BEDA #23 – O que as principais publicações sobre moda e comportamento tem a dizer sobre “plus size”

Fiz uma pesquisa recentemente e percebi que as principais publicações especializadas em moda ou comportamento continuam negligenciando o plus size.

Esses são alguns exemplos do que temos encontrado sobre o assunto nos sites de tais publicações:

Vogue

Aparentemente a Vogue acredita que o universo plus size se resume a modelos famosas no Instagram, principalmente Tabria Majors e Ashley Graham.

Clique nas setas ou nas imagens para navegar na galeria:

Chic

A busca do site não aponta para resultados especificamente sobre plus size. Dentre as notícias presentes a grande maioria é do período entre 2010 e 2012, quando o Chic parece ver o segmento com mais seriedade. O passado do site é cheio de escorregões, principalmente nas varias vezes em que classificou como plus size notícias sobre perda de peso.

É engraçado que justamente neste momento em que vivemos, uma publicação desse porte escolha não falar sobre moda de forma mais diversa.

Clique nas setas ou nas imagens para navegar na galeria:

Marie Claire

A Marie Claire parece mais disposta a falar sobre moda com diversidade, sem mostrar o plus size de forma caricata. Ainda assim todas as notícias mais recentes da publicação são relacionadas à modelos, principalmente Ashley Graham (quelle surprise!).

Clique nas setas ou nas imagens para navegar na galeria:

Glamour

Apesar de ter passado por alguns deslizes, a Glamour é a única revista dessa lista que trata as pautas do segmento plus size com a mesma seriedade que qualquer uma de suas editorias.

Clique nas setas ou nas imagens para navegar na galeria:

A conclusão que tiro dessa pesquisa é que nós, os gordos, precisamos ocupar mais espaço dentro do jornalismo de moda. Eu sei que a ideia de ser modelo plus size é tentadora, mas nós precisamos mais do que nunca de jornalistas, conteudistas, editores, diagramadores, designers e fotógrafos gordos, para assim termos a chance de aparecer em publicações especializadas de forma que não seja como um token de diversidade.

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *