História do perfume

Tão comum em nosso cotidiano, o perfume hoje está presente em todos os momentos de nossa vida, marcando todas as nossas memórias. Seja aquela fragrância que usamos todos os dias que já fazem parte da nossa personalidade ou aquela reservada para datas especiais, o perfume nos acompanha em todos os momentos.

Egito Antigo

Porém, essa deliciosa companhia nem sempre existiu como a conhecemos hoje. Hoje vou contar um pouco da história de como o perfume chegou até aqui!

Os egípcios foram os primeiros a utilizar os perfumes. Nesta época os perfumes eram encontrados como bálsamos, ungüentos ou fumaça pela queima de matérias perfumadas. Na idade média, eram utilizados também para rituais religiosos ou para fins medicinais.

Roma Antiga

China Antiga

O poder de sedução dos perfumes, que hoje conhecemos muito bem, foi valorizado desde o início, por isso, em muitos festivais as mulheres utilizavam cremes ou óleos perfumados como afrodisíacos.

No século XVII, os perfumes começaram a se tornar populares na Europa. Na França, em 1650, ficaram famosas as luvas perfumadas. Aplicados também nas roupas e nas mobílias, o uso do perfume na França não parou de crescer. No século seguinte foi inventado a Água de Colônia (Eau de Cologne), uma mistura de alecrim, bergamota, limão e néroli que fez com que o perfume entrasse de vez na vida europeia. A Água de Colonia era usada no banho, nas roupas, como limpeza bocal, e até mesmo diluída no vinho!

Pot Pourri by Herbert James Draper, 1897.

Pot Pourri, por Herbert James Draper, 1897

No século XIX, quando todo mundo já tinha um vidrinho de perfume na penteadeira, a indústria do perfume sofreu profundas mudanças. A alquimia saiu de cena e deu lugar à química moderna, possibilitando a criação de um número de fragrâncias que hoje é comum, mas na época era inimaginável. Paris se tornou o centro mundial dos perfumes, e as mais famosas casas de perfumes, como Lubin, Roger & Gallet, Houbigant (que produz o Quelques Fleurs, muito popular até hoje) e Guerlain, estavam todas ali.

Primeira campanha publicitária para Chanel for No.5 publicada na Harper’s Bazaar em 1937

Em 1921, Coco Gabrielle Chanel lança seu próprio perfume, criação de Enerst Beaux, batizado como Chanel N°5. Sim, o icônico Chanel N°5! Ele ficou eternizado após a declaração da diva Marilyn Monroe, que disse dormir vestida apenas com duas gotas do perfume.

No mesmo século outros grandes designers também passaram a criar suas próprias fragrâncias, como Nina Ricci, Pierre Balmain e o incrível Christian Dior.

Valentino Valentina Acqua Floreale, considerado pela Vogue como um dos melhores perfumes femininos para a primavera-verão 2013

Assim chegamos ao século XXI, com um número ilimitado de perfumes de todos os países,  com fragrâncias e tipos diferentes (Eau de Cologne, Eau de Parfum, Eau de Toilette e o Extrato, Perfume ou Parfum). Hoje o perfume é indispensável em qualquer ocasião, e podemos ainda esperar muitas inovações para nos encantar e perfumar nossos dias!

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *