Peggy Moffitt

Hoje Peggy Moffitt, a musa do monoquíni, completa 73 anos. Seu talento associado a seu visual único mudou a cena da moda na década de 1960.

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-8

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-9

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-10

Era musa absoluta do estilista Rudi Gernreich, cujas roupas usadas por Peggy e fotografadas por Bill Claxton se transforam no ícone do Swinging Sixties.

O cabelo geométrico, conhecido como “Cinco pontas”, criação de Vidal Sassoon, apresentava uma novo conceito estético, e junto com a maquiagem, se transformou na marca registrada de Peggy.

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-5

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-7

A make era inspirada no teatro japonês kabuki, que incluía cílios postiços exagerados.

Peggy chegou a aparecer no filme A elegante Polly Magoo fazendo sua maquiagem:

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-4

No dia 4 de junho de 1964 ela causou barulho na mídia quando foi fotografada semi-nua no monoquíni criado por Rudi Gernreich. A imagem de Moffitt foi feita por William Claxton, que era marido de Peggy e colaborador assíduo da dupla.

Não se tratava de nada além de um maiô de malha cortado abaixo do busto, que acabou sendo um marco na Revolução Sexual dos Anos 60, causando muitas polêmicas, entre elas, pedidos de casamento e ameaças de morte. O monoquíni envolveu a Justiça americana, que foi obrigada a rever suas leis sobre o nudismo.

peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-2
peggy-moffit-historia-moda-monoquini-ocabide-3

No mês de maio do ano passado aconteceu a mostra “The Total Look: The Creative Collaboration Between Rudi Gernreich, Peggy Moffitt and William Claxton” no Museum of Contemporary Art of Los Angeles (MOCA), para homenagear a obra do estilista.

No vídeo The Total Look produzido pelo Nowness, a própria Peggy resume sua carreira e desabafa: “Essa foto tomou um sexto de segundo para ser feita e eu tive que passar a minha vida inteira falando sobre isso!”

Ela aparece no vídeo como uma musa que não se desfez, a modelo manteve o cabelo assimétrico e as roupas psicodélicas, e de certa forma, sua imagem permanece como foi desde o início.

*imagens e vídeos: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Joãozinho

Em meados da década de 1990, no auge da era “Patricinhas e Mauricinhos”, dos cabelos longos com cortes repicados e franjas falsas, tingidos com mechas e luzes excessivamente marcadas, quando o delineador labial era mais escuro que o batom,  todo mundo usava brincos de argola e meias de ginástica com legging e keds estavam em todos os lugares. Eu posso ver a cena como se fosse hoje, eu, usando jeans,camiseta e tênis de basquete, sem maquiagem e com um cabelo curtíssimoooooooo!

Veja bem eu não era rebelde, mas meu cabelo era. E não que eu fosse anti-moda, mas eu simplesmente, e até os dias de hoje, não consigo entender por que as pessoas usam roupas de ginástica para sair na rua, a não ser que de fato elas estejam indo para a ginástica.

O tempo passa e a menina estranha do cabelo curto, continua de cabelo curto. A diferença entre a Nicole estranha dos anos 1990 e a de agora?
O corte de cabelo é TENDÊNCIA!

Erika Palomino

Erika Palomino

Carey Mulligan

Carey Mulligan

Emma Watson

Emma Watson

Agyness Deyn

Agyness Deyn

Morena Baccarin

Morena Baccarin

E aposto que têm muito mais beldades espalhadas por aí com o cabelo bem curtinho!

Vantagem: Economizo no John Frieda
Desvantagem: Não tem cabelo pra “bater cabelo”

Mas eu amo, sempre fico com o cabelo pronto em segundos! Me sinto mais bonita e o look segura muito mais tempo. Além de tudo é bem mais dificil ter um bad hair day!
Mulheres de cabelos curtos, uni-vos!

*imagens: Reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.