Trabalhando à exaustação

A internet toda está agitada com links de notícias sobre o caso Primark.

Já estão sabendo?

O que aconteceu foi o seguinte, uma consumidora da fast fashion em Swansea, Gales (Reino Unido) se chocou ao descobrir uma etiqueta costurada no vestido que havia acabado de comprar e no qual pagou 10 libras. Na mensagem costurada à mão, que foi costurada a parte interna da roupa como parte das etiquetas regulares do produto, lia-se: “ Forçado (a) a trabalhar por horas exaustivas”.

Caso Primark

De acordo como South Wales Evening Post, Rebecca Gallagher – a dona do vestido – tentou entrar em contato com a Primark através do serviço de atendimento ao cliente, onde foi deixada por 15 minutos na espera antes de ser desconectada.

“Ouvimos histórias sobre pessoas trabalhando nessas condições o tempo todo – fez eu me sentir tão culpada que eu nunca vou conseguir usar esse vestido de novo”.

Em um primeiro momento a marca descreditou a notícia, disse que tudo era mentira, que o vestido era de uma coleção do ano passado e que não ia se pronunciar, mesmo sendo uma empresa quem tem histórico com maus tratos de seus funcionários.

Esse caso ainda não foi averiguado, a Primark finalmente se pronunciou e pediu para que a consumidora entregue o vestido para que o eles possam investigar o que aconteceu, alegando que levam esse tipo de alegação à sério.

Caso Primark

Indenpendente do desfecho, devemos sempre considerar que casos de escravidão na indústria da moda são reais em todo o mundo e que, o consumo de roupas por preços tão baixo podem sim incentivar esse tipo de conduta. Seja o tipo de consumidor que conhece as marcas para quem entrega seu suado dinheirinho. Nós merecemos roupas a um preço acessível sim, mas eles devem fazer isso respeitando os direitos das pessoas que trabalham para criar as roupas que nós tanto amamos comprar a cada temporada. É possível fazer um mercado justo para quem trabalha nele, tanto para quem vai consumir o que a indústria produz, e nós podemos ser o começo dessa mudança.

UPDATE: Assim como havia prometido, a marca acabou investigando essa e uma outra denúncia de mesma natureza feita por uma segunda consumidora. Aparentemente tudo não se trata de uma grande mentira. A marca alegou que não há como etiquetas tão similares tenham sido costuradas nestes vestidos, já que ambos vêm de fornecedores diferentes, e são portanto produzidos em fábricas diferentes, nesse caso um é produzido na Romênia e o outro na Índia.

Ficamos felizes por não ser uma denúncia verdadeira, mas todos os alertas que uma notícia como essa pontam continuam sendo verdadeiros, e tudo o que dissemos neste post sobre trabalho escravo na indústrua da moda continua valendo.

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Curso de costura online gratuito

Confecção de saias e vestidos

Faz muito tempo que não falo de costura por aqui, não é? Desculpa pessoal, é que posts desse tipo são densos e exigem muito tempo para elaborar, além do mais não tenho costurado, então me falta um pouco de inspiração para falar sobre o assunto com vocês.

Mas vou mudar isso falando sobre algo bem legal que pipocou esses dias na minha timeline e eu achei que vocês iriam gostar de saber!

Vocês já ouviram falar em EduK? Trata-se de uma plataforma de educação gratuita que disponibiliza centenas e centenas de cursos dos mais variados assuntos, Esses cursos são dados ao vivo e se você quiser vê-los depois disso você tem duas opções: você pode esperar ele acontecer novamente e reservar um lugar para assisti-lo ou você pode comprá-lo e assistir quantas vezes quiser.

Lá eu vi que em breve vai rolar a transmissão de um curso de confecção de saias e vestidos que parece ser bem legal! O curso ensina a costurar e dar acabamento em 3 tipos de saias e vestidos: saia lápis com cós anatômico, godê com cós reto e evasê cortada no viés. Vestido tubinho básico, um kaftan longo e um wrap dress.

Bacana né?

Reservem seus lugares e fiquem atentos aos horários:

24 e 25 de Abril
das 13h às 18h (Reprise das 19h às 01h)

Leia também o nosso post com dicas de costura e o post sobre como fazer barra de calça!

*imagem: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

A história da máquina de costura

maquina-de-costura-historia-moda-ocabide-2

*Thomas Saint, 1790

O alfaiate francês Barthélemy Thimonnier (1793-1857) pensou na invenção da máquina de costura, em 1840, quando observava a forma de trabalhar das costureiras de Lyon que empregavam uma técnica rapidíssima, o ponto de cadeia. A sua primeira Coseuse (cosedeira) foi fabricada em 1829 e adotava este método, o aparelho dava 200 pontos por minuto, enquanto manualmente se faziam 30, no entanto, a inovação não foi muito bem aceita por parte de alguns trabalhadores que destruíram 80 máquinas e obrigaram o inventor a abandonar Paris.

maquina-de-costura-historia-moda-ocabide-3

*Elias Howe, 1845

Mas não foi só  Thimonnier que quis mecanizar a costura, Thomas Saint foi o primeiro a conceber a costura feita à máquina em 1790, muitos outros inventores tentaram aperfeiçoar e patentear a ideia ao longo dos anos:

  • Josef Madersperger fez a primeira máquina verdadeira para fazer costura, tanto conhecida como realmente usada.
  • A primeira máquina americana a ser efetivamente fabricada foi a do Rev. John Adams Dodge.
  • Barthelemy Thimmonier foi o primeiro a produzir máquinas de costura em quantidades comerciais e colocá-las em uso prático.
  • A Walter Hunt pertence a honra de ter sido o primeiro a combinar uma lançadeira e agulha com olho na ponta para fazer uma costura fechada prática.
  • John A. Bradshaw aperfeiçoou a primeira máquina de fabricação americana a ser vendida em quantidades comerciais.
  • Elias Howe Jr. foi o primeiro a patentear uma máquina tendo uma agulha com olho na ponta que transportava um fio contínuo e fazia costura fechada.
  • John Bachelder desenvolveu e patenteou a primeira máquina de alimentação contínua.
  • Lerow e Blodgett inventaram a primeira lançadeira de movimento contínuo girando num plano horizontal.
  • Allen B. Wilson contribuiu com o gancho rotativo e a alimentação de quatro movimentos em 1851.
  • William O. Grover concebeu o dispositivo de ponto corrente de dois fios também em 1851.
maquina-de-costura-historia-moda-ocabide-4
* Isaac M. Singer, 1851

Zsaac Merrit Singer tomou alguns dos princípios inventados por outros, combinou-os no mais prático arranjo, acrescentou características importantes de seu próprio projeto e deu ao mundo a primeira máquina de costura verdadeiramente prática.

No século passado, cerca de 46.000 patentes de máquinas de costura de várias espécies foram emitidas. Hoje, The Singer Company, a maior empresa na indústria de máquinas de costura, produz cerca de 250 modelos diferentes em todo o mundo.

maquina-de-costura-historia-moda-ocabide-5

A eletricidade e rolamentos aperfeiçoados aumentaram a velocidade na costura. Uma máquina de costura de uso doméstico pode fazer até 1.500 pontos por minuto. Já algumas de uso industrial chegam a fazer 7.000 pontos por minuto.

Agora larga o celular, sente-se a frente de sua máquina e faça uma roupinha cheia de histórias para contar!

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Fazendo a barra

Logo quando entramos na faculdade de moda nossas expectativas sobre ser uma exímia costureira são alimentadas ao extremo pelas otimistas professoras das matérias relacionadas a construção de uma peça do vestuário.

Máquina de costura

Mas, como vocês devem ter percebido (ou vão perceber), costurar não é algo que se aprende do dia para a noite, requer dedicação, amor e persistência para experimentar as muitas maneiras com que a agulha e a linha podem unir, franzir, ou arrematar um tecido.

E para aumentar a pressão tem a expectativa de todas as pessoas ao seu redor que acreditam que agora que você estuda moda e, “sabe costurar”, você vai fazer todos os ajustes e costurar todos os vestidos mais lindos para todas as suas tias, primas e amigas.

Funciona mais ou menos assim, sabe aquele primo que “entende tudo de computador” para quem a família inteira sempre corre quando não consegue instalar a impressora?

Você é a versão fashion desse primo, no momento em que você entrou na faculdade de moda você passou a ser aquela prima “que entende tudo de costura” para quem todo mundo sempre vai correr.

Meu conselho é: não se desespere. E como já disse por aqui, inicie seu aprendizado na costura dentro do seu próprio ritmo.

Para dar uma forcinha trouxe algumas dicas que pudessem ajudar na hora de aprender a fazer o ajuste mais básico e mais útil para brasileiras de altura mediana: a barra da calça!

  • Quais são os tipos de barra

Italiana – Esse tipo de barra é muito utilizada em calças sociais, esse modelo de barra exige no mínimo 10 cm de sobra de tecido no comprimento da peça o já que é uma barra larga e dobrada para cima, por fora da calça.

Barra com Viés – Esse tipo de barra é usada quando não temos muito tecido no comprimento, é um recurso que possibilita fazer a dobra do tecido para dentro da calça adicionando um viés de seda ou algodão, dependendo do tecido. Essa é uma técnica para resgatar a peça depois de um corte errado ou mal feito.

Barra Original – Também pode ser chamada de barra sobreposta ou barra encaixada, isso porque consiste no corte e reaplicação do acabamento da barra original da calça, o que facilita caso a calça que você vai fazer tenha lavagens diferentes, texturas ou desgastes, por isso é bastante utilizada em calças jeans.

Barra tradicional: Essa é a opção clássica, combina com vários estilo. É feita marcando a parte de trás da barra na altura da base do calcanhar, a parte frontal vem reta.

  • Como fazer a barra original

Cada um desses vídeos mostra uma técnica diferente, no primeiro vídeo vemos uma técnica mais trabalhosa, mas o resultado é mais bonito, pois acabamento fico mais suave, esse vídeo também mostra uma dica que talvez um costureiro iniciante não conheça, a de usar um martelinho para assentar o acumulo de tecido na lateral da calça, possibilitando a passagem do jeans pelo calcador sem risco de quebrar a agulha da máquina. Já no segundo vídeo vemos uma técnica muito mais simples, super fácil de fazer, ótima para costureiros de qualquer nível, que possuam qualquer tipo de máquina.

  • Como fazer barra simples

Eu escolhi esse vídeo, mesmo ele sendo em inglês, pois ele mostra como fazer a barra da forma mais caseira possível, além disso, também mostra outras soluções, como a cola de tecido e a barra costurada a mão. Como o passo a passo é bem ilustrado, mesmo que você não entenda inglês você consegue acompanhar.

Tudo bem simples, não é?

Esse ajuste é tão fácil de fazer e é tão indispensável em nossas vidas, facilita tanto a vida das baixinhas (como eu)!

*imagem e vídeos: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Dicas de costura

Aprendi a costurar durante a faculdade, lá eu usava máquinas industriais, em casa eu tinha uma Singer com uns 30 anos de idade que tinha sido de uma tia da minha mãe (e era incrível) e no curso livre que fiz na época usava uma máquina caseira também, porém mais atual.

Isso tudo já faz tempo, fiquei bastante tempo sem costurar depois que me formei, lembro bem que eu até gostava de costurar mas perdia a paciência rapidinho. Acho que a obrigatoriedade dos trabalhos e a pressão de todo mundo que achava que estudar moda era igualzinho um episódio de Project Runway, estragavam um pouco o hobby de costura.

Mas eu nunca deixei de gostar, e no final do ano passado ganhei do meu pai uma máquina novinha, minha primeira máquina. Eu amei!

E tenho me sentido mais empolgada para costurar, tanto que quero voltar a estudar costura. Mas enquanto a oportunidade (tempo+dinheiro) para um curso não vem, tenho usado a internet como professora para meus projetos, e queria compartilhar algumas dicas de costura que encontrei no meio do caminho, itens básicos para desenvolver uma peça, seja ela qual for.

Por exemplo, quando eu estudava costura usava uma máquina para cada função (reta, overlock e galoneira), mas nas máquinas caseiras você tem que escolher o ponto certo para realizar cada tipo de acabamento:

https://www.youtube.com/watch?v=Mj6EgCmfZWI&x-yt-ts=1421914688&feature=player_embedded&x-yt-cl=84503534

Se você estiver desanimado com suas habilidades escolha um projeto simples, que seja fácil de concluir, se você começar por projetos mais elaborados o risco de não ter um bom resultado pode te desanimar. Veja no vídeo como é fácil fazer uma saia com pala:

Se você anda perdendo muito a paciência com a sua máquina de costura, o problema pode não ser sua paciência. Máquinas de costura exigem cuidados e manutenção constante, quanto mais você usa, mais precisa prestar atenção nas necessidades da máquina:

E tem sempre aquelas dicas de mãe/tia/vó para facilitar o cotidiano:

Dicas de costura

Pregue botões de quatro furos com pontos paralelos. Se um lado soltar, o outro permance preso à roupa.

Ao costurar tecidos leves, dê um nó apenas em uma ponta da linha. Em tecidos grossos, junte as duas pontas.

Para melhorar o caimento de saias, calças e vestidos pendure-os em um cabide antes de fazer a bainha.

Costurar bem a mão é indispensável, os pontos mais usados são:

  • Chuleio Usado para remate, deve ser costurado sem tensionar muito o fio.

  • Corrido Uniforme e menor, ele é indicado para consertos delicados.
  • Alinhavo Ponto temporário, ideal para marcar a costura de bainhas e punhos.

Por último, mas não menos importante, meus sites de costura preferidos:

www.superziper.com

www.youtube.com/SingerdoBrasil

www.clubinhodacostura.com

www.blogforbettersewing.com (esse site está em inglês, mas vale o clique, ela tem modelagens e tecidos lindos a venda no Etsy e no Butterick, ambos entregam no Brasil)

www.tillyandthebuttons.com (também em inglês, confira os tutoriais, são simples e as peças são lindas)

Espero que as dicas sejam úteis!

*imagens e vídeos: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.