Croquis: La Carte de Tendre

Alessandro Michele, estilista que está reinventando a marca Gucci, levou para as passarelas da semana de moda de Milão primavera/verão 2016 um desfile inspirado em um mapa imaginário e que foi eternizado na primeira parte de Clélie, obra de Madeleine de Scudéry (1654-61).

Esse mapa mostra a geografia inteiramente baseada em torno do amor de acordo com os estilo literário Précieuses da época. Mas o estilista definitivamente não se limitou ao romance e misturou uma porção de outras referências, principalmente no styling.

Quando eu vi alguns dos croquis da coleção achei imprescindível postar aqui para vocês!

croqui-gucci-milao-alessandro-michele-ocabide
croqui-gucci-milao-alessandro-michele-ocabide-2

 

 

Também vale a pena dar uma olhada no Instagram da marca para ver mais detalhes do desfile:

 

Uma foto publicada por Gucci (@gucci) em

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Antes da Gisele

Há pouco tempo compartilhei em nossa página no Facebook um vídeo em que Betty Lago desfile para Thierry Mugler (de quem ela já foi musa). Para minha surpresa ela mesmo curtiu e comentou a publicação.

Em um tempo em que não haviam über models, Betty conquistou a simpatia de nomes como Gaultier, Saint Laurent e Valentino.

A ex-modelo e atriz lutava contra o câncer desde 2012, além da presença marcante os amigos e família afirmam que Betty tinha uma personalidade extraordinária. Foram 15 anos como modelo e 20 anos  como atriz, sua carreira começou em 1970 após ser descoberta pelo fotógrafo Evandro Teixeira. Sua primeira aparição na TV foi como a Natália da novela Anos Rebeldes, em 1992.

Apresentou por 5 anos o GNT Fashion, um dos seus projetos mais atuais era o canal Calma Betty!, no YouTube, com vídeos que contavam com a direção de seu filho Bernardo Lago.

Recentemente esteve no reality Desafio da Beleza ao lado de Mariana Weickert, também no GNT.

Eu sei que muitos dos nossos leitores não tem idade para conhecer o trabalho de Betty, então eu achei que seria bacana fazer uma galeria com imagens que comprovam a musa que Betty era!

O desfile completo de Thierry Mugler 95 – fall/winter (é longo, mas é MARAVILHOSO!):

 

*imagens e vídeo: reprodução

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

O Cabide por aí: Fashion Weekend Plus Size | Verão/2016

Rolou neste sábado, 25/07, a 12º edição do Fashion Weekend Plus Size. Eu já tinha visitado outras edições, mas essa foi especial para mim. Esse foi o primeiro evento de moda que compareci desde que me aceitei como gorda. Como vocês sabem o processo de aceitação não aconteceu de repente, e é claro que ainda existe muito espaço para evolução na minha auto-estima e na forma como vejo o meu corpo, mesmo assim foi a primeira vez que eu realmente me esforcei para fazer uma aparição em qualquer tipo de evento relacionado ao blog em muito tempo. E valeu a pena.

Eu fui principalmente para ver os desfiles das marcas Chica Bolacha (que já apareceu aqui em uma wishlist) e da Upsy que arrasa fazendo moda estilo retrô. Mas estava animada para a experiência como um todo e isso ficou bem claro para mim enquanto estava lá.

snapcode

Eu ainda estava de olho nos stands quando a Marguerite entrou na passarela, então tive que me espremer na multidão para garantir um cantinho e postar tudo o que estava rolando para vocês no Snapchat, que foi uma escolha arriscada, afinal muitos de vocês ainda não estão conosco por lá (nos adicione: você pode usar nosso snapcode, é só abrir o app, apontar a sua câmera para a imagem acima e dar um toque sobre a tela ou nos adicione através do nosso nome por lá que é “ocabide”), mas foi super divertido e me fez ficar com vontade de experimentar o Periscope, o que vocês acham?

Uma foto publicada por O Cabide (@ocabide) em

Eu estava exausta, não tinha dormido na noite anterior e estava querendo voltar para a casa porque era aniversário do meu pai naquele dia, mas quando começou o desfile da Chica Bolacha eu lembrei porque eu queria e deveria estar lá. Quando a Jéssica Lopes, do blog Femme Fatale by Jeh, entrou na passarela com o primeiro look da coleção Mix Tape eu fiquei emocionada. Fiquei me perguntando de onde tinha vindo aquele nó na garganta enquanto o desfile rolava de forma espetacular – e acabou sendo o centro das atenções do evento – e de repente eu entendi. Eu me vi lá, na passarela, nas fotos, nas roupas, nas modelos. Eu me senti representada, acolhida, inteira, esperançosa e acima de tudo, me senti linda.

Só quem é gordo sabe o quanto é difícil se sentir representado pela moda, de qualquer forma. Quem é magro também tem essa dificuldade, afinal os padrões de beleza são inatingíveis até para os donos das imagens usadas para representá-los, mas para quem é gordo é mais difícil pois nós não vemos pessoas como nós na TV ou em revistas com frequência (na verdade isso é bem raro) e nós não somos só tratados como minoria, somos tratados como pessoas que precisam mudar, que são doentes, preguiçosas, etc.

Tudo isso a parte, a coleção é linda de morrer! É inspirada pela música – principalmente pelo rock’n’roll – e traz peças baseadas nas décadas de 50, 60, 70, 80. Além disso o desfile contou a presença das blogueiras e formadoras de opinião Jéssica Lopes, Ariane Freitas, Paula Bastos, Babu Carreira, Camila Cura, Mel e Celia Soares.

Eu estava ansiosa para ver o desfile da mineira Upsy pois acho as peças da marca muito fofas, além disso, uma das minhas pessoas preferidas no mundo ama o estilo pin up (é de você mesmo que eu estou falando, Marina!). A marca apresentou um desfile pocket com moda praia inspirada no navy e uma pitada de pop art.

Eu notei em quase todos os desfiles que o uso de cintas, meias e modeladores, comparado com o das edições em que já estive, foi bem menor. Sendo assim dobrinhas, celulites e estrias estrelaram lindamente na passarela, sem vergonha e sem restrições, isso é sinônimo de LIBERDADE!

Antes de encerrar esse post meloso (não consegui evitar, desculpa!), queria deixar uma dica para as meninas de São Paulo:

Em agosto vai rolar um bazar da marca Chica Bolacha no Espaço Cada Qual, na rua Augusta!

08/08/2015
das 14h às 20h
Rua Augusta, 2171
Roupas acima do tamanho 44
Vai ter provador e vai aceitar cartão de crédito (pagamentos em até 3x)

Só de pegar o flyer do evento eu já senti o drama da fatura do meu cartão de crédito em setembro!

*fotos: Adriana Líbini

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Maior desfile de moda Plus Size do Brasil anuncia sua edição verão 2016 revelando belezas negras, trans e plus sizes

A cada edição, a equipe do Fashion Weekend Plus Size (FWPS), maior desfile e salão de negócios Plus Size do Brasil, convida algumas de suas modelos e escolhe um tema diferente para divulgar o evento.

Para anunciar o “FWPS Verão 2016”, que acontece no dia 25 de julho, no Centro de Convenções Frei Caneca, Renata Poskus, diretora do evento e autora do Blog Mulherão (http://www.blogmulherao.com.br), convidou cinco modelos negras. “Percebemos que vencemos uma primeira batalha, que era a de incluir nosso evento de tamanhos maiores no calendário da moda. Agora temos que quebrar outros paradigmas, como o da etnia. As minhas leitoras Plus Size negras me pediam isso, que queriam se sentir mais representadas”.

O tema escolhido para as fotos foi a Moulage, técnica na qual tecidos são amarrados ao corpo como se fossem vestidos. “Minha ideia foi expressar a leveza, beleza e feminilidade dessas mulheres, com a alegria e a energia das cores do verão”, acrescenta Renata. Para complementar, foram utilizados acessórios da Luxe Mode&Acessories, uma das marcas expositoras do FWPS. “Criei uma coleção especial para esta edição, com maxicolares, pulseiras, maxibrincos e braceletes que valorizam a silhueta Plus Size, evidenciando seus atributos”, afirma Leila Maiante, designer da marca, que há quatro edições participa do evento.

As marcas já confirmadas para a 12ª edição do Fashion Weekend Plus Size são: Arthur Caliman, Attribute Jeans, ChicaBolacha, Dama de Seda Lingerie, Ênfase, Luxe Mode&Accessories, Marialícia, Marguerite/Posthaus, Vislumbre Moda íntima e Xica Vaidosa.

 

Nós estaremos lá, se você quiser estar também pode adquirir o deu ingresso:

www.ticket360.com.br 

 

Confira a cobertura que fizemos na última edição que visitamos!

 

*divulgação

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Croquis dos estilistas da Casa de Criadores

A próxima edição da Casa de Criadores está chegando, e como sempre nós estaremos por lá para conferir tudo de perto e trazer tudo em primeira mão para os cabideiros. A CdC, como vocês já devem saber esse é o meu evento de moda favorito, por representar tudo o que O Cabide acredita quando se trata do futuro da moda no nosso país.

A Casa de Criadores investe em novos estilistas e no futuro deles, além de ser o principal evento do país a abrir espaço para estudantes mostrarem seu potencial.

Para começar o aquecimento para a temporada inverno/2015 vamos mostrar o croqui de alguns dos estilistas do line up e falar sobre a coleção que ele vão mostrar:

Casa de Criadores

Estilista: Fernando Cozendey
Sobre a coleção:A coleção de inverno 2015, chamada “FÊNIX”, traz 26 looks em uma cartela monocromática vermelha e tem como inspiração a vulnerabilidade emocional. Vazados, grafismos que lembram raios e corações são desenhados nos tecidos elásticos, tecnologicamente desenvolvidos pela Sayoart Têxtil, explicitando um processo emocional que vai da destruição/depressão/desespero até reconstrução/força/esperança. E a Fênix surge no final varrendo, transmutando e trazendo um novo fôlego para a existência, pois a única coisa que não podemos abrir mão é de sermos nós mesmos.”

Casa de Criadores

Estilista: Martins Paulo
Sobre a coleção: “Estreante no line-up do evento, o estilista piauiense apresenta uma coleção que teve como ponto inicial a obra A tempestade, de Willian Shakespeare, associada a referências esportivas. “Acredito que o mix de referências cria uma imagem moderna e decidida”, conta o estilista. Os tecidos sintéticos predominam: couro, camurça, vinil, malha resinada, algodão, tecidos telados e transparências. Cores: preta, cinza, azul e branca. A silhueta é ajustada e desenha o corpo. Destaque para os prints de raios e tempestades, a pegada esportiva e as formas ajustadas em tecidos quase futuristas. Neste trabalho existe também uma vertente sustentável e social: algumas peças foram desenvolvidas em parceria com uma associação de artesãs que transforma garrafas pet recicladas em diversos objetos de design.”

Casa de Criadores

Estilista: Gralias
Sobre a coleção:A coleção de inverno 2015 da Gralias fala sobre acumuladores. As estilistas da marca, Julia Guglielmetti e Grazi Cavalcanti, voltaram os olhares para dentro da própria empresa ao perceberem a quantidade de tecidos, aviamentos, linhas e outros materiais que juntaram ao longo do tempo. Com isso criaram a história de um personagem viciado em acumular. O ponto de partida para as formas dos looks veio do guarda-chuva, com modelagens amplas e soltas. Já a cartela de cores é viva, uma característica da dupla, que também trabalhará com o contraponto de tecidos pesados usados com chiffon e textura com bordados de pedraria e linha.”

Casa de Criadores

Estilista: Tilda
Sobre a coleção: “A marca, do estilista Anderson Tomaz, apresenta um inverno influenciado por uma forte corrente dos anos 1960: a moda espacial e futurista (marcada pela chegada do homem à Lua). Assim como nas duas últimas edições da Casa de Criadores, a Tilda continua reforçando seu streetwear cool. Alguns looks trazem informações geralmente encontradas nas roupas dos astronautas, como utilitários (zíperes, velcros, botões), capacetes, e os tecidos dupla face. As cores seguem as inspirações 60’s e giram em torno do preto e do branco, com algumas aplicações em cinza e prata. “Também optei por preto e branco para ter a liberdade de usar muitas texturas, estampas e diferentes tecidos”, conta Anderson Tomaz. Essa mistura conta com elementos como paetês, babados, rendas, malhas, lãs, estampas gráficas, tramas de alumínio, nylon, entre outros. A modelagem, especialidade do estilista mineiro, vem mais volumosa, amórfica e em camadas nas peças femininas, enquanto que nas masculinas é mais justa ao corpo. As peças também apresentam sobreposições e amarramentos.”

Casa de Criadores

Estilista: Diego Fávaro
Sobre a coleção:A coleção OXIGÊNIO é experimental, 100% em neoprene e se desdobra em 10 looks (cinco masculinos e cinco femininos), passando pelo off white, preto, até chegar no vermelho total. O tema surgiu através de uma reflexão do que o mundo vem passando ambientalmente, e de que forma estes problemas de refletem na vida das pessoas. “O oxigênio é um elemento químico representado na tabela periódica pela letra O. Então resolvi pegar esta simbologia para desdobrar toda a coleção”, conta o estilista que fez recortes em formatos circulares. A silhueta base é completamente solta e reta, sem marcar o corpo. Destaque para as cores fluorescentes em calçados e mochilas. Acessórios: óculos circulares, toucas de lã e luvas emborrachadas.”

Casa de Criadores

Estilista:Rafael Caetano
Sobre a coleção: “A coleção Insígnia tem como inspiração o escotismo. Dos escoteiros, foram extraídos elementos concretos como as próprias insígnias, a casa, e o ambiente que os reverbera, e outros mais abstratos, como a honra, a procura de sentido e a luta por um ideal. Com silhuetas curvas, as peças são compostas pelas cores vinho, terra, bronze, branco e pele. Tecidos: sarjas, mousseline, bojo espuma, foil e feltro.”

Casa de Criadores

Estilista: Raphael Debei
Sobre a coleção: “A marca traz moda masculina com fortes acentos de alfaiataria. A coleção tem como tema central a Serra Pelada, com referências de workwear dos anos 1980. Destaque para as jaquetas curtas, camisas de veludo e estampadas. “Procurei misturar peças de trabalho com alfaiataria. Durante o desfile, eu conto a história de um homem que largou tudo para tentar a vida na Serra Pelada”, conta o designer. A história é contada através da modelagem (mais ampla) e das cores (tons de verde, areia, marrom, dourado e vermelho). Tecidos: Desde couro até tactel, passando por tricoline, plush, tecidos clássicos de alfaiataria, entre outros.”

Casa de Criadores

Estilista: Gefferson Vila Nova
Sobre a coleção: ” A coleção (exclusivamente feminina) nasce da simbiose entre o corpo de bases tropicais e o universo das lutas marciais. O shape é ora amplo, ora slim fit, uma leitura sportwear de materiais nobres como jacquard, brocado de renda, veludos e lamê em contraponto com metalasse de nylon e malharia. Destaque para a manga japonesa, vedete da coleção. Cores: preta, laranja queimado e azul. O designer tem sua ligação com a indústria da moda desde 2007, quando participou como estilista convidado do Capital Fashion Week em Brasília e teve seu trabalho elogiado pelo renomado estilista Jum Nakao. Seu currículo inclui ainda a participação em feiras internacionais como Pure London (2010) e a Prêt-à-Porter Paris (2010).”

Casa de Criadores

Estilista: Rober Dognani
Sobre a coleção:Intensidade, drama, caos. Uma tribo de nômades góticos que viaja o mundo serviu de inspiração para o Inverno 2015 de Rober Dognani. Urbano, esse clã não se restringe aos guetos – transita do universo underground ao mainstream, nos hemisférios norte e sul, no oriente e ocidente, nesse plano e no além. O estilista dá continuidade ao trabalho iniciado na temporada passada e amplia a utilização do látex. Matéria-prima predominante nessa coleção, ele aparece em diversas formas, dando nova textura ao jeans, renda, malha e tricô. Distante de sua utilização no universo fetichista, para Rober ainda há diversas possibilidades de trabalhá-lo, não só nas peças conceituais feitas especialmente para o desfile, como para a coleção comercializada em loja. Cor intrínseca do DNA de sua marca, o preto é tom único nas linhas feminina e masculina, essa última estreando na passarela do estilista. Construídos a partir do trabalho de moulage, vestidos, blusas, saias, tops e calças ganham forma com a combinação de tecidos como mousseline, tule com elastano, tricô, jeans, malha, renda e couro. Máxi saias, vestidos esvoaçantes, transparências, sobreposições e o contraste de volume com fluidez pontuam o inverno de Rober Dognani. Destaque para o minucioso trabalho feito em plissê e para a base de T-shirt, que aparece não só em versão box como em vestido. Nós pés, sandálias em couro e botas em jeans com amarrações.”

A Casa de Criadores acontece entre os dias 27 e 30 de outubro, no Viaduto do Chá, siga O Cabide no Instagram (@ocabide) para acompanhar as novidades!

*imagens: divulgação

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.