BEDA #13 – 10 fatos sobre o segmento plus size

No post de ontem mostrei alguns fatos da história da moda e da indumentária, nele eu acrescentar um tópico sobre moda plus size, mas achei que seria bacana pesquisar mais um pouco e juntar fatos sobre esse tema para um outro post. Na minha pesquisa encontrei varias informações sobre moda, mas também encontrei algumas coisas sobre comportamento, dá uma olhada:

  • Em 2014 o estilista Rick Owens apresentou um desfile da coleção verão com um casting totalmente composto por bailarinas plus size em plena Semana de Moda de Paris.
  • Ao contrário do que vimos nas notícias, a Torrid não foi a primeira marca plus size a desfilar na NYFW. Em setembro de 2013 a estilista Eden Miller of Cabiria apresentou seu desfile como parte de uma ação com o Fashion Law Institute no Lincoln Center.
  • Bia Gremion foi a primeira modelo tamanho 60 a desfilar na SPFW.
    foto: Ze Takahashi / FOTOSITE
  • Lane Bryant foi a primeira marca a usar o termo plus size em 1927.
    Catálogo da Lane Bryant
  • O segmento de moda plus size no Brasil fatura até 5 bilhões por ano.
Pop Plus | Foto: Thaysa Wandeur
  • Em 2015 Ashley Nell Tipton foi a primeira (e única até momento) estilista gorda a vencer o reality Project Runway. Hoje ela está à frente de sua própria marca plus size.
Final do Project Runway
  • Em 2015 a Marisa lançou a campanha para sua primeira linha exclusivamente plus size, que foi estrelada por Flúvia Lacerda.
    Flúvia Lacerda para Marisa | Foto: Divulgação
  • Estima-se que o movimento body bositive como conhecemos hoje tenha começado em 1967 após a publicação do ensaio “More People Should Be Fat” de Lew Louderback.
    “More People Should Be Fat” – Lew Louderback
  • As hashtags #curvy e #curvygirls foram banidas no Instagram e ainda que você consiga navegar entre elas normalmente, usando-as você corre o risco de ter o alcance de seus posts reduzido e até prejudicar a eficácia das outras hashtags no seu post.
Print do bloqueio da hashtag em 2015
  • Gordofobia ainda não é crime, mas ofender alguém por causa da aparência pode ser:
    Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa

História de Fogo

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *