Tudo o que você precisa saber sobre Balenciaga

A Balenciaga pode ser uma marca muito diferente agora se comparada ao seu primeiro desfile que aconteceu em 1937, mas isso não faz com que o trabalho do seu fundador, Crist?bal Balenciaga, seja menos importante.

Balenciaga era um verdadeiro inovador que perseguiu incansavelmente e o caminho da perfeição. Dior propôs o New Look em 1947 e Balenciaga o desafiou com túnicas e vestidos saco que evoluíram para os minis da década de 1960. Ele viu e eventualmente conduziu grandes mudanças na forma como as mulheres se vestiam. Mesmo assim ele resistiu a algumas mudanças, ele nunca cedeu ao prêt-à-porter, ele permaneceu sempre na alta costura.

O designer era notoriamente conhecido por manter sua privacidade e só deu duas entrevistas em sua carreira. Por um tempo acreditou-se que ele só havia falado com a imprensa uma única vez já que era famoso por rejeitar todo tipo de publicidade.

Linha do tempo:

  •  1895: Em 21 de janeiro nascia Cristóbal Balenciaga Eizaguirre em Getaria, Espanha.
  • 1908: Aos 13 anos Cristóbal teve a chance de trabalhar como costureiro da Marquesa da Casa Torres.
  • 1919: A primeira casa de alta costura de Balenciaga foi inaugurada em Sab Sebastian, Espanha.
  • FATO CURIOSO: A aristocracia espanhola estava entre os clientes regulares de Balenciaga.
  • 1920: Balenciaga abriu sua segunda casa em Madri.
  • 1937-1938: Balenciaga expande seus negócios para Paris e abre sua primeira casa na França, no final deste mesmo ano ele desfilou com sucesso a sua primeira coleção.
  • FATO CURIOSO: Balenciaga se mudou para Paris por causa da guerra civil espanhola.
  • 1947: Cristóbal Balenciaga criou o seu primeiro perfume, Le Dix.
  • 1951: A ‘Balenciaga Revolution’ toma lugar na moda com a criação de silhuetas mais amplas, pescoços mais abertos e ombros mais largos.
  • FATO CURIOSO: Cristóbal Balenciaga sempre assistia seus desfiles dos bastidores, por trás das cortinas e raramente ia receber aplausos na passarela.
  • 1955: Cristóbal cria o vestido túnica.
  • 1957: Balenciaga revela sua coleção para a imprensa antes da data de revelação para o varejo, o que acabou criando um climão com entre os outros estilistas. A intenção por trás disso era tentar evitar a pirataria e a cópia dos seus designs.
  • FATO CURIOSO: Dizia-se que Christian Dior era um dos que se aproveitavam das cópias dos designs de Balenciaga, usando os mesmos cortes e silhuetas. A mídia não conheceria esse boato até muito depois, já que Cristóbal fazia de tudo para evitar a imprensa.
  • 1960: Balenciaga desenhou um vestido para a Rainha Fabiola da Bélgica.
  • FATO CURIOSO: Não só a realeza vestia Balenciaga como existia um boato de que Jackie O. discutia sempre com o marido, o presidente John F. Kennedy, por comprar as peças caras da casa espanhola. JFK  se preocupava que o povo americano se incomodasse com a aparência das finanças do presidente e sua esposa.
  • 1968: Cristóbal Balenciaga se aposenta com 74 anos, fechando as casas de Paris, Madri e Barcelona.
  • FATO CURIOSO: A última aparição pública de Balenciaga foi no funeral de Coco Chanel. A estilista já havia afirmado que Cristoal era um dos poucos designer da época que sabia criar, cortar e montar um vestido sozinho.
  • 1972: Cristóbal Balenciaga faleceu e foi enterrado em sua região de origem na Espanha.

*fontes 1,2

 

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

René Gruau

Todos os dias vocês veem em nossa página fotos do início do século passado, feitas pelos mestres precursores da fotografia de moda, reinventando-a e servindo como ferramenta para elevar a moda publicada em revistas ao status de arte.

Em nossa sessão sketchbook você podem ver ilustrações e seus criadores da atualidade, artistas modernos que utilizam de recursos tecnológicos para criar digitalmente cores, formas e movimentos.

Uma hora ou outra teríamos de mesclar esses temas e abordar as ilustrações de moda do início do século XX também, né?

Pois esse dia chegou! Hoje vamos falar sobre René Gruau, o ilustrador italiano que retratava a moda de maneira exagerada, sua habilidade e criatividade contribuíram para mudar a indústria da moda, quando ajudou a popularizar ainda mais as tendências da época.

Renée Gruau

“Rouge Baiser”, 1949

Gruau trabalhou para inúmetas publicações, tais como Marie-Claire, Femina, Elle, Vogue, Harper’s Bazaar, Flair, L’Officiel, Madame Figaro, e L’Officiel de la Couture. Além disso o artista foi contratado por designers renomados como Pierre Balmain, Christian Dior, Jacques Fath, Balenciaga, Elsa Schiaparelli, Rochas, Lanvin, Elizabeth Arden e Hubert de Givenchy.

Renée Gruau

“Dior”, 1978

As ilustrações de René dava vida as peças de alta costura dos estilistas, expandido a popularidade de suas marcas, e ainda acabava por reinventar seus designs, dando a elas um novo brilho e luz que faltava na moda.

Suas linhas simples não são a marca registrada de seu trabalho, e sim algo integral em seu design por ser uma característica reproduzível em larga escala. René trabalhava exaustivamente em seus desenhos e rascunhos  para manter aquilo que considerava essencial, que era o fato de que o resultado final deveria surgir de uma vez e espontaneamente.

Confira trabalhos variados de René:

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

Renée Gruau

http://www.renegruau.com/

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Uma visita ao passado

Eu gosto de visitar o passado sempre que possível, para mim somente lá podemos ver o vanguardismo verdadeiro, talvez eu pense assim por ser de uma geração que tem a mimética como base cultural.

De qualquer forma, verdadeiro ou copiado, o estilo de décadas atrás é incrivelmente atraente, assim como as poses das modelo, com lábios tão bem delineados, cabelos bem moldados e olhar cativante.

Hora ou outra tiro um tempo só para contemplar esse tipo de imagem, até por que eu tenho postado imagens vintage na nossa página no Facebook, e por sinal percebi que o pessoal tem adorado!

Durante minhas pesquisas encontrei essas imagens incríveis de modelos vestindo Balenciaga, não tinha como deixar de postar aqui!

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

Balenciaga 1939

 1939

Balenciaga 1940

1940

Balenciaga 1941

1941

Balenciaga 1945

Balenciaga 1945

Balenciaga 1945

Balenciaga 1946

Balenciaga 1946

1946

Sobre o estilista:

Um verdadeiro inovador, Cristóbal Balenciaga mudou radicalmente a silhueta feminina no meio do século XX. Ele criava peças perfeitamente ajustadas e, ao contrário da maioria dos estilistas ele sabia drapear, cortar e ajustar suas próprias moulages. Foi imensamente respeitado por seu conhecimento técnico e construção, assim como seu categórico perfeccionismo.

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.