Resumo da semana

Há um tempo atrás eu fazia semanalmente aqui no blog os “Resumos da semana”, onde juntava uma série de links relevantes daquela semana sobre a indústria da moda e da cultura pop.

Eu adorava fazer esses posts e gostaria de voltar a fazê-los, mas gostaria que eles tivessem mais a ver com o novo momento do blog, bem como com o novo momento em que me encontro na minha jornada.

Então os Resumos voltarão, mas agora trarão links relevantes para o meu universo como mulher, gorda e feminista.

Esses foram os links que considerei importante compartilhar com vocês essa semana:

A Marcella do Maggníficas, uma das escritoras que me inspirou a me reinventar e rever o conteúdo que produzo aqui para vocês, fez um post incrível (e com um humor delicioso) em seu blog sobre formas para deixar a gordofobia de lado nesse Outono/Inverno: http://bit.ly/2qoiUCF

O Buzzfeed publicou em seu canal no YouTube um vídeo onde uma vítima de tráfico sexual conta sua história. Dados recentes da UNICEF apontam que mais de 250 mil crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual no Brasil. A Organização das Nações Unidas calcula que o tráfico de seres humanos para exploração sexual movimenta cerca de 9 bilhões de dólares no mundo, e só perde em rentabilidade para o mercado ilegal de drogas e armas. E se você acha que isso é algo que está distante de você, confira esse caso que rolou no mês passado em Santos.

Dani Mathers, a modelo da Playboy com mais de 500 mil seguidores no Instagram, que publicou sem consentimento a foto de um senhora nua na academia foi condenada. A invasão de privacidade gerou uma pena de 30 dias de trabalho de remoção de grafites: https://glo.bo/2rYvkS3

Body shamers não passarão!

E esse moço que saiu contando para todo mundo que esteve em um motel e teve relações sexuais com uma mulher e era tudo mentira? Foi condenado também e teve que se retratar publicamente: https://glo.bo/2r78wCG

Machistas também não passarão!

Não adianta problematizar e não oferecer solução. para o mundo mudar, nós temos que viabilizar a mudança. Link para o post da minha amiga querida, Carol Patrocinio: http://bit.ly/2s5quCC

Não deixe de ler o post passado que é uma playlist linda com músicas sobre autoestima: http://ocabide.com/?p=4731

Tem um link bacana que merece estar no Resumo da semana que vem? Me envie: ocabideblog@gmail.com

Bom final de semana, lindezas!

*Imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Resumo da Semana #15

Tivemos duas semanas sem Resumo da semana, a correria e uma gripe insuportável me dificultaram um pouco a minha agenda de postagens, mas estamos de volta!

Uma onda de preguiça e procrastinação tomaram a minha semana e de repente já é sexta feira, isso aconteceu com mais alguém?

Mesmo assim essa semana acabou bem linda com a legalização federal do casamento gay no EUA que transformou as redes sociais em um verdadeiro arco íris. O Amor venceu!

Então muda a sua foto de perfil e vem comigo:

 

Michael Kors é processada por fraude em preço de produtos: http://bit.ly/1Gz7uNd

Empregos caem na indústria têxtil: http://bit.ly/1Gz7JrA

Aconteceu em São Paulo a feira Salão Moda Brasil: http://bit.ly/1Gz7RY4

Você usaria um cadeado para representar o seu amor? http://bit.ly/1Nlf7e6

Instagram passa a tr busca por local: http://glo.bo/1IiHCts

Jeremy Scott, estilista da Moschino, ganha documentário: http://bit.ly/1Gzbrl3

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Givenchy divulga imagens oficiais da campanha com Donatella Versace: http://glo.bo/1GzbJs4

Marisa, Riachuelo, Renner e C&A demitem 1,2 mil em SP: http://bit.ly/1GzceSX

150 confecções fecharam as portas em SP: http://bit.ly/1Jb67HQ

Tim Gunn e Heidi Klum, apresentadores do Project Runway (Foto: Reprodução)

Project Runway ganha versão mirim: http://glo.bo/1NljHt0

Grace Coddington vai lançar dois livros entre esse ano e 2016: http://ptsco.jp/1KhkVHJ

Rolou protesto no desfile de Rick Owens: http://bit.ly/1Nlkz0v

Louboutin expande linha The Nudes para contemplar mais tons de pele: http://glo.bo/1NmAjky

Coruripe ganhará Polo Têxtil que beneficiará 100 costureiras locais: http://bit.ly/1BU66s4

Modelos apoiam animais: http://glo.bo/1e7YWFe

 

Bom final de semana, lindezas!

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Mulher que inspira

Conheci a Carol Patrocinio quando nós tínhamos 18 anos, nós éramos parecidas no jeito de vestir e tínhamos muitos amigos em comum. Estivemos juntas em inúmeras situações, algumas muito felizes, outras nem tanto.

Nós não somos melhores amigas de infância, nos últimos anos, quando tudo deixou de ser festa e nós “viramos adultas”, a vida nos afastou, mas a internet traz de volta para nossa vida tudo o que é bom. Obrigada por isso internet!

Assim, acompanho o dia a dia da Carol no trabalho, ela trabalha com redes sociais e escreve oPreliminares, se você nunca leu, leia. Vai abrir sua mente, seu coração e seu corpo, para tudo o que há de melhor na vida!

Também acompanho o dia a dia da Carol como mãe, ela tem dois filhos, o Lucca, que é um príncipe de sorrisinho maroto, e o Chico, um anjinho de cabelos enrolados com o olhar doce como o da mãe.

Carol Patrocinio

vestida para a marcha do Parto em casa

Na internet eu também acompanhei os ideais da Carol, que ela não esconde! A Carol é feminista, e lá no fundo eu também sempre fui, mas foi lendo os links que ela postava, os textos que ela publicava e as brigas que ela comprava que eu me engajei. Eu sou feminista, e em parte a culpa dela!

Carol Patrocinio

posando para o The Nu Project

Por isso escolhi a Carol para inspirar vocês nesse Dia Internacional da Mulher, porque ela já me inspirou muito também!

Eu poderia ter escolhido alguém ultra-famoso, ou qualquer uma das mulheres que estão aí, na mídia, todos os dias. Mas quando eu penso em mulher que inspira, não penso em estrelas, penso em mulheres que no dia a dia travam e vencem batalhas, por elas mesmas e por todos aqueles que elas amam.

Eu queria que a Carol deixasse algo aqui para vocês sentirem um pouco de como é acompanhar uma mulher com ideais tão sólidos e bem construídos, então fiz algumas perguntas, confiram:

Para você, qual é a importância das manifestações feitas em redes sociais sobre os direitos da mulher? Vale a pena se manifestar no Facebook, Twitter, etc?

Carol: Vale a pena sim! Cada pessoa atingida e transformada pelo que a gente fala já vale o esforço. A verdade é que as pessoas seguem o que ouvem sem pensar muito e quando você dá argumentos, números e fala com certeza de um assunto elas passam a te ouvir e dão uma chance para esse novo ponto de vista.

Qual foi o momento da sua vida que fez com que você se assumisse feminista?
Carol: Foi um processo, mas foi muito mais a vontade de tirar a carga negativa que a palavra tinha pra mim – olha que coisa maluca. Eu sempre fui assim, briguenta, sem aceitar diferenças e muito menos injustiças, então era uma coisa normal. Fui criada acreditando que o feminismo era o contrário de machismo e a hora que descobri, na prática, que não tinha nada disso, que era uma luta por igualdade, me vi ali.
Muito disso tem a ver com meu marido, que é bastante interessado na militância negra, trabalhou no MST e me ajudou a ver o mundo com olhos ainda mais sensíveis.
 
Que conselho você daria para nossos leitores com relação ao futuro da mulher, e sobre como podemos melhorar essa perspectiva?
Carol: O conselho é escolher bem as lutas e nunca desistir. Cansa, a gente acha que não tá adiantando nada, que as coisas não vão mudar mas nem imagina o bem que está fazendo por cada pessoa que se inspira na nossa força. Fazer SEMPRE o melhor, o que a gente acredita e não aceitar menos do que merece é uma obrigação. 🙂
Um dia depois que convidei a Cá para ser a nossa inspiração feminina aqui no O Cabide, acabamos por coincidência, trabalhando juntas para criar o projeto do “Seria um lindo dia se“, que eu considero a cereja no bolo da visita dela ao site!
Obrigada Cá!
*imagens: reprodução
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Seria um lindo Dia Internacional da Mulher se…

Aconteceu como uma coisa corriqueira, a Carol fez um post no Facebook pedindo ajuda dos amigos designers, eu não sou a designer por formação, mas faço muita arte por aí (rs!), então prontamente me ofereci para ajudar, mesmo sem saber do que se tratava.

No final das contas ela conseguiu reunir 8 pessoas numa janela de chat, tudo pela vontade de transformar esse 8 de março, Dia Internacional da Mulher, em algo mais significativo.

Nós adoramos!

Textos, fontes, designs, tudo foi acontecendo em uma só tarde, e até o final do dia, rodeada de amor e emoção a página nasceu.

Seria um lindo dia se...

Na página “Seria um lindo dia se…” apontaremos estatísticas e dados que provam que esse não é um dia de comemoração, longe disso. A luta da mulher pelo seu papel de direito na sociedade está longe de acabar, e o que foi conquistado até agora foi pouco perto do que poderia ser.

Todos os dados que vocês verão na página são reais e possuem fonte.

O nascimento da página já despertou ideias em muitas lindas e lindos, as pessoas já começaram a ver o porque elas não poderiam comemorar esse dia.

E só por isso, já sinto que nossa missão foi cumprida.

Se o que a gente sabe, e vai compartilhar, afetar qualquer pessoa de qualquer forma, nossa missão foi cumprida.

Me sinto privilegiada e abençoada por ter tido a chance de fazer parte do desenvolvimento desse projeto.

Fiz esse post para que vocês conhecessem mais sobre o projeto, mas o fiz também para registrar meu carinho e respeito pelos envolvidos: Carol Patrocinio, Lucas Coelho, Patricia Borbolla Baroni, Leticia Vendrami, Danutti de Carvalho, Juliana Kataoka e Ludmila Maia.

Vocês são incríveis, conhecer e trabalhar com vocês foi lindo! Vai ser com atitudes assim que num futuro não muito distante, o Dia Internacional da Mulher será realmente uma data a ser comemorada.

Visitem a página e não comemorem com a gente!

fb.com/seriaumlindodiase

imagem:reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.