00 | OI Futuro Ipanema | De Gravata e Unha Vermelha

Vamos?

*imagem: divulgação

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.