Livros para refletir sobre política

Ontem tivemos uma grande decepção. Depois de tanto estresse e ansiedade sobre os resultados da eleição, tivemos um resultado assustador e até os mais esclarecidos não sabem que rumo tomar daqui para frente. Nessa segunda feira acordamos com uma dor que vai além da derrota, por isso, se você precisar tire uns dias, fuja das redes sociais, comece a assistir uma série nova na Netflix (você viu que Chilling Adventures of Sabrina já está no catálogo?), passe um tempo com pessoas que você ama (mesmo que seja uma ligação por telefone ou Facetime),faça um bolo de chocolate, compre um batom novo, faça o que for preciso para recuperar o folego, nós precisaremos de você para seguir em frente e planejar os próximos passos da nossa luta.

Eu sei que para muitos política não é um assunto fácil, até porque nós não temos uma cultura de compreender e participar da política durante nossa formação como cidadãos. Por isso achei que seria bacana fazer uma lista com livros que refletem sobre política, são fáceis de ler e entender e que possam te deixar ainda mais preparado para a resistência.

Dá uma olhada:

Em Não Basta Dizer Não, Naomi Klein (que é uma jornalista conhecida por questionar governos e avaliar como o capitalismo afeta nossa sociedade) examina o atual momento político-econômico pós-eleição de Donald Trump. Nesse livro ela reflete sobre como Donald Trump foi eleito, se o conservadorismo está avançando e o que devemos fazer diante de tal situação.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Em Vozes de Tchernóbil, a bielorrussa Svetlana Aleksiévitch dá espaço a palavra daqueles que vivenciaram e foram impactados pela tragédia nuclear. A autora passou quase vinte anos entrevistando pessoas comuns, trabalhadores, cientistas e camponeses, sabendo que quase todos os que sobreviveram provavelmente perderam alguém como consequência da explosão ou por causa do combate às fissura dos reatores. O livro acaba sendo uma crítica duríssima a forma como os governantes conduziram as evacuações, a contenção do reator, os tratamentos médicos e a vida de todos os que sobreviveram e ainda pagam o preço do acidente.

Prepare os lencinhos, é bem difícil ler essas histórias sem se emocionar.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Cama de gato conta a história de um homem comum que decide investigar o bombardeio atômico no Japão na Segunda Guerra Mundial. A pesquisa o leva a passar por transformações e mudanças de pontos de vista sobre política, religião e ciência. Além de uma boa leitura, é também uma crítica sobre o uso do conhecimento a favor da destruição em massa, sobre fanatismo religioso e sobre intolerância.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

O subtítulo já diz tudo: “Como o dinheiro, a falta de dinheiro, a insanidade e a safadeza construíram o mundo mais próspero de todos os tempos”. O livro passa pela história das moedas, ao sobe e desce das bolsas, até a ameaça da inflação, desvendando economia e finanças em uma linguagem simples e acessível.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Desigualdade social, racismo, machismo, incontáveis modalidades de opressão e intolerância são alguns dos temas tratados por 34 poetas brasileiros nessa coletânea. Entre os autores estão nomes como Conceição Evaristo, Ana Cristina Cesar, Paulo Leminski, Laura Liuzzi, Hilda Hilst. É o tipo de livro que devoramos e com certeza vai te fazer erguer a cabeça para lutar.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

O livro 1984 foi escrito por George Orwell e  trata de uma distopia escrita em 1949 que projeta como seria a vida no futuro distante de 1984. A história se passa na Oceania, um dos três blocos, permanentemente em guerra entre si, em que todo o planeta se divide. Governada pelo regime totalitário do Partido, a Oceania é a casa do protagonista Winston Smith, alguém que passa gradativamente a questionar e resistir à interferência e vigilância do Estado em todas as esferas da vida do indivíduo.

Desde que Donald Trump foi eleito esse livro tem estado constantemente em pauta e acredito que agora seja uma leitura ainda mais interessante para os brasileiros.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.