Imelda

Colecionadora de sapatos, foi assim que a ex primeira-dama das Filipinas ficou conhecida pelo mundo, Imelda Marcos – a mulher dos 3.000 pares de sapato.

Esposa do ex presidente das Filipinas o ditador Ferdinando Marcos, de quem foi cúmplice durante seus 21 anos de mandato cheio de falcatruas.
Imelda veio de uma familia da alta sociedade, nasceu em 1929 nas Filipinas, mais especificamente na província de Leyte, onde competiu o seu primeiro concurso de Miss local, aos 18 anos, recebendo o título de “Rosa de Tacloban”. Depois venceu outro concurso recebendo o título de “Miss Leyte”.Nos anos 50 recebeu mais um título de “Musa de Manilla” como consolação do prefeito de Manilla após ter sido derrotada no concurso “Miss Manilla”, ficando indignada ao ponto de contestar o resultado do conscurso.

Imelda Marcos

*Miss Manilla, 1953

Em 1954 conheceu o deputado Ferdinando Marcos, afobados casaram com apenas 11 dias de noivado, na Catedral de Manilla, nesse dia Imelda ganhou brincos, anel de casamento com 10 quilates e um bracelete com 11 gemas uma para cada dia de noivado.

Como primeira-dama Imelda Marcos, era o principal destaque da carreira do marido, numa clara demonstração de nepotismo sendo promovida para vários cargos públicos.
Ela foi uma espécie de embaixatriz, exercendo o papel fundamental nas relações diplomáticas entre as Filipinas, na extinta União Soviética e nos países do oriente médio.
Teve uma certa ocasião em que os Beatles foram tocar no país, Imelda os convidou para um café da manhã mas a banda não compareceu. Imelda ficou furiosa, achando um absurdo monstruoso, acabou influenciando uma revolta dos filipinos contra os musicos que foram obrigados a se mandarem do país.

Imelda Marcos

 *Imelda e o marido

Imelda desviou milhões de doláres dos cofres públicos para manter a vida extravagante, comprar joias, roupas , casas, apartamentos e principalmente sapatos. Seus lugares preferidos para compras erma nas lojas grifes de Nova York e nas capitais mais importantes da Europa.
Comprou diversas propriedades em Manhattan, entre elas os edifícios Crown e Herald Center, o primeiro custando US$ 51 milhões e o segundo, US$ 60 milhões.

Ela e seu marido possuíam contas fantasmas em paraísos fiscais, e até uma conta na Suíça com nomes falsos: Ferdinando era “William Saunders” e Imelda era “Jane Ryan”.

Imelda Marcos

*Parte da coleção, foto tirada um ano após o casal ser exilado

Em 1986 o povo filipino invadiu o palácio presidencial e descobriu que a ex primeira-dama possuía já cerca de 1.200 pares de sapatos carissímos, que ela justificou dizendo a população carente e necessitada que centenas dos pares de sapatos eram presentes de “admiradores”.

Imelda Marcos foi condenada por corrupção na década de 1990, mas entrou com recurso e não foi presa.

A acusação era parte de um caso maior, em que Imelda e seu marido, o ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos, eram acusados de saquear a economia do país entre 1968 e 1986.

O casal foi derrubado do poder em uma revolta popular em 1986 e fugiu para o Havaí, onde Ferdinand Marcos morreu em 2002.

Imelda Marcos

Imelda Marcos

Imelda Marcos

Imelda Marcos

Hoje em dia Imelda Marcos é viúva, possui um museu para exibir os seus sapatos na cidade de Marikina conhecida como a capital dos sapatos, centenas desses sapatos são da época que ela fugiu das Filipinas com o presidente, em 1986. Certa vez Imelda contou a um repórter sobre a ocasião: “Eles foram aos meus armários em busca de esqueletos mas, graças a Deus, tudo o que encontraram foram sapatos, lindos sapatos”.

Após o falecimento do marido voltou para as Filipinas e concorreu 2 vezes ao cargo de presidência da República. Apesar de sua coleção ser de imensa contribuição para preservação da história da moda, é impossível esquecer ou perdoar as artimanhas da ex primeira-dama que tinha a ganância e o ego quase tão grandes quanto sua própria coleção de sapatos.

Imelda Marcos

O karma também inflado, no final do ano passado sua coleção foi afetada por enchentes e cupins, sem incentivo do governo e com instalações precarias, o museu está se deteriorando, a coleção inclui, além dos sapatos, roupas e joias, mas o acervo perdeu mais da metade de seus itens. Atualmente o museu conta com cerca de 765 pares, incluindo marcas famosas como Gucci, Charles Jourdan, Christian Dior, Ferragamo, Chanel e Prada.

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *