Antes da bolinha amarelinha

Helô Pinheiro

Helô Pinheiro

Micheline Bernardini

Micheline Bernardini

Ursula Andress

Ursula Andress

O biquíni adquiriu esse nome por ter estreado durante os testes nucleares realizados no atol de Biquíni. Os inventores franceses, o engenheiro Louis Réard e o estilista Jacques Heim, apelidaram a criação de biquíni porque achavam que obteriam uma reação explosiva! Estavam absolutamente certos!

Grandes momentos do Biquíni:

  • 1957: Brigitte Bardot brinca na praia vestindo um biquíni no filme E Deus criou a mulher. O mundo todo ficou boquiaberto, e o biquíni se tornou rapidamente um item desejado. 
  • 1960: É lançada a canção Biquíni de bolinha amarelinha. As vendas dos biquínis atingem níveis nunca imaginados!  

 

  • 1962: Ursula Andress veste um biquíni branco com um cinto no filme de James Bond, 007 contra o satânico Dr. No, e agita o mundo todo com sua sensualidade. 

 

  • 1964: O Monoquíni é apresentado na Europa. O Vaticano o condena, os norte-americanos amam e os europeus continuam a fazer história na moda. 

 

  • 1982: Phoebe Cates sai da água num biquíni vermelho no filme Picardias estudantis, essa cena é inesquecível e muito copiada! (Esse filme é sensacional, se você não assistiu, assista! Um clássico dos anos 80 que sempre vale ser visto!) 

 

  • 1983: Carrier Fisher usa um biquíni dourado em Guerra nas estrelas: o retorno de Jedi. Gente, é sério, ela tinha um corpo muito maravilhoso! Nem vestida de escrava sexual Carrie Fisher deixou de nos surpreender! 

 

  • 2002: Halle Berry usa um biquíni laranja com cinto no filme de James Bond, Um novo dia para morrer. Eu não acho necessariamente relevante, pois a Ursula tinha feito a mesma cena, mas foi bom ver uma bond girl negra e agitando um pouco as coisas em Hollywood, e acho que existia a intençaão de que isso marcasse o íncio de um novo ciclo, para o personagem e para as mulheres no cinema. 

*fonte – As 100+ – Nina Garcia

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *