Happily Ever After

Para enfeitar o nosso porta retrato hoje escolhi as fotos que Anne Hathaway fez para Vogue US, em novembro de 2010, com o fotógrafo Mario Testino que são simplesmente incríveis.

O styling é de Tonne Goodman e os vestidos de contos de fada são de Isaac Mizrahi, Oscar de la Renta e Carolina Herrera, o parceiro da atriz para as fotos foi o ator francês Raphaël Personnaz.

Dá uma olhada:

Anne Hathaway - Mario Testino - Vogue

Anne Hathaway - Mario Testino - Vogue

Anne Hathaway - Mario Testino - Vogue

Anne Hathaway - Mario Testino - Vogue

Anne Hathaway - Mario Testino - Vogue

Confira também o making of desse photoshoot:

http://player.cnevids.com/embed/51716fcfc2b4c00c18e54140/5176e90368f9daff42000014

*Imagens e vídeo: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Editorial sombrio

Fazia tempo que não postava algo aqui no Porta Retrato, e para tirar a poeira da sessão onde penduramos editoriais de moda do mundo todo, decidi postar algo que tivesse a cara da Halloween que se aproxima.

Essa série de fotos tem como estrela a obscura modelo Meluxine fotografada de forma assustadoramente linda por Peter Coulson.

As fotos são todas em preto e branco e um glamour sombrio foi dado à modelo.

Para os looks foram utilizados um vestido de noiva e véus da loja australiana Montage.  O vestido escolhido é um modelo de 150 anos de idade, que se soma a ilusão de que a modelo está morta há muitos anos.

Dá uma olhada:

Meluxine - Peter Coulson

Meluxine - Peter Coulson

Meluxine - Peter Coulson

Meluxine - Peter Coulson

Meluxine - Peter Coulson

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Um fotógrafo que traduz sonhos em imagens

Mylovt

Mylovt

 O artista espanhol Antonio Mora, conhecido por seu codinome Mylovt, é um fotógrafo que usa mixagens de imagens disponíveis na internet, blogs, revistas e base de dados, por exemplo, para criar incríveis montagens que só poderiam ser reproduzidas em lindos sonhos lúcidos. São, segundo ele mesmo, imagens feitas para provocar.

 Todos passam por suas imagens; Mora utiliza o rosto de qualquer pessoa que queira ser sublimada em suas imagens. Diferente da ótica de moda, que vai sempre atrás de novos rostos para suas produções, o fotógrafo tenta utilizar as coisas que recebe e que já estão disponíveis, tentando enxergar através delas algo único. Se você mandar uma foto de você mesmo e escrever algo sobre sua personalidade, o artista vai enviar de volta um sonho personalizado em alguns dias. Rostos são mesclados com elementos da natureza ou construções, formando uma imagem super inspiradora de rostos.

Ele prefere defini-los como grandes coquetéis. E parece mesmo que ele consegue pegar uma imagem líquida e misturá-la com uma paisagem incrível em um copo e depois despejar tudo em forma de arte. Utiliza imagens que não necessitam de uma produção complexa e elaborada por trás, sem equipamentos fotográficos sofisticados ou controle meticuloso da luz. Mylovt dá a entender que qualquer um com acesso à internet, tempo livre e curiosidade extrema para explorar a edição de imagens pode criar obras de arte.

O espanhol tenta recriar as memórias visuais que produzimos durante a fase mais profunda do sono e que perdemos ao acordar ou no decorrer do dia. É como se fossemos cheios de ideias incríveis e inspirações, mas que ficam guardadas em nós e não transbordam para a vida acordada, no dia a dia. As composições tentam diminuir esse desperdício e colher o que já existe dentro de nós.

*imagem: reprodução

Maria Antonieta moderna

Fazia bastante tempo já que eu não postava algo bacana aqui no porta-retrato, se você é recém-chegado aqui no O Cabide fique sabendo que o porta-retrato é a categoria onde postamos editoriais de moda.

Quando vi esse editorial da Vogue alemã achei que as cores, as poses e o styling tinham tudo para fazer desses cliques modernos uma obra do século XVIII, você não acham?

Toda essa opulência à la Maria Antonieta foi feita por essa turma:

Fotógrafo: Luigi + Iango

Stylist: Patti Wilson

Cabelo: Luigi Murenu

Modelos: Steffi Soede, Meghan Collison, Xiao Wen, Sophie Touchet, Holly Rose Emery e Codie Young

Confira:

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Dolce Gabbana Alta Moda - Vogue Alemã

Esse editorial foi publicado na edição desse mês (04/14) da revista alemã e as modelos vestiam Doce&Gabbana Alta Moda.

Lindo, não?

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Nino Cais – um toque surreal

Quarta feira estive no Sesc Santo André para uma aula externa do curso de fotografia que estou fazendo e enquanto estive lá pude conferir a exposição dos trabalhos do artista Nino Cais.

O trabalho de Nino não pode ser descrito de outra forma senão surrealista, o artista mistura sonho e realidade de forma multifacetada. E se a forma como ele manipula imagens te causar algum estranhamento não se preocupe, ao que me parece a ideia é essa mesmo.

Se você olhar atentamente para as imagens e ver a forma como elas foram alteradas, seja por pintura ou por colagem, você verá que não passam de situações comuns, e a partir desse ponto você passa a se identificar com as imagens que ele produz. Além disso existem duas possibilidades com algumas imagens, você vai se sentir realmente impactado pelo que vê, tendo uma sensação mais palpável do surrealismo que ele faz ou você vai sentir que aquelas figuras são figuras comuns que podem pertencer ao cotidiano comum.

Eu percebi esses dois últimos pontos em algumas imagens em que ele usou materiais de catálogos ou editoriais de moda para fazer interferências e foi por isso que quis fazer esse post.

Infelizmente eu não encontrei essas imagens, elas não estão disponíveis nem mesmo no site do Nino, mas eu peguei o catálogo da exposição e vou toscamente (sorry) mostrar algumas das que estão dentro deles para vocês:

Nino Cais

Nino Cais

Veja algumas outras imagens que você encontrará na exposição:

Nino Cais

Nino Cais

As imagens são tão cheias de desconstrução que levam nosso olhar criativo para um vasto mar de possibilidades e maneiras para como uma imagem pode ser moldada e como um conceito pode ser ao mesmo tempo tão frágil e tão impactante.

A exposição tem curadoria de Paulo Gallina e ficará até o dia 13 de julho no Sesc Santo André e a entrada é gratuita.

Conheça mais trabalhos de Nino Cais!

*imagens: reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.