Wishlist de maquiagem

Sabe quando você está em um daqueles dias em que o cansaço é demais, o corpo está dolorido e o trabalho não acaba e tudo o que você quer é gastar todo o limite do seu cartão de crédito em maquiagem? Então, para mim hoje é um dia desses.

Mas com a idade vem o juízo e eu até comprei uns produtinhos da Vult (que eu vou testar com vocês ainda essa semana em uma live no Instagram) para acalentar o coração, mas fui bastante contida!

Para não ficar com aquela sensação triste de ser perseguida pelas coisas que deixei de comprar, decidi fazer uma lista com tudo que me faria enfiar o pé na jaca:

Gel para Sobrancelha Kat Von D 24-Hour Super Brow Crème – Roxy Purple

Eu amo sobrancelhas coloridas e fiquei animadíssima ao ver que os produtos lançados pela Kat Von D chegariam ao Brasil.

Custa R$99
COMPRE AQUI

Primer para sombras Primer Potion

Quando se trata de maquiagem sombras são um dos itens nos quais não tenho receio de economizar. Mas para obter um resultado realmente bom, é preciso de um bom primer e esse é um clássico.

Custa R$149
COMPRE AQUI

Lápis De Sobrancelhas Precisely, My Brow Pencil

Eu já nem sei mais quanto tempo faz que eu uso exatamente os mesmos produtos para fazer a sobrancelha (Lápis Eyebrows nas cores Stud e Spiked, e Pro Longwear Brow ser na cor Quiet Brunette, ambos da MAC). Raramente sinto vontade de experimentar algo diferente, porém a Benefit lançou uma versão mini para o seu lápis que tem sido queridinho entre as YouTubers, então achei que também valeria a pena experimentar.

Custa R$69
COMPRE AQUI

Obssessions Eyeshadow Palette Eletric

Huda Beauty #pleasecometoBrazil

Custa R$219
COMPRE OU ENCOMENDE AQUI

Stunna Lip Paint Fenty Beauty – Uninvited

Eu acho no mínimo uma injustiça que eu não tenha nenhum produto da Fenty Beauty. 😐

Custa R$179,90
COMPRE AQUI

Eu sei que essa wishlist está cheia de preços exorbitantes. Se você curte maquiagens mais baratinhas me acompanhe no Instagram onde testo esse tipo de produto:

Vocês gostariam de ver resenhas de produtos para maquiagem aqui no blog?

Papo cabeça: tudo o que rolou na live de ontem sobre Transtorno Bipolar

Ontem a noite, 04/11, fiz uma live no Instagram para falar sobre saúde mental. Eu estava toda preparada, tinha anotações e no dia anterior tinha pedido para que vocês me enviassem questões sobre o tema. Mas a verdade é que eu estou há tanto tempo querendo falar com de forma mais aprofundada sobre o assunto com vocês, que acabou saindo tudo de uma vez.

Mesmo assim foi muito legal, pude esclarecer algumas dúvidas e compartilhar um pouco da minha experiência como alguém que já vive com esse diagnóstico há alguns anos. Prometi que faria um post para organizar os tópicos tratados durante a live e cá estou!

Vamos lá?

O que é Transtorno Bipolar?
Trata-se de um distúrbio mental grave no qual a pessoa apresenta períodos de alternância de humor, que duram dias, meses ou até anos. A doença já foi conhecida como transtorno maníaco-depressivo e sua classificação é CID10 F31.

O Transtorno Bipolar é crônico (não tem cura), mas tem diversas opções de tratamento entre medicamentos e terapias. Não é um transtorno fácil de identificar, e um paciente pode recebe diversos diagnósticos antes de chegar a esse.
Por que eu fico brava quando alguém fala que é bipolar porque muda de humor?
Primeiro porque transtornos mentais não deveriam ser banalizados. E segundo porque não é assim que o Transtorno Bipolar funciona. Esse transtorno se caracteriza por mudanças cíclicas, é verdade que elas podem acontecer subitamente, mas podem durar por um período cuja duração pode variar. Esses ciclos podem ser depressivos ou maníacos.

Quais são os sintomas?
Depressão: humor deprimido, tristeza profunda, apatia, desinteresse pelas atividades que antes davam prazer, isolamento social, alterações do sono e do apetite, redução significativa da libido, dificuldade de concentração, cansaço, sentimentos recorrentes de inutilidade, culpa excessiva, frustração e falta de sentido para a vida, esquecimentos, ideias suicidas.

Mania: estado de euforia exuberante, com valorização da autoestima e da autoconfiança, pouca necessidade de sono, agitação psicomotora, descontrole ao coordenar as ideias, desvio da atenção, compulsão para falar, aumento da libido, irritabilidade e impaciência crescentes, comportamento agressivo, mania de grandeza. Nessa fase, o paciente pode tomar atitudes que reverterão em danos a si próprio e às pessoas próximas, como demissão do emprego, gastos descontrolados de dinheiro, envolvimentos afetivos apressados, atividade sexual aumentada e, em casos mais graves, delírios e alucinações.

Hipomania: os sintomas são semelhantes aos da mania, porém bem mais leves e com menor repercussão sobre as atividades e relacionamentos do paciente, que se mostra mais eufórico, mais falante, sociável e ativo do que o habitual. Em geral, a crise é breve, dura apenas uns poucos dias. Para efeito de diagnóstico, é preciso assegurar que a reação não foi induzida pelo uso de antidepressivos.

Uma pessoa com transtorno bipolar que recusa tratamento pode se tornar violenta?
Existem momentos dentro da mania que são marcados por extrema irritação. É possível sim que alguém nesse estado fique mais agressivo. Mas não é possível dizer de forma generalizada que essa agressividade chegue ao ponto da violência, até porque cada caso é um caso. O que pode ser dito com certeza é que essa agressividade é mais perigosa para o próprio paciente do que para as pessoas ao seu redor.

Todo tratamento para o transtorno bipolar engorda?
Não necessariamente. Porém cada medicação atua de um jeito diferente e cada corpo compreende o tratamento de um jeito diferente. Mas eu digo isso do fundo do meu coração: sem meu tratamento eu não seria a pessoa que sou hoje. E eu prefiro mil vezes ser gorda e ter autoestima, poder planejar um futuro, saber que mesmo em momentos difíceis existe esperança e que eu sempre vou ficar melhor, do que ser a mulher insegura, triste, que não conseguia viver mais do que um dia após o outro e que não via sentido na vida.

Seu tratamento funciona?
Estou fazendo o mesmo tratamento desde 2013, tive muitos percalços, mas a persistência e o apoio incondicional dos meus pais me mantiveram lutando. Continuo alternando ciclos, hoje em dia estou mais entre a depressão e a hipomania, mas tenho acompanhamento médico, faço acupuntura, tenho boa alimentação, tomo meus remédios religiosamente e tive um excelente resultado com terapia cognitivo comportamental. Eu sempre digo que estou em um tratamento muito bem sucedido, porque a mudança na minha qualidade de vida é notável, hoje em dia eu tenho toda uma estrutura que me mantem seguindo em frente mesmo quando não estou bem.

Selecionei alguns links para textos e matérias que mostram o transtorno bipolar de forma esclarecida, eloquente e embasada (clique nos títulos para ler):

Transtorno bipolar é a doença de maior associação com o suicídio

Cientistas brasileiros criam programa para diagnosticar esquizofrenia e transtorno bipolar através do relato de sonhos

Grávidas e bipolares

Dia Mundial do Transtorno Bipolar

Entre a euforia e a depressão – Diversos escritores famosos eram portadores de transtorno bipolar; seus altos e baixos extremos deram origem a grandes clássicos

“Falavam para não me contrariar”: relato de mulher com transtorno bipolar

Transtorno bipolar Reconhecendo mania, hipomania e depressão bipolar

 

Deixem suas dúvidas nos comentários o por email: ocabideblog@gmail.com

Se cuide, priorize sua saúde e estabilidade, busque ajuda, fuja de esteriótipos, respeite seus limites e saiba que não há problemas em não estar bem.

Ainda falarei muito mais sobre esse assunto, então fiquem ligados nas redes sociais d’O Cabide:

www.facebook.com/OCabideOficial

www.instagram.com/ocabide

twitter.com/ocabide

Galeria: Halloween das gordas

Os gringos passaram a semana toda curtindo o Halloween e em menor escala, os brasileiros também, afinal aceitamos qualquer desculpa para fazer graça e usar glitter.

É claro que as gordas não ficariam de fora das festividades (e da chance de criar um look arrasador). Algumas usaram looks temáticos, algumas arrasaram na maquiagem e tiveram aquelas nos deixaram boquiabertos com a criatividade e/ou riqueza de detalhes. Confira os looks:

Kristin Chirico (Buzzfeed)
Gabi Menezes (Garotas Gordinhas)
Jazmina Daniel
Vanessa Campos (Blogueira Fail)
Jessica Torres
Thainá Morango
Briana Hernandez (Mama Fierce Blog)
Ariane Freitas (Indiretas do bem)
An acting angel
Tess Holliday
Alyssa Marie
Nata Di Paula
Jazzmyne
Anna O’Brien (Glitter and lazers)
Joss (Blogayrinha Sexual)

Menção honrosa para a Lizzo que se fantasiou de Sailor Moon e Ursula:

View this post on Instagram

PERIOD. Tag @disney so I can get this role!

A post shared by Lizzo (@lizzobeeating) on

Coisas que bissexuais não aguentam mais ouvir

Para muitos bissexualidade é algo relacionado com confusão. Aparentemente a sociedade está aberta a discutir sexualidade de todas as formas, menos quando alguém se identifica com uma orientação sexual que inclui gostar tanto de homens, quanto de mulheres.

Mas o B da sigla LGBTQI+ não é de biscoito, com o questionamento sobre a heteronormatividade sendo algo cada vez mais constante e tem uma galera cada vez mais disposta a assumir desejos que latentes.

Ainda que seja algo constantemente invalidado, a bissexualidade é cada vez mais comum e quanto mais evidente isso fica mais vemos o preconceito e a invisibilidade. Por isso decidi fazer uma lista das coisas estereotipadas que bissexuais não aguentam mais ouvir?

“É só uma fase”

“Você gosta mais de homem ou de mulher?”

“Você curte ménage?”

“Não namoro bissexuais porque eles são promíscuos”

“Não dá para confiar”

“Você tem que se assumir, não dá para ficar em cima do muro”

“Então agora você é lésbica?”

“Eu jamais ficaria com uma mulher que já saiu com homens”

”Eu jamais ficaria com um homem que já saiu com outros homens”

“Homens não podem ser bissexuais”

“Você só quer chamar atenção”

“Ninguém apanha por ser bi”

“Bifobia não existe”

‘Bis tem privilégios hétero”

Se a sexualidade da mulher lésbica já é invisibilizada, a da mulher bi é ainda mais! Quando em um relacionamento com um homem, todo seus relacionamentos anteriores com mulheres serão questionados e suas vivências relativizadas. *Você sabia que mulheres bissexuais são maioria entre vítimas de assédio sexual e estupro, também são maioria entre vítimas de transtornos alimentares e entre depressivasansiosas suicidas?

Parem de cagar regra na orientação sexual alheia. Parem de oprimir pessoas que lutaram tanto para se encontrar. E parem de anular os amiguinhos, empatia e respeito é bom e TODOS nós merecemos.

*fonte: Comum

Livros para refletir sobre política

Ontem tivemos uma grande decepção. Depois de tanto estresse e ansiedade sobre os resultados da eleição, tivemos um resultado assustador e até os mais esclarecidos não sabem que rumo tomar daqui para frente. Nessa segunda feira acordamos com uma dor que vai além da derrota, por isso, se você precisar tire uns dias, fuja das redes sociais, comece a assistir uma série nova na Netflix (você viu que Chilling Adventures of Sabrina já está no catálogo?), passe um tempo com pessoas que você ama (mesmo que seja uma ligação por telefone ou Facetime),faça um bolo de chocolate, compre um batom novo, faça o que for preciso para recuperar o folego, nós precisaremos de você para seguir em frente e planejar os próximos passos da nossa luta.

Eu sei que para muitos política não é um assunto fácil, até porque nós não temos uma cultura de compreender e participar da política durante nossa formação como cidadãos. Por isso achei que seria bacana fazer uma lista com livros que refletem sobre política, são fáceis de ler e entender e que possam te deixar ainda mais preparado para a resistência.

Dá uma olhada:

Em Não Basta Dizer Não, Naomi Klein (que é uma jornalista conhecida por questionar governos e avaliar como o capitalismo afeta nossa sociedade) examina o atual momento político-econômico pós-eleição de Donald Trump. Nesse livro ela reflete sobre como Donald Trump foi eleito, se o conservadorismo está avançando e o que devemos fazer diante de tal situação.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Em Vozes de Tchernóbil, a bielorrussa Svetlana Aleksiévitch dá espaço a palavra daqueles que vivenciaram e foram impactados pela tragédia nuclear. A autora passou quase vinte anos entrevistando pessoas comuns, trabalhadores, cientistas e camponeses, sabendo que quase todos os que sobreviveram provavelmente perderam alguém como consequência da explosão ou por causa do combate às fissura dos reatores. O livro acaba sendo uma crítica duríssima a forma como os governantes conduziram as evacuações, a contenção do reator, os tratamentos médicos e a vida de todos os que sobreviveram e ainda pagam o preço do acidente.

Prepare os lencinhos, é bem difícil ler essas histórias sem se emocionar.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Cama de gato conta a história de um homem comum que decide investigar o bombardeio atômico no Japão na Segunda Guerra Mundial. A pesquisa o leva a passar por transformações e mudanças de pontos de vista sobre política, religião e ciência. Além de uma boa leitura, é também uma crítica sobre o uso do conhecimento a favor da destruição em massa, sobre fanatismo religioso e sobre intolerância.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

O subtítulo já diz tudo: “Como o dinheiro, a falta de dinheiro, a insanidade e a safadeza construíram o mundo mais próspero de todos os tempos”. O livro passa pela história das moedas, ao sobe e desce das bolsas, até a ameaça da inflação, desvendando economia e finanças em uma linguagem simples e acessível.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

Desigualdade social, racismo, machismo, incontáveis modalidades de opressão e intolerância são alguns dos temas tratados por 34 poetas brasileiros nessa coletânea. Entre os autores estão nomes como Conceição Evaristo, Ana Cristina Cesar, Paulo Leminski, Laura Liuzzi, Hilda Hilst. É o tipo de livro que devoramos e com certeza vai te fazer erguer a cabeça para lutar.

Disponível em versão impressa e para Kindle.

O livro 1984 foi escrito por George Orwell e  trata de uma distopia escrita em 1949 que projeta como seria a vida no futuro distante de 1984. A história se passa na Oceania, um dos três blocos, permanentemente em guerra entre si, em que todo o planeta se divide. Governada pelo regime totalitário do Partido, a Oceania é a casa do protagonista Winston Smith, alguém que passa gradativamente a questionar e resistir à interferência e vigilância do Estado em todas as esferas da vida do indivíduo.

Desde que Donald Trump foi eleito esse livro tem estado constantemente em pauta e acredito que agora seja uma leitura ainda mais interessante para os brasileiros.

Disponível em versão impressa e para Kindle.