Na intimidade de Brigitte Bardot

As fotos a seguir foram feitas em um único final de semana, quando o fotojornalista Ray Bellisario, conhecido como “O paparazzo original de Londres”, encontrou Brigitte Bardot em 1968 e a convenceu a passar uma noite com ele.

“Eu disse, ‘Venha comigo”, e ela veio!” contou o fotógrafo em entrevista com Johnny Kerry, em que discutiu a lendária noite. “E ela disse, ‘Oh, isso é divertido, eu fui sequestrada!'” Os dois fugiram da trupe de seguranças que cuidavam da estrela francesa do cinema, foram para um pub tomar um drink e passaram a noite no hotel em que Bellisario estava hospedado.

As fotos, que nunca tinha sido vistas até hoje, capturam o magnetismo inegável da sereia com suas franjas louras, delineado de gatinho e laço preto. A série de fotos é intíma e revela momento de flerte entre os dois. O fotógrafo afirma que apesar do beiio que recebeu da atriz na manhã seguinte eles jamais se viram novamente.

Além das foto de Bardot, Bellisario é conhecido por ter feito fotos clandestinas da Rainha da Inglaterra em suas roupas de banho. As fotos que ele fez da Rainha e da família real geraram muitas controvérisias, o que levou a indústria a questionar o seu status como fotojornalista.

Qualificado ou não, objetificando ou não o aquele que fotografa, ele é capaz de produzir boas imagens. E a série “Brigitte Bardot: 13 Unseen Photographs, London 1968” (em exposição no Dadiani Fine Art em Londres até 30 de junho) está aí para comprovar.

 

*imagens: reprodução

**fonte

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Antes da bolinha amarelinha

Helô Pinheiro

Helô Pinheiro

Micheline Bernardini

Micheline Bernardini

Ursula Andress

Ursula Andress

O biquíni adquiriu esse nome por ter estreado durante os testes nucleares realizados no atol de Biquíni. Os inventores franceses, o engenheiro Louis Réard e o estilista Jacques Heim, apelidaram a criação de biquíni porque achavam que obteriam uma reação explosiva! Estavam absolutamente certos!

Grandes momentos do Biquíni:

  • 1957: Brigitte Bardot brinca na praia vestindo um biquíni no filme E Deus criou a mulher. O mundo todo ficou boquiaberto, e o biquíni se tornou rapidamente um item desejado. 
  • 1960: É lançada a canção Biquíni de bolinha amarelinha. As vendas dos biquínis atingem níveis nunca imaginados!  

 

  • 1962: Ursula Andress veste um biquíni branco com um cinto no filme de James Bond, 007 contra o satânico Dr. No, e agita o mundo todo com sua sensualidade. 

 

  • 1964: O Monoquíni é apresentado na Europa. O Vaticano o condena, os norte-americanos amam e os europeus continuam a fazer história na moda. 

 

  • 1982: Phoebe Cates sai da água num biquíni vermelho no filme Picardias estudantis, essa cena é inesquecível e muito copiada! (Esse filme é sensacional, se você não assistiu, assista! Um clássico dos anos 80 que sempre vale ser visto!) 

 

  • 1983: Carrier Fisher usa um biquíni dourado em Guerra nas estrelas: o retorno de Jedi. Gente, é sério, ela tinha um corpo muito maravilhoso! Nem vestida de escrava sexual Carrie Fisher deixou de nos surpreender! 

 

  • 2002: Halle Berry usa um biquíni laranja com cinto no filme de James Bond, Um novo dia para morrer. Eu não acho necessariamente relevante, pois a Ursula tinha feito a mesma cena, mas foi bom ver uma bond girl negra e agitando um pouco as coisas em Hollywood, e acho que existia a intençaão de que isso marcasse o íncio de um novo ciclo, para o personagem e para as mulheres no cinema. 

*fonte – As 100+ – Nina Garcia

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Gainsbourg

Gainsbourg

Sua música arrebatou o mundo, ele mudou as artes e  todas as suas namoradas foram it girls.

Você com certeza conhece a música e agora poderá conhecer a história extraordinária da vida do homem que a criou:

*imagem e vídeo: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.