Amigos que nunca foram os melhores

Eu estou longe de ganhar o prêmio de amiga do ano. O dia a dia é corrido e nem sempre consigo tempo para cuidar das minhas amizades. Como sou uma pessoa ciente de que a vida de quase todo mundo é corrida, também não cobro essa constância de ninguém.

Tenho alguns poucos bons amigos que sei que sempre vou poder contar na hora do aperto e no final das contas é isso que importa, né?

Mas no decorrer da vida acabamos conhecendo inúmeras pessoas que acabamos acreditar ser aquele alguém que vai mudar nossa postura com relação à convívio social, no s ensinar mais sobre o que realmente é amizade e literalmente vai nos fazer sentir como se estivesse vivendo em um episódio de Friends. Mas muitas vezes  acaba não sendo bem assim, né?

Esse são 5 tipos de amigos que não foram os melhores:

Canceriano

Esse é aquele tipo de amigo que nunca vai querer te ver sofrendo, afinal de contas só ele sofre, só a vida dele é difícil, se vocês um dia discutirem sobre qualquer coisa, mesmo que seja a cor do céu, o amigo canceriano vai jogar isso na sua cara, porque ele não apenas guarda o rancor, ele acumula.

É uma bilada, Cino!

Esse amigo sempre te procura, mas nunca é para saber de você. Sempre te chama para sair, mas não pergunta onde você quer ir. Sempre precisa desabafar, mas se você faz o mesmo “é drama”.
Esse amigo nunca te elogia, mas cobra ser elogiado.
Nunca cuida de você, mas exige ser cuidado.
Não reconhece seus esforços como amiga ou como ser humano.
E por último, mas não menos importante, é manipulador (inclusive foi assim que você caiu nessa roubada).

With benefits

Esse é aquele amigo que você conhece por acaso e desde a primeira cerveja já sente que vai ser seu bff. Você quer estar com essa pessoa o tempo todo e lembra dela em tudo que faz. Você começa a falar sobre esse amigo para todo mundo, até o dia em que alguém pergunta: “Vocês estão juntos desde quando?”. E você se depara com um fato que esteve na sua frente o tempo todo e de alguma forma você ignorou até agora, não era amizade, era crush!

Amigo do amigo

É aquela amizade maneiríssima que  você através de um outro amigo. Vocês têm muito em comum e vão dividir muitos momentos bacanas. Até você se afastar da pessoa que a trouxe para o seu convívio, seja por uma mudança, viagem ou simplesmente porque vocês estão seguindo caminhos diferentes.

Não amigo

Esse, na verdade, é um bom amigo, te faz bem, te ajuda a amadurecer, segura tua mão nas horas difíceis e vai estar do seu lado para momentos importantes. Até o dia que ele sumir. No começo você não percebe, mas com o passar do tempo nota que vocês só se encontram quando você o procura. Então você decide parar de procurá-lo e mais de um ano se passou e o tal amigo continuou MIA. Você se questiona se fez algo errado, se suas vivências não são pesadas demais para outros lidarem. Mas a verdade é que, se esse realmente é o caso, então a amizade nunca existiu de verdade. Mas vocês sempre terão a lembrança de tudo que compartilharam.
Zueiras à parte, sempre falamos muito sobre relacionamentos afetivos que são tóxicos, mas esquecemos que amizades também podem ser tóxicas, também tem um grande impacto na vida das pessoas e nos seus futuros relacionamentos. Se estiver acontecendo com você, procure alguém de confiança para desabafar e se afaste dessa pessoa.
Parece uma atitude egoísta, mas você deve se colocar em primeiro lugar e priorizar a sua estabilidade emocional. As amizades tóxicas são extremamente influentes e nós acabamos não conseguindo sair desse ciclo mesmo que estejamos desgastados, daí acabamos estressados e deprimidos.
*imagens: reprodução
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

A primeira foto que eu postei no Facebook

Há um tempo atrás assisti um vídeo no YouTube onde as pessoas avaliavam as primeiras fotos que postaram no Facebook. Fui dar uma olhada e tenho quase certeza que a minha primeira foto por lá foi essa:

Olhando para ela lembro de como era insegura, tinha acabado de sair da faculdade, estava deixando para trás um relacionamento ruim e amizades super tóxicas. Eu vivia em estado constante de ansiedade e medo. Eu não sabia quem eu era e isso era assustador. Além disso ainda não tinha sido diagnosticada e passava por médicos que me empurravam uma porção de remédios que eu nunca deveria ter tomado, então estava sempre em crise.

Eu queria muito abraçar essa menina da foto, mas ela me afastaria. Ela tinha medo de gente e acabou afastando todos ao seu redor.

Mal ela sabia que estava saindo de uma fase ruim para entrar em uma outra muito pior, mas como todos nós sabemos, ela é uma sobrevivente.

Eu ignorei muito essa fase da minha vida porque a considerava um fracasso, porque não me via como a protagonista da minha própria história.

Mas sem tudo isso não estaria onde estou agora. Não temos como superar algo que não tenhamos vivido. Talvez não precisasse ser assim, talvez houvessem coisas que poderiam ter sido feitas de forma diferente para diminuir meu sofrimento. Mas de alguma forma, eu precisava viver essas coisas para poder superá-las. 

Então cá estou, oito anos depois, vivendo a vida que me disseram que eu jamais conseguiria viver. Encontrei um ritmo para minha dança, busquei ajuda, não desisti.

Essa foi uma semana difícil, dolorida e cheia dos sintomas que uma mulher com transtorno mental enfrenta, mas tudo o que aprendi continua comigo,  e a vida, mesmo que confusa, segue cheia de surpresas, algumas são maravilhosas, outras são como uma fatura de cartão de crédito. 😂

Onde jazz meu coração

Nessa semana, em que recebemos a notícia do suicídio da estilista Kate Spade e do aclamado chef Anthony Bourdain, faço esse post para te lembrar da importância de pedir ajuda.

Eu sei que não é tão simples assim, que existem vários impedimentos. Que cuidar da cabeça custa caro e que nem sempre vemos possibilidades em tratamentos gratuitos. Mas você tem que tentar.

Não importa o motivo, depressão não é normal, não é algo que deveria fazer parte do nosso cotidiano.

Se você tem pensado em suicídio ou conhece alguém passando por isso, esses links podem te ajudar:

Quero Conversar

Como funciona o CAPS? http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-mental/acoes-e-programas-saude-mental/centro-de-atencao-psicossocial-caps

Nem todo transtorno mental tem cura, mas todos podem ser tratados. Eu sobrevivi ao pior de mim. Eu ainda estou aqui. Eu sou a prova viva.

Se você ainda não tem certeza sobre como e quando procurar ajuda de um psicólogo, experimente a terapia online. As vezes só por não ter que sair de casa, já evitamos um gatilho para a ansiedade e teremos mais força para seguir com um tratamento de forma mais diligente:

www.vittude.com

www.falafreud.com

zenklub.com.br

 

Se quiser bater um papo sobre isso me manda uma mensagem:

www.instagram.com/ocabide

facebook.com/OCabideOficial

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Vai rolar Mini Pop Plus e o Bazar da Nic vai estar lá!

Neste sábado (24/03) vai rolar em SP a primeira edição do Mini Pop Plus, e eu digo primeiro porque já estou querendo que tenham várias outras! O evento acontece em parceria com a Agência Solano Trindade e terá apenas brechós e ponta de estoque com peças ATÉ 30 REAIS!

E o Bazar da Nic vai estar lá! Vou levar um montão de acessórios (brincos, colares, pulseiras, bolsas e sapatos) e algumas peças tamanho 46, com preços a partir de CINQUENTA CENTAVOS!

Separem o troco da feira por que vocês vão levar para casa muitas peças baratinhas, novas ou com pouquíssimo uso por um precinho mais que camarada. Dá uma olhada em algumas das peças que eu vou levar:

Além do Bazar da Nic o evento também contará com (Tudo custando de 5 a 30 reais!):

Marcas – Aline Vito, Assens, BASIC 4 Curves, Clube da Meia Calça, Maria Abacaxita, Rainha Nagô

Brechós – Africa Plus Size Brasil, Alice Ayres Primo (Madame’s Curves), Fabiana Traven (Plusforyou Rouparia – Brechó Boutique Plus Size), Flavia Durante (Pop Plus)

E como o Mini Pop Plus acontecerá dentro do evento Elas no Topo! também teremos uma programação recheada de debates sobre a luta feminista, sobre empreendedorismo e economia solidária para mulheres.

Veja a programação completa em https://www.facebook.com/events/159324988060779/

Parte da renda com as vendas será direcionada para os projetos sociais da Agência Solano Trindade, empreendimento que estimula a produção artística e a economia solidária na periferia de São Paulo. Site: https://agenciasolanotrindade.wordpress.com

Siga O Cabide no Instagram para acompanhar pelo Stories mais detalhes da participação do Bazar da Nic nesse evento maravilhoso: www.instagram.com/ocabide

===> Mini Pop Plus (até 30 reais) @ Agência Solano Trindade
Sábado, 24/03, 12h às 19h
Rua Batista Crespo, 105 – Vila Pirajussara (Campo Limpo) – São Paulo/SP
Mapa: https://goo.gl/maps/U87TsrEuDvo

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Por aí: O Cabide no #PopPlus20

O Pop Plus chegou a sua vigésima edição com várias atrações incríveis, estreia de várias marcas lindas como a Alice Surtô, Berenix e Reizz e ainda várias marcas que lançaram coleções e novidades durante a feira. Entre elas estavam:

Clamarroca Plus – lançando sua coleção masculina
Chica Bolacha – lançando a coleção Fever Vol. 1
Zuya – lançando a coleção Entre estrelas
Assens – lançando sua linha de camisaria
Bold (Flaminga) – lançando coleção outono/inverno 2018 e a coleção Sleep and Lounge
Madee – lançando a coleção Blogguers
NaBeca Tamanhos Reais – lançando a coleção outono/inverno 2018
Rainha Nagô – lançando a coleção Lady Lake Black Flowers
Lambuzada – lançando as jaquetas dupla face
Wondersize – lançando as jaquetas corta-vento
Oh Querida! – lançando a coleção City Grrrl
Cor de Jambo Moda Praia – lançando top ciganinha, cropped Diva e calça envelope
Simone Troiano – fez um preview do outono/inverno

Euzinha no Stand da Alice Surtô usando vestido da marca

E dessa vez fizemos uma super cobertura do evento que contou com um lookbook com os looks mais lindos das gordas (e gordo) que estavam por lá:

Sempre que vejo a cobertura de eventos em outros sites e blogs percebo que as postagens referentes à lookbooks raramente incluem pessoas gordas. Então eu e a @thaysawandeur (fotógrafa oficial d’O Cabide) criamos um lookbook só com gordos como parte da nossa cobertura do @popplusbr! São looks cheios de personalidade e estilo, usados por pessoas que frequentaram e trabalharam no evento durante o dia 03/03. Esperamos de verdade que vocês gostem e que no futuro façamos muito mais lookbooks como esse! #popplus20 #paracegover Esse é um álbum com 10 looks usados por pessoas gordas e muito estilosas durante o Pop Plus. Envie uma mensagem se você gostaria de ter uma descrição completa de cada um desses looks.

A post shared by O Cabide por Nic Duarte (@ocabide) on

Também fizemos um vlog lindo de viver:

Além do lookbook nossa fotógrafa, Thaysa Wandeur, também arrasou nos cliques que fez enquanto passeávamos pelo evento:

NaBeca Tamanhos Reais

 

Vintage and cats

 

Aline França – Estilo Curvas

 

Ju Romano e Isabella Trad

 

Nic Duarte e Amanda Momente

 

Wondersize

 

Clamarroca Plus

 

Mary Help

 

Blossoms

 

Ackon

 

Rouge Marie

 

Wondersize

 

Imani Plus Size

 

Imani Plus Size

 

Garotas FDP

 

Titha Plus Size

 

Fofura Pimenta

 

Nic Duarte e Flávia Durante

 

Lambuzada

 

Alice Surtô

 

Vestgrande

 

Thalita Laleme Store

 

Chica Bolacha

 

Chica Bolacha

 

Gina Yamamoto
Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.

Tá vendo aquela lua, que brilha lá no céu (desculpa não resisti ao trocadilho)

A moda é o melhor e mais apurado registro do espírito dos tempos. Pensa bem, nos últimos anos tivemos que lidar com guerras, terrorismo,Temer e Trump, como as tendências reagiram? Unicórnios e sereias se tornaram o centro de tudo, da roupa até a maquiagem. Em um momento difícil buscamos refúgio no lúdico.

Continuamos vivendo uma fase conturbada, o assédio sexual está em pauta constantemente (tem muita sujeira saindo debaixo do tapete, né?), os fascistas decidiram mostrar as caras, a economia está em crise no mundo todo, o desemprego está em alta e nós, os chamados millennials, somos considerados como uma geração perdida, sem identidade e sem prospectos para o futuro. Nós estamos o tempo todo, sem sucesso, em busca de respostas para perguntas que nem sabemos de onde surgiram. Foi assim que os astros ganharam a vez, fomos buscar respostas no místico e o zodíaco voltou a ganhar força no século XXI.

Deixamos de lado os unicórnios e passamos a vestir nossos signos, nos maquiar com as cores de pedras místicas e nos cercar de símbolos com significados enigmáticos.

Então esse é o momento de investir em peças com estampas que remetam ao que vem do céu (por isso o título infame para esse post). Planetas, nebulosas, estrelas e cometas são bem vindos. E você vai encontrar tudo isso na coleção THE FEVER – VOLUME 1, da marca Chica Bolacha, que vocês sabem que eu amo! A coleção foi lançada na última quarta-feira (28), trazendo vestidos atemporais em tule e jaquetas statement,  e foi feita pensando nas grandes cidades e nas mulheres ocupando estes espaços.

Dá uma olhada:

E se você está amando essa tendência também vai curtir esses itens:

Choker Estrelado – Ziovara
Case – Gocase
Oxford – Insecta Shoes
Bath bomb Rocket Science – Lush

 

Se você vai estar em SP neste final de semana, poderá conferir a coleção da Chica Bolacha no Pop Plus:

20º Pop Plus
Quando: 3 e 4 de março de 2018, sábado e domingo, das 11h às 20h
Onde: Salão Grand Real do Club Homs – Av. Paulista, 735 (Metrô Brigadeiro) – São Paulo/SP
Quanto: entrada gratuita

E você, também busca respostas no cosmos?

 

P.S.: Essa é só uma entre várias teorias que relacionam comportamento e consumo, se vocês quiserem um post mais aprofundado sobre o assunto me avisem nos comentários.

*imagens: Reprodução

Fundadora e editora do O Cabide, formada em moda, fotógrafa iniciante, apaixonada por figurinos e história da moda. Futura jetsetter, feminista, gayzista, abortista, gorda, patrona do amor próprio e entusiasta da maquiagem para beleza e para a arte.