Trintão

Quem disse que completar 30 anos é um grande marco em sua vida, mentiu.

A vida já é complicada demais para que nossos marcos estejam condicionados a idade.

Você não é uma bomba relógio, desliga o timer e planeje a sua vida com calma. O mundo não vai desabar se você não for mãe, esposa e CEO até os 30.

Estou prestes a completar 31 anos (dia 20/08, aguardo presentes ❤️) e minha vida teve tantos plots twists, e foi tão instável, que nunca atingi nenhum dos marcos tradicionais. Sou bipolar e com os altos e baixos da minha doença, estudar é difícil, ter relacionamentos é um drama e uma carreira sólida é mais que um desafio.

Eu poderia me sentir derrotada, e realmente foi assim que me senti por muito tempo. Todos os planos que fiz para minha vida quando era mais nova não deram certo, aliás tive que aprender a duras penas que uma vida como a minha não pode ser planejada, e que lidar com a culpa e a sensação de fracasso que isso causava quase me derrubou e foi motivo para muitas crises de ansiedade.

Eu só percebi de verdade que não dá para ter controle sobre a nossa vida, quando meu pai faleceu inesperadamente. É clichê, eu sei, mas a gente realmente só vê o quanto a vida é frágil quando ela acaba diante dos nossos olhos.

Ainda assim, essa lição não mudou minha condição, não fez com que tudo ficasse mais fácil e não fez com que eu magicamente tivesse estrutura para mudar minha vida. Mas fez com que eu mudasse minhas prioridades, e parar de me preocupar em atingir “pontos altos” me fez começar a aceitar e compreender meus medos e limitações. Foi assim que finalmente pude ver que o grande marco da minha vida não foi um emprego ou uma viagem, o meu grande marco foi sobreviver a mim mesma e chegar até aqui inteira e disposta para seguir em frente.

Sucesso não tem um só significado e não tem receita. Não se esqueça que estudar é um privilégio, carreira e filhos são uma escolha e relacionamentos são para deixar a gente mais feliz. Nada disso é obrigatório, pare de se pressionar!

Assim como a minha vida não coube nos moldes tradicionais, a sua pode não caber, e não há nada de errado nisso.

Não tenha medo do fracasso e não tenha medo de começar de novo, a vida não tem ordem certa para acontecer.

*imagem: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *